Hemocentro busca ampliar doadores de medula óssea

0
De acordo com o balanço do Hemocentro, os meses de maio e setembro alcançaram o maior número de inscritos, com 1.739 e 1.592 respectivamente. Nesses períodos, a instituição realizou coletas externas através de parcerias com instituições e empresas, a exemplo da Faculdade Estácio de Sergipe (Fase), Universidade Tiradentes (Unit), Escola de Enfermagem Santa Barbara, dentre outros.
“Ao longo do ano, pudemos constatar que existe uma preocupação das instituições públicas, privadas e a sociedade em geral, de aderir ao cadastro de doadores de medula óssea pelo fato de almejar tentar salvar vidas”, disse a gerente de Captação, Josceline Souza. Ela ressalta a importância do correto preenchimento da ficha cadastral com os dados pessoais. “A falta de alguma informação pode acabar dificultando a localização do doador, no caso dos testes verificar compatibilidade genética”, salienta.
Em Sergipe, o cadastro é realizado no Hemose através da gerência de Captação de Doadores que busca conscientizar a comunidade sobre o serviço e os métodos de realização do transplante de medula óssea. “A instituição trabalha com ferramentas como palestras e o acolhimento junto aos voluntários, onde prestamos informações sobre os procedimentos que antecedem a realização do procedimento”, frisa a assistente social.
Como desafios para 2019, a profissional destaca a realização de atividades para desmistificar o cadastro. “Estamos elaborando o planejamento anual das ações do setor. Iremos reforçar as atividades para essa conscientização e também a divulgação junto a mídia sobre a importância da adesão ao cadastro para viabilizar o transplante de medula óssea, que beneficia pacientes com leucemias”, conclui Josceline.
Indicação
A medula óssea é um tecido encontrado no interior dos ossos que tem a função de produzir os glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas.  O transplante é indicado para o tratamento de pessoas com diagnóstico de leucemias, linfomas, anemias graves, hemoglobinopatias, imunodeficiências congênitas, mieloma múltiplo, doenças autoimunes, dentre outras enfermidades.
Critérios
Para fazer o cadastro de medula óssea é necessário estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e não ter doenças infecciosas (hepatite, Chagas, HIV, sífilis) e outros problemas como diabetes, câncer e doenças específicas do sangue. Os voluntários preenchem um formulário com informações pessoais e doa uma amostra com 5 ml de sangue. O material é encaminhado para o teste de Histocompatibilidade (HLA), que verifica as características genéticas entre o doador e o receptor, inscritos no Redome e no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme). Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.
Fonte: SES
Comentários