UBS Ávila Nabuco inicia atividades do Outubro Rosa

0
A ação educativa aconteceu nesta quarta-feira, 3 (Foto: SMS)

Em alusão ao Outubro Rosa, mês de atenção voltada à prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama, a Unidade Básica de Saúde (UBS) Ávila Nabuco, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), promoveu na manhã desta quarta-feira, 3, uma ação educativa para os usuários e trabalhadores.

A palestra ministrada pela enfermeira do Programa Municipal de IST/Aids, Marília Uchôa, abordou a prevenção do câncer de mama e colo do útero, e também destacou o surgimento do movimento do Outubro Rosa no mundo. “O Outubro Rosa é um movimento que foi criado na década de 80 nos Estados Unidos, onde algumas mulheres com câncer de mama resolveram fazer uma corrida e chamar a sociedade para conhecer esse problema que acomete muitas mulheres. O movimento foi crescendo e hoje faz parte do calendário da saúde”, disse.

Com o foco principal de conscientizar as mulheres na prevenção desta doença, a enfermeira ensinou o método para o autoexame na mama e explicou que é necessário fazê-lo uma vez ao mês, de cinco a dez dias após a menstruação. Para as mulheres que não menstruam mais, deve-se fazer uma vez ao mês, em uma data fixa.

Importância da prevenção

“Ao notar qualquer coisa diferente, seja um nódulo na mama ou axila, irritação na pele ou com outra textura, dor na mama, inchaço, ou alguma secreção, procurem o posto médico. O passo seguinte será fazer uma ultrassonografia e para as mulheres acima dos 40 anos, uma mamografia. O profissional vai examinar para saber qual a necessidade de cada uma”, explicou.

De acordo com a gerente da Unidade, Ana Lúcia Souza, todos os trabalhadores ajudaram a sensibilizar a comunidade para esta atividade. “Nossas ações tiveram como foco não apenas o Outubro Rosa, mas também o Dia Nacional de Combate à Sífilis e Sífilis Congênita, que é celebrado no terceiro sábado de outubro.

A senhora Maria Santos, de 50 anos, disse que desde a adolescência faz exames periódicos. “Quando eu era adolescente percebi que tinha um nódulo no peito e logo fui ao médico. Fiz exames, inclusive uma biópsia, e descobri um nódulo sólido devido a uma bolada que levei jogando handball, mas não era maligno. Foi feita a cirurgia para a retirada e eu não tive mais problemas, inclusive amamentei os meus dois filhos”, disse.

Sífilis

Neste mês de outubro, além do próprio Outubro Rosa, a SMS tem ações voltadas para o Dia Nacional de Combate à Sífilis e à Sífilis Congênita. Marília Uchôa, reforçou a necessidade de se tratar sobre a doença, que é silenciosa, e às vezes não apresenta sintomas, apenas uma ferida no órgão genital que não coça, não dói e some, mas a bactéria continua no sangue.

“Hoje, o número de crianças que nascem com sífilis ainda é muito grande, e o principal problema é quando a mulher grávida tem a doença, não trata e acaba transmitindo para o bebê. Isso é o que a gente chama de transmissão vertical e essa criança nasce com sífilis congênita. É uma doença de fácil tratamento, feito nas UBS e que tem cura. É importante frisar a necessidade de se fazer o pré-natal e que os parceiros também se tratem”, disse Marília.

Durante a ação, a agente comunitária da SMS, Adriana Menezes, ressaltou a importância da palestra e do conhecimento nos cuidados a serem tomados para prevenir doença. “Juntos com todos os profissionais, pudemos alertar sobre os perigos do câncer de mama, além de incentivar os usuários na busca da saúde, fazendo as consultas e os exames preventivos”, afirmou.

Fonte: PMA

Comentários