SE registra 3º caso de idoso que recebeu doses de vacina diferentes

0
Já são três idosos sendo acompanhado pela UFS após receber doses diferentes da vacina contra covid-19 (Foto: Marcelle Cristinne)

Mais um caso de aplicação em idoso de doses da vacina contra a covid-19 de laboratórios diferentes foi registrado em Sergipe. Desta vez, o caso aconteceu no município de Riachão do Dantas com um idoso de 80 anos.

De acordo com professor Lysandro Borges, do Departamento de Farmácia da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e coordenador da Força-Tarefa Covid-19 da UFS, esse é o terceiro caso que a universidade está acompanhando. O primeiro caso aconteceu com uma idosa de 75 anos em Aracaju, no dia 6 de abril, e o segundo caso foi registrado no dia 10 no município, em Aquidabã com um idoso de 90 anos.

Os três idosos receberam a primeira dose da vacina contra covid-19 de um laboratório e ao retornar para tomar a segunda dose, receberam o imunizante de outro fabricante. A recomendação do Ministério da Saúde é que as duas doses aplicadas sejam do mesmo laboratório, já que não há estudos que comprovem a eficácia da vacina sendo aplicada com doses de laboratórios diferentes.

Os idosos estão sendo acompanhados pela UFS. O acompanhamento será feito pela produção de anticorpos neutralizantes induzidos pela vacina. Os municípios também devem acompanhar e prestar assistência avaliando os sintomas nos idosos, caso ocorram.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) explicou que os casos de aplicação de doses diferentes da vacina contra covid-19 são notificados pelos municípios ao Ministério da Saúde e destacou que já emitiu recomendação aos municípios.

“A Secretaria de Estado da Saúde alerta que indivíduos que iniciaram a vacinação contra a covid-19 deverão completar o esquema com a mesma vacina. Indivíduos que, por ventura, venham a ser vacinados de maneira inadvertida com 2 vacinas diferentes deverão ser notificados como um erro de imunização no e-SUS Notifica (https://notifica.saude.gov.br) e serem acompanhados com relação ao desenvolvimento de eventos adversos e falhas vacinais. Esses indivíduos não poderão ser considerados como devidamente imunizados, no entanto, neste momento, não se recomenda a administração de doses adicionais de vacinas COVID-19”, diz a nota da SES.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais