A 21ª edição da revista Cumbuca será lançada em clima natalino

0
A publicação será lançada no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe dia 20 de dezembro, às 17h (Foto: Segrase)

O Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe – IHGS será palco de mais um lançamento da revista Cumbuca, que chega a sua 21ª edição. O evento que acontece dia 20, às 17h, reunirá a personagens da cultura sergipana, política e sociedade civil.

A publicação da Editora Diário Oficial do Estado de Sergipe – Edise, órgão suplementar da Empresa de Serviços Gráficos de Sergipe – Segrase tem como editor o jornalista Amaral Cavalcante, e conta com a produção da jornalista Cândida Oliveira. A Cumbuca vem ganhando cada vez mais notoriedade pela sua diversidade e abordagem cultural, principalmente no que diz respeito a Sergipe.
A 21ª edição entra no clima natalino, e apresenta também a mescla de religiões, músicas, poemas, entre outros. A capa desta edição foi produzida por Carol Patriarca, com fotos de Adilson Andrade. Há também um artigo da historiadora Aglaé Fontes sobre o verdadeiro significado do Natal e o nascimento menino Jesus. Uma crônica da escritora Núbia Marques (in memoriam) traz uma crítica sobre a excessiva comercialização dos temas natalinos em detrimento à simbologia religiosa que a data reveste.
A pesquisadora Janaína Couvo apresenta as atividades de encerramento do ano no Abaçá São Jorge, um dos mais importantes templos do candomblé em Aracaju, fundado pela Babalorixá Erundina Nobre Santos, conhecida como mãe Nanã Manadeuí e atualmente dirigido pela sua filha de santo a Yalorixá, Marizete Silva Lessa. Realizada todos os anos durante o mês de dezembro, a festa de Iansã é a principal festa do Abaçá São Jorge. Trata-se de uma festa religiosa que acontece durante quatro dias, mas tem seu momento mais representativo no dia 04 de dezembro, dia dedicado a Iansã.
“Quem tiver amor que reggae”. O jornalista Rian Santos nos traz uma matéria sobre a banda de reggae ‘Reação’. Thiago Ruas opina sobre o grupo, “É um reggae muito legítimo e original. Eles foram um exemplo para mim, quando eu estava começando no reggae, uma referência de música e de conduta”.
O jornalista Álvaro Müller relata o sucesso do grupo sergipano ‘As Moendas’, que na década de 1970 percorreu o mundo acompanhando em shows e recitais de Bossa Nova a celebre dupla Vinicius de Moraes e Toquinho.
Ainda nesta edição da Revista Cumbuca, o jornalista Pascoal Maynard apresenta o trabalho do escultor Josemir da Silva Costa (Ofá Modé). E há também os poemas do artista plástico e poeta Flávio Antonini, que são apresentados com ilustrações do próprio autor. Flávio explora temas como sexualidade e absurdo, tendo no currículo algumas exposições individuais realizadas em Aracaju. Em seguida, uma resenha feita por Zeza Vasconcelos, da obra “O Anofelino Solerte”, do escritor Marcos Cardoso, editado recentemente pela Edise.
E por fim, encerrando esta edição, um interessante relato de João Augusto Gama, e pelo escritor Chico Varela, sobre as atividades de resistência cultural empreendidas pelo Centro Popular de Cultura, em plena ditadura militar, do qual tomaram parte.
O presidente da Segrase, Ricardo Roriz, afirma ter ficado feliz com a última edição da Revista Cumbuca de 2018. “Dessa vez, não apenas trazendo a diversidade cultural, como também abordando temas festivos para o final de ano, a Cumbuca, mais uma vez, preenche e assume o papel de vanguarda para contribuição de informação e cultura no Estado de Sergipe”.
O que: Lançamento da 21ª edição da revista Cumbuca
Quando: 20 de dezembro de 2018
Onde: Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe – Rua Itabaianinha, 41, Centro, Aracaju (SE)
Fonte:  ascom Segrase

 

Comentários