Meninos e meninas devem ser imunizados contra o HPV

0
O vírus HPV é altamente contagioso (Foto: Flávia Pacheco/SES)

O Papiloma Vírus Humano, popularmente conhecido como HPV, é uma infecção sexualmente transmissível que pode levar ao câncer de pênis, de colo de útero, de ânus, de garganta e de boca, se não tratado a tempo.  Por outro lado, com apenas duas doses de vacina a infecção pode ser prevenida em meninos e meninas.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), alerta que embora estejam disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de todo o Estado, a vacina é pouco solicitada pelos pais das crianças e adolescentes.
A vacina contra o HPV é indicada para meninos na faixa etária de 11 a 14 anos, mas a cobertura vacinal em Sergipe ainda é muito baixa, chegando apenas a 16% do público específico. As meninas com idades entre 9 e 14 anos apresentam um resultado melhor, mas ainda preocupante: 47% de cobertura vacinal.
Embora a cobertura vacinal das meninas seja melhor, há um fator preocupante: a maioria delas não volta para a segunda dose, o que significa dizer que não estão imunizadas, o que só ocorre com a segunda dose, segundo garante a enfermeira da Central de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Ana Beatriz Lira.
“Nosso apelo é dirigido aos pais: eles precisam saber que a infecção é transmitida através da relação sexual, que pode levar ao câncer e até à morte, mas que há uma forma eficaz de prevenção. Então, precisam levar seus filhos a uma unidade de saúde e vaciná-los. Não há burocracia”, alertou a enfermeira, salientando que o câncer de colo de útero é a terceira causa de morte no mundo.
Transmissão do HPV
O vírus HPV é altamente contagioso e a sua transmissão se dá através do contato pele com pele, do contato íntimo sem camisinha e basta apenas um contato para ficar contaminado sendo que 98% das transmissões ocorrem através do contato sexual. Mas diferente das outras ISTs, não é preciso haver troca de fluídos para que a transmissão ocorra. Só o contato já ocasiona a transmissão do vírus.
O tempo de incubação do vírus varia de um mês a dois anos e, durante este período, apesar de não haver sintomas, a pessoa já pode contaminar outras.  Já pode apresentar verrugas invisíveis a olho nu, mas que podem passar para o outro. As mulheres infectadas também podem transmitir o vírus HPV para o bebê durante o parto normal.
Sintomas do HPV
Os sintomas do HPV são pequenas verrugas na região íntima masculina ou feminina e na região do colo do útero e podem estar ausentes, apesar da presença do vírus. Isto ocorre principalmente nos homens, mas também pode acontecer nas mulheres. O diagnóstico do HPV pode ser feito pelo exame clínico-visual e confirmado pelo exame papanicolau ou biópsia das verrugas
Fatores de risco
Sexo sem proteção, vida sexual precoce, múltiplos parceiros, não fazer exames de rotina, imunodepressão, ou seja, a queda do sistema imunológico e presença de outras doenças sexualmente transmissíveis (DST). Além disso, os fatores de risco para câncer associado ao HPV são alterações da resposta imunológica no organismo, como: múltiplas gestações, uso de contraceptivos orais de alta dose por tempo prolongado, tabagismo, infecção pelo HIV e outros.
Fonte: SES
Comentários