Municípios devem obedecer parâmetros de potabilidade da água

0
Legislação estabelece parâmetros para potabilidade da água (Foto: ASN)

Diante da situação de pandemia com o novo coronavírus (Covid- 19),  em que as principais medidas de prevenção à doença indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é lavar as mãos com água e sabão, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), através Coordenação Estadual  de Vigilância Sanitária (COVISA), por meio da Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental  (GVSAM), reforçou com os 75 municípios do estado, na última quinta-feira, 26, através de um comunicado as orientações sobre a importância dos procedimentos de segurança com a água potável.

O gerente da Vigilância Ambiental, Alexsandro Bueno, destaca que essas orientações são importantes e essa articulação tem como princípio a qualidade da água fornecida à população.

“Sabemos que  é imprescindível a higienização no enfrentamento da pandemia, lavar exaustivamente as mãos com água e sabão é uma medida necessária. Portanto, é essencial que os coordenadores  de Vigilância Ambiental dos municípios fiquem atentos à situação de abastecimento da água e qualidade. Um dos pontos também é o fornecimento suficiente de água. Além disso, os responsáveis pelo abastecimento da água precisam estar atentos a alguns procedimentos para manutenção da qualidade e oferta da água”, reforça.

Há parâmetros que devem ser obedecidos e são estabelecidos pela legislação  que trata da potabilidade de água. No documento enviado, além de reforçar, a GVSAM também comunicou a Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO) que eleve o parâmetro do cloro na água.  “O Cloro é  responsável pela desinfecção da água, então queremos que quantitativo passe de  0,2 PPM para 0,5 PPM. Esse é o valor preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS)  em uma situação de surto. Os municípios terão que fazer o monitoramento para verificar o cumprimento”, finaliza.

Fonte: ASN

 

Comentários