Sindimed reage com preocupação à terceirização da saúde na PMA

0
Prefeito garante reabertura de unidade de saúde nesta terça-feira (Foto: Portal Infonet)

O Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed) reage com preocupação à decisão do prefeito Edvaldo Nogueira em terceirizar, a partir de um contrato emergencial com uma empresa privada, a prestação dos serviços de saúde na Unidade de Pronto Atendimento Zona Norte [Nestor Piva].

Atualmente, os médicos foram contratados pelo sistema RPA [Recibo por Pagamento Autônomo] e a partir desta terça-feira, 8, os serviços serão ofertados pela empresa Centro Médico de Trabalhador Ltda, conforme informações do próprio prefeito Edvaldo Nogueira. A mudança é preocupante, na ótica do tesoureiro do Sindimed, Argemiro Macedo. “Queremos saber qual o velor desse contrato, Será que essa empresa terá condições de suportar atrasos de pagamento por um período superior a 30 dias?”, destacou Argemiro Macedo.

O médico acredita que a própria empresa terá dificuldade de encontrar profissionais dispostos a prestar o serviço. “Os médicos estão revoltados, não têm interesse em trabalhar como PJ [pessoa jurídica] e estão até chateados com esta empresa que vai entrar”, diz Argemiro Macedo. “O sindicato vê com certa apreensão. Antes, a prefeitura não tinha recursos para pagar os médicos, agora já tem para contratar empresa?”, questiona.

Reunião

O prefeito Edvaldo Nogueira esteve reunido com o governador Belivaldo Chagas no final da manhã desta segunda-feira, 7, na sede da Prefeitura de Aracaju, momento em que ocorre os problemas gerados pela falta de atendimento nas duas unidades de urgência e emergência da capital sergipana. O prefeito informou a medida ao governador e eles fecharam parceria para uma maior integração do Estado e Prefeitura com o objetivo de melhorar a prestação dos serviços médicos à população.

Ainda este mês, conforme anunciaram o prefeito e o governador ao final da reunião, as equipes das Secretarias de Saúde do Estado e do Município estarão reunidas para debater a questão e buscarão maior entrosamento para criar uma rede única de atendimento na capital.

Segundo o prefeito, haverá uma comissão especial que fará o monitoramento da prestação de serviços e não descarta a possibilidade da prefeitura realizará processo licitatório para firmar um contrato definitivo.

Por Cassia Santana

Comentários