Três bairros de Aracaju recebem o fumacê costal esta semana

0
Durante todo ano a Prefeitura trabalha aplicando o fumacê costal (Foto: Silvio Rocha)

Seguindo o Plano de Intensificação das Ações, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), mantém o trabalho de combate ao Aedes aegypti e divulga as atividades de combate ao mosquito que serão desenvolvidas ao longo desta semana.

Até o momento, o Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti já notificou, em Aracaju, 1.259 casos de dengue, 1.326 chikungunya, e 35 de zika. De acordo com o gerente do Programa, Jeferson Santana, a mobilização tem como meta combater o vetor, evitar epidemias e óbitos em decorrência de doenças como a dengue, chikungunya e zika.

“Nesta quarta, dia 16, no bairro Jabotiana, já na quinta-feira, dia 17 no bairro Porto Dantas e na sexta-feira no bairro Novo Paraíso. A aplicação do fumacê costal é realizada por duplas de agentes, que atuam entre quatro e sete quarteirões, sempre no horário entre às 17h e 19h, que é o horário em que ocorre uma maior movimentação vetorial do mosquito. É importante destacar que a aplicação do fumacê não diminui a responsabilidade do cidadão, que precisa ficar atento ao acúmulo de água em casa”, explica.

Dados

Os bairros incluídos no cronograma desta semana são locais onde se tem registro de infestação do mosquito e que, historicamente, preocupam pelo número de casos.

“O bairro Jabotiana, apresenta 63 casos notificados de dengue, 65 casos de chikungunya, e sete casos de zika. O bairro Porto Dantas apresenta 94 casos notificados de dengue, nenhum caso de chikungunya. E o bairro Novo Paraíso apresenta 17 casos notificados de dengue, 11 casos de chikungunya, e nenhum caso de zika. Dessa forma, as ações desenvolvidas se tornam mais necessárias, e o apoio da população é fundamental”, enfatiza.

Colaboração da população

Jeferson reforça que a população pode identificar e eliminar possíveis focos. E nesse período de pandemia e distanciamento social, a colaboração de todos é fundamental. “O trabalho dos agentes continuam nas residências, realizando a ação de educação e saúde. Orientamos o morador a fazer uma busca detalhada no imóvel, e numa possível identificação de algo de risco, ele possa fazer o controle. A mudança entre sol e chuva geralmente leva ao acúmulo de água, daí é importante que o morador perceba essa característica desse depósito e elimine”, orienta.

Fonte: SMS

Comentários