Sergipe perde quase metade da água potável distribuída

0
Os dados são referentes ao balanço realizado pela instituição em 2017. (Foto: arquivo/ Portal Infonet)

Segundo levantamento da instituição Trata Brasil, através do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), Sergipe ocupa o 10º lugar no ranking dos estados que mais perdem água potável no país. De acordo com os dados, 48% de toda água potável produzida acaba se perdendo durante o processo de distribuição. O relatório do Trata Brasil também aponta o município de Aracaju como uma das 100 maiores cidades do Brasil no tocante à perda de água potável. Os dados são referentes ao balanço realizado pela instituição em 2017.

O estudo explica que o conceito de perda de água apresenta duas vertentes diferentes. Segundo o relatório, as perdas de água potável ocorrem de maneiras diversas, sendo as mais comuns os vazamentos, roubos/furtos de água e erros de leitura ou leituras imprecisas devido aos hidrômetros serem muito antigos. Ainda segundo o levantamento, o Brasil possui índices de perdas muito mais elevados que países menos desenvolvidos.

O indicador afirma também que as perdas de água potável nos sistemas de distribuição é um dos mais negligenciados no país, mesmo após a crise hídrica que afetou a Região Sudeste, entre 2014 e 2016, e a que ainda afeta o Nordeste. Segundo o relatório, isso mostra o quanto é importante o cidadão poupar a água potável nas residências, mas, principalmente, o quanto o poder público e empresas operadoras de água precisam melhorar em todo o país.

O Portal Infonet tentou entrar em contato com a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), mas até o fechamento da matéria não obteve resposta. Estamos à disposição através do e-mai: jornalismo@infonet.com.br ou pelo número: (79) 2106-8000.

Coleta de esgoto

Ainda segundo os dados recentes do Instituto Trata Brasil (ITB), 77,0% da população de Sergipe, estimada em 2.288.116 de pessoas segundo o IBGE, não tem acesso à coleta de esgoto. Em março deste ano, o Portal Infonet divulgou uma matéria onde mostrava que apenas três municípios de Sergipe, Nossa Senhora das Dores, Propriá e Simão Dias tinham saneamento básico considerado eficiente.

por João Paulo Schneider 

Comentários