Hospital de Cirurgia se destaca em projeto de combate à Covid-19

0
Hospital de Cirurgia se destaca no Projeto “Todos pela Saúde” do Itaú de combate à COVID-19 (Foto: Ascom)

Com a diminuição significativa de internações devido à COVID-19, após amplo trabalho para cuidar e salvar inúmeras vidas, o Hospital de Cirurgia fechou, oficialmente, 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 15 leitos de enfermaria destinados à doença e encerrou a parceria com o Projeto “Todos pela Saúde” do Banco Itaú, que auxiliou o hospital na montagem do gabinete de crise para tratar de assuntos referentes ao enfrentamento da pandemia, destacando-se nacionalmente.

De 1º de abril a 28 de setembro deste ano, o Cirurgia – hospital filantrópico de Sergipe que mais ofertou leitos para cuidar de pacientes infectados com a COVID-19 – atendeu 547 pessoas, sobretudo, de alto risco de vida, chegando a disponibilizar um total de 70 unidades de internamentos, sendo 40 de UTI, 28 de enfermaria e 12 de acomodação individual. Atualmente, mantém ativos 20 leitos de UTI e 15 de enfermaria COVID-19.

“Historicamente, o nosso Cirurgia sempre foi um referencial para Sergipe e, mesmo diante de uma situação tão adversa para a nossa geração, conseguimos atender quantitativamente e qualitativamente os pacientes com a COVID-19. E isso só foi possível graças a muito trabalho, planejamento e força de vontade dos nossos colaboradores, como nosso Diretor Técnico, Dr. Rilton Morais, e nosso Coordenador de UTIs COVID-19, Dr. Luiz Flávio Prado, que lideraram times de trabalhadores de diversas especialidades, fazendo aquilo que foram preparados e que mais gostam de fazer, cuidar das pessoas. E, evidentemente, com a ajuda de instituições, como a Universidade Tiradentes, TJSE, MPF, MPT, Banese, de grupos de empresários, como Lide e Fecomércio, que deram condições ao Hospital de comprar insumos, rouparia e equipamentos”, afirma a Interventora Judicial, enfermeira Márcia Guimarães.

Todos pela Saúde

Para oferecer o melhor tratamento aos pacientes, no início de março, o Cirurgia começou os preparativos para lidar com o vírus, ciente da necessidade de planejar e executar ações prévias. E, dali em diante, viu-se envolvido por uma grande rede de solidariedade, formada por várias instituições, empresas, associações, voluntários individuais e projetos que deram condições para o Hospital prestar assistência aos pacientes com COVID-19, como o “Todos pela Saúde”.

O Projeto “Todos pela Saúde” é uma iniciativa de um grupo de especialistas de diversos setores da saúde, financiados pelo Banco Itaú, que ajudou o Cirurgia, ao longo de quase cinco meses, a qualificar o gerenciamento dos leitos, insumos, equipamentos e profissionais, através da implantação do gabinete de crise e da utilização de ferramenta de monitoramento diário de itens estratégicos para o desenvolvimento da assistência hospitalar.

“O próprio “Todos pela Saúde” escolheu o Cirurgia para participar do programa devido a sua qualidade. Trata-se de um hospital filantrópico que tem uma grande referência e que precisa de doações”, explica a representante do projeto, a agente analista Erica Brito. Em Sergipe, além do Cirurgia, outras três instituições hospitalares foram selecionadas pelo “Todos pela Saúde”.

Destaque Nacional

O Diretor Técnico do Cirurgia, Dr. Rilton Morais, destaca a importância do “Todos pela Saúde” no tocante ao mapeamento das necessidades e da tomada de decisões técnicas do Hospital durante a pandemia. “A iniciativa nacional financiada pelo Itaú estimulou o nosso Hospital a coletar dados estratégicos em planilhas, através de um sistema eletrônico, sendo que, com o tempo, nos aperfeiçoamos, desenvolvendo a nossa própria forma de coleta. Sem dúvidas, esta ação foi importante para acompanharmos diariamente nossos pontos estratégicos, auxiliando-nos no combate à COVID-19, como compras de mais insumos, equipamentos e reposição de profissionais linha de frente, técnicos, enfermeiros, fisioterapeutas e médicos”, informa.

“A partir das informações colhidas, realizávamos reuniões constantes do gabinete de crise, onde víamos, claramente, a nossa situação, fazíamos análises para não sermos surpreendidos por possíveis desabastecimentos, elevações de preços, e executávamos ações prévias que foram fundamentais para controlarmos a crise no nosso Hospital”, diz Dr. Rilton Morais.

A agente do “Todos pela Saúde” ressalta que, em Sergipe, inclusive no Brasil, o Cirurgia teve grande destaque, por ter concluído o programa. “Existiu a iniciativa entre todos os hospitais escolhidos em Sergipe, mas o único que deu prosseguimento, se reuniu semanalmente, conseguiu concluir todas as etapas e chegou a um projeto realmente de qualidade foi o Cirurgia”, informa. Ao todo, de 29 de abril até 15 de setembro, foram realizadas 50 reuniões do gabinete de crise, sempre com a presença de um representante do Itaú.

Treinamentos intensivos

Coordenador das UTIs do Cirurgia, o Dr. Luiz Flávio Prado também chama a atenção para o fato do hospital ter se estruturado com antecedência para enfrentar à COVID. “Em março, recebemos uma nova UTI, com 20 leitos, estruturada do ponto de vista físico e técnico, reformada pela Universidade Tiradentes; e recebemos os equipamentos para organizá-la. É nesta UTI onde internamos boa parte dos pacientes infectados pelo vírus”, informa.

Dr. Luiz Flávio chama atenção para outros pontos que foram essenciais para tratar pacientes com a COVID. “Um dos passos mais importantes que demos no Cirurgia, em relação à assistência médica, foi montar e realizar treinamentos com os nossos profissionais linha de frente sobre paramentação e desparamentação de EPIs, intubação, pronação, entre outros procedimentos. Criamos vídeos institucionais também. Inclusive, fornecemos essas aulas para outras instituições hospitalares. Isso tudo em março. Também não podemos deixar de destacar o Projeto Tele-UTI, do Hospital Oswaldo Cruz, que nos trouxe mais conhecimento e tranquilidade para lidar com a doença”, relata.

De acordo com o Coordenador, de abril a agosto, 384 pacientes foram admitidos nas UTIs do Cirurgia. “Nosso comparativo com UTIs brasileiras ganha em quase todos os pontos. Usamos mais VNI (ventilação não invasiva), nossos pacientes ficaram menor tempo em ventilação, menor tempo em UTI. E tivemos menor mortalidade que a média nacional”, destaca.

Doação de tomógrafo

Devido à quantidade de leitos disponibilizados – com ponto para hemodiálise – e à alta complexidade nas linhas de cuidado em neurocirurgia, cardiologia e trauma para tratar pacientes COVID-19, o Hospital de Cirurgia foi selecionado pelo Ministério da Saúde para receber um novo aparelho de tomografia.

De acordo com a representante do “Todos pela Saúde”, o programa do Itaú fez a doação de aparelhos de tomografia para o Ministério da Saúde para distribuir entre os hospitais que necessitam aumentar o suporte diagnóstico junto aos pacientes.

Como forma de agradecimento ao Itaú pelo suporte dado para o combate à COVID-19, o Cirurgia entregou à representante do “Todos pela Saúde” um quadro e uma carta de agradecimento, na última reunião do gabinete de crise, ocorrida no dia 15 de setembro.

“Como bem descrevemos na carta em homenagem, o “Todos pela Saúde” mostrou ao nosso Cirurgia que, de fato, a solidariedade existe e sempre floresce nos momentos mais difíceis. O grupo de especialistas e o Banco Itaú investiu em todas as regiões do Brasil, focados em quatro eixos, informar, proteger, cuidar, retomar, cujo objetivo era melhorar a resposta do sistema de saúde. E no nosso Hospital de Cirurgia não foi diferente. Por isso, nossa gratidão a todos aqueles que fazem parte desta brilhante iniciativa”, finaliza a Interventora Judicial.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários