PlanejaSus: projeto organiza processos de trabalho nas UBS

0
Gestores e profissionais da saúde se reuniram em um hotel na Orla de Atalaia (Foto: Portal Infonet)

Gestores e profissionais da saúde se reuniram nesta sexta-feira, 13, no I Seminário Estadual do PlanificaSUS para prestar contas dos resultados dos primeiros sete meses da implantação do projeto no Estado. O PlanificaSus reorganiza a Atenção Primária em conjunto com a Atenção Especializada. Em Sergipe duas regiões possuem o projeto englobando 20 municípios.

De acordo com o diretor de Atenção Integral à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), João Lima Júnior, o PlanificaSus não é um programa e nem uma consultoria, é um trabalho de intervenção em campo que trabalha diretamente na unidade e com os trabalhadores das duas regiões de saúde do SUS.

“O projeto foi pensado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conas) em parceria com o Hospital Albert Einstein e o Ministério da Saúde. Esse projeto visa fortalecer através das organizações dos processos de trabalho na Atenção Primária de Saúde, trabalhando em rede com a organização da atenção ambulatorial que são as consultas e exames especializados onde eles estão”, explica.

Profissionais dos 20 municípios contemplados com o PlanejaSUS participaram do Seminário (Foto: Portal Infonet)

Implantado em Sergipe desde julho de 2019, o projeto segue em execução até o final desse ano. Duas regiões de saúde, Lagarto e Itabaiana, receberam o PlanificaSus contemplando 20 municípios. João explica que o Seminário é um momento de prestação de contas aos atores envolvidos e de troca de experiências.

“Eu sempre falo que organização de processo na área de saúde não é tão rápida e os efeitos não são tão rápidos como se espera. É sempre bom frisar para não gerar expectativas, mas como estamos chegando na metade do projeto, esse é o momento de mostrar os resultados, as experiências e um pouco do que está sendo o Planifica no Estado”, diz.

PlanficaSUS

João explica que no projeto há um momento teórico e outro prático, quando equipes do Hospital Albert Einstein e da SES visitam as unidades básicas de saúde (UBS) para avaliar a situação de cada uma. “As visitas são para olhar como está a organização dos processos de trabalho na unidade básica; como está a organização na sala de vacinas; se está atendendo o usuário quando chega na unidade independe de horário; como está o acolhimento na recepção; a entrega de medicamente na farmácia; ou seja, todos os processos de trabalho. Um dos pontos mais importantes para os municípios que estão avançados é justamente a organização do atendimento pelo bloco de hora, esse atendimento do paciente por horário organizado. Quem está mais avançado, já está nesse momento”, afirma o diretor.

Ao final do projeto, o objetivo é que os 20 municípios contemplados repassem o modelo de trabalho para os demais municípios. Cada município tem uma unidade de laboratório da Atenção Primária, e os dois municípios sedes – Itabaiana e Lagarto – tem um laboratório de unidade ambulatorial especializada que atende os pacientes.

“A ideia é que com o final do projeto as equipes dos municípios que receberam a expertise possam expandir para as diversas outras UBS. Existem municípios que já estão fazendo isso antes mesmo do final do PlanejaSus”, conclui.

Por Karla Pinheiro

Comentários