Julho Amarelo: HU realiza seminário e testagem rápida para hepatites

0
De acordo com o hepatologista Alex Vianey, do Serviço de Hepatologia do HU-UFS, as hepatites virais são normalmente assintomáticas (Foto: Hospital Universitário)

Em alusão ao 28 de julho, data instituída pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, o Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS) está realizando a II Semana de Conscientização sobre as Hepatites Virais.

Durante esta terça, 24, a programação está concentrada em palestras, cujos temas são Breve Histórico das Hepatites Virais e Perfil Epidemiológico no Brasil e no Estado de Sergipe, com a infectologista Márcia Lima; Hepatites Virais no Contexto Ambulatorial, com a enfermeira Rita de Cássia; Aspectos Clínicos e Diagnóstico da Hepatite B, com Kellyane Carvalho e Aspectos Clínicos e Diagnóstico da Hepatite C, com a médica Tereza Virgínia.

Outros temas abordados no decorrer do dia são Tratamento Atual das Hepatites B e C, com os médicos Frederico Santana e Maurício Pacheco, respectivamente, além do Acompanhamento Farmacêutico no Tratamento da Hepatite C, com a farmacêutica Grace Dória.

De acordo com o hepatologista Alex Vianey, do Serviço de Hepatologia do HU-UFS, as hepatites virais são normalmente assintomáticas. “Hoje, 98% dos casos de hepatite C são curáveis, com medicação via oral fornecida gratuitamente pelo Ministério da Saúde. O grande problema ainda é fazer o diagnóstico, porque a população de maneira geral não faz os exames, não sabe que tem a doença”, destaca o médico.

Diagnóstico precoce

Ele informa que as hepatites crônicas são as que mais preocupam, podendo levar à cirrose. “O importante é que essas doenças têm tratamento, quando se faz um diagnóstico precoce e um tratamento precoce a resposta do paciente pode ser muito boa. Os fatores considerados de risco para as hepatites B e C são as relações sexuais desprotegidas, o contato com sangue contaminado, os profissionais do sexo, usuários de drogas, pacientes que receberam sangue antes de 1993, pacientes com tatuagem e os que frequentam manicures sem que levem seu próprio material”, completa Alex Vianey.

A abertura do seminário foi realizada pelo gerente administrativo do HU-UFS, Edélzio Costa Júnior, que representou a superintendente Angela Silva. “A capacitação empreendida em um evento como esse é a essência de um hospital-escola. O HU não pode ser só assistência, pois é um ambiente acadêmico, que cria um cenário propício e adequado para a formação do profissional de saúde”, declara.

Continuidade

Além da programação da terça, haverá nos dias 25 e 26, no Ambulatório da Biomédica do HU-UFS, hospital filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), a realização de testagens rápidas para Hepatites B e C, sífilis e HIV. Qualquer usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) terá acesso aos testes, que ocorrem na quarta e na quinta-feira, das 8h às 11h e das 13h às 17h.

Na sexta, a programação continua no Auditório da Universidade Tiradentes. Para este dia, as inscrições estão sendo realizadas via Secretaria de Estado da Saúde.

Sobre a Ebserh

Estatal vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do SUS, e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Fonte: ascom Hospital Universitário de Sergipe – EBSERH

Comentários