GAAC apresenta nova marca em comemoração aos seus 20 anos

0
Kemilly Emanuele Silva assistida do GACC (Fotos: Portal Infonet)

O Grupo de Apoio a Criança com Câncer de Sergipe (GAAC) lançou a nova marca da instituição em comemoração aos seus 20 anos de fundação. O lançamento aconteceu durante um café da manhã, na sede do GAAC, nesta quarta-feira, 20, com a presença da imprensa, voluntários e colaboradores. Atualmente o GACC assiste 80 crianças de Sergipe e estados vizinhos.

De acordo com a gerente geral do GACC, Ulla Ribeiro, foram 20 anos de muitas lutas, mas também de muitas vitórias. “Temos que agradecer a sociedade civil por abraçar essa causa que é tão importante, e apesar das perdas, tiveram muitas curas e temos a certeza que a luta pela causa vale a pena. Hoje lançamos nossa nova marca em comemoração aos 20 anos que completaremos em outubro, que representa a humanização, base do nosso trabalho”, conta.

A estrela da campanha é a assistida Kemilly Emanuele Silva, de quatro anos. Há sete meses ela luta contra um rabdomiossarcoma, tipo de câncer que acomete os músculos e atinge, na maioria das vezes, crianças e adolescentes com até 18 anos. A mãe da pequena conta que ela está adorando ver seu rostinho estampado em agendas, calendários e camisas da instituição. “Ela está muito feliz por representar o GAAC nessa campanha, e eu como mãe também fiquei muito feliz com o convite. Aqui no GACC nós encontramos todo o apoio e assistência que precisamos para fazer o tratamento de Kemilly, e ver minha filha sendo a estrela dessa campanha me deixa muito orgulhosa”, disse Maria Cláudia Barbosa.

Gerente geral do GACC, Ulla Ribeiro

O ano promete uma agenda repleta de eventos em comemoração ao aniversário da instituição e também para arrecadar fundos para a construção da nova sede que está orçada em cerca de R$ 3,6 milhões, que começa a ser construída próximo mês. “Estamos programando vários shows, entrando em contato com muitos artistas para abraçar a nossa causa. Através de uma parceria com o Banese conseguimos R$ 200 mil, valor suficiente para custear a terraplanagem e os projetos técnicos da sede, mas ainda falta mais de R$ 3 milhões, valor necessários para dar continuidade à construção da nossa tão sonhada sede, então mais do que nunca, pedimos a colaboração dos empresários e da sociedade civil”, ressalta Fred Gomes, diretor de comunicação do GAAC.

Câncer

Sobre o tratamento do câncer em Sergipe, o GAAC entende que falta sensibilidade do poder público e que são Casas de Apoio que garantem a assistência aos pacientes oncológicos, dever que é do Governo. “Quero ressaltar a importância da equipe médica da oncologia do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE) e de todos os profissionais que ali atuam, são guerreiros por trabalharem com o material que se tem, mas percebemos a ineficiência do poder público quando a gente ver uma ONG reformar um ambiente hospitalar porque o Governo não tem condições de fazer isso. A Avosos está de parabéns, mas as ONGs não podem assumir a responsabilidade do Estado que tem ficado numa situação bastante confortável. Quando se fala de câncer infanto-juvenil, o Estado fica despreocupado porque sabe que existem as ONGs que vão suprir e chegar junto no que o paciente precisar. O Estado tem que manter o direito dessas famílias”, aponta Fred.

A instituição também é contrária à construção do Hospital do Câncer. Para o GAAC não adianta construir um hospital novo e os pacientes oncológicos continuarem sem assistência. “A grande problemática do paciente com câncer em Sergipe é a falta de medicamentos e falta de exames em tempo hábil, então as instituições pagam esses exames para não interferir no tratamento do paciente. Acreditamos que é isso que o Governo tem que se preocupar, em fornecer os medicamentos e disponibilizar os exames em tempo hábil. Dessa forma Sergipe pode sim ser referência no tratamento oncológico do país, profissionais competentes nós temos”, finaliza o diretor de comunicação Fred Gomes.

por Karla Pinheiro

Comentários