Laboratório Central realiza mais de 600 análises de carga viral

0
Carga viral é um exame que conta a quantidade de vírus presente no sangue (Foto: SES)

Carga viral é um exame que conta a quantidade de vírus presente no sangue. O Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen) realiza uma média mensal, de pouco mais de 600 testes de carga viral, para o HIV tipo 1, vírus da hepatite B e vírus da hepatite C, cujo principal objetivo é verificar o estágio da doença, além de indicar e monitorar o tratamento de pacientes portadores da Aids, e hepatites virais.

Para garantir a homogeneidade do serviço e a qualidade dos resultados das análises, um grupo profissionais composto por biomédico, farmacêutico e técnicos de análises que atuam no laboratório de Biologia Molecular, participou nesta terça-feira, 17, de um treinamento ofertado pelo Ministério da Saúde (MS). Na ocasião, Daniela Ribeiro, especialista de aplicação molecular da empresa Abbott, prestou orientações relativas ao processamento das amostras do plasma sanguíneo.

Outros temas destacados foram a avaliação de amostra ideal para exames de carga viral (uma abordagem pré-analítica), extração de amostras de DNA e RNA, uso do extrator automatizado m2000sp, PCR em tempo real de amostras para HIV, HBV e HCV, como resolver possíveis problemas nas rotinas, uso do termociclador e manutenções periódicas nos equipamentos.

“Essa capacitação continuada envolve os colaboradores que executam técnicas de alta complexidade. Eles precisam ter conhecimento do uso do kit utilizado para realização dos procedimentos para assegurar um resultado livre de falhas e com alto nível de segurança para os nossos clientes finais que são o paciente, o médico e a Vigilância”, destacou Cliomar Alves Santos, gerente do serviço de Biologia Molecular do Lacen ao informar que os exames devem ser feitos regularmente, para que a assistência médica ofertada aos pacientes seja adequada e completa.

O farmacêutico bioquímico explicou, ainda, que as drogas utilizadas para o tratamento e acompanhamento dos portadores do vírus HIV devem ser adaptadas ao quadro clínico do paciente. “Esse monitoramento é feito por meio de análise laboratorial e os resultados são disponibilizados em até dez dias”, contou.

Serviço

O exame de carga viral é solicitado pelo médico infectologista quando a sorologia  para HIV é positiva. A amostra de sangue coletada nas unidades, Centro de Especialidades Médicas de Aracaju (Cemar), Hospital Universitário (HU), e no próprio Lacen, são testadas a partir da amplificação do RNA ou DNA viral, para quantificar a carga do vírus do HIV, HBV ou HCV dos pacientes em tratamento. O procedimento é realizado através da metodologia por PCR em tempo real

Fonte: ascom SES

 

Comentários