Servidores da FHS anunciam indicativo de greve para 15 de julho

0
A decisão foi tomada após um ato de protesto realizado em frente a MNSL (Foto: Sintasa)

Servidores da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), representados pelo Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), anunciaram na manhã desta terça-feira, 6, um indicativo de greve para o dia 15 de julho. A decisão foi tomada após um ato de protesto realizado em frente a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL).

Segundo a Assessoria de Comunicação do Sintasa, os trabalhadores optaram pelo indicativo de greve após não receberem da Secretaria de Estado da Saúde (SES) o documento da pasta oficializando a proposta de pagamento no valor de R$ 600 mensais referente ao tíquete-alimentação.

“Essa reivindicação dos trabalhadores foi aceita numa reunião realizada na semana passada. Mas até hoje, a SES ainda não mandou o documento formalizando o que foi combinado”, diz. Ainda de acordo com a Assessoria, essa demora de enviar a documentação foi o estopim para o ato desta manhã.

“Os trabalhadores já vêm negociando com a SES há muito tempo. Essa série de reivindicações está ligada ao Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). O sindicato ainda pleiteia outros direitos que estão em negociação”, destaca a Assessoria.

FHS

Em nota, a FHS  informou que Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) foi recebido na manhã desta terça-feira, 06, pela diretoria da Fundação Hospitalar de Saúde (SES), quando reconheceram os avanços na concessão de tíquete-alimentação e auxílio-creche. Na pauta do encontro, a formalização da proposta, com estabelecimento de prazos para o pagamento dos benefícios.

“Foi informado que na próxima terça-feira, 13, haverá reunião com Conselho Curador para definição de deliberações e na quarta-feira, 14, a Fundação Hospitalar de Saúde encaminhará ofício ao sindicato da categoria com os prazos estabelecidos, segundo informou o diretor da Fundação Hospitalar de Saúde, Jorge Kleber, reafirmando o compromisso da gestão em atender os profissionais”, diz a FHS.

Por fim, a FHS salientou que “a partir do pleito dos trabalhadores elaborou a proposta de pagamento de tíquete alimentação no valor de R$ 600, sendo concedido de forma escalonada, considerando a disponibilidade dos recursos do Estado”.

Por João Paulo Schneider 

A matéria foi alterada às 12h22 e às 17h52 do dia 06/07/21 para acréscimo do posicionamento oficial da FHS e correção de informação.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais