Especialista esclarece mitos e verdade sobre o silicone

0
Cirurgião plástico, Ricardo Araújo, esclareceu as principais dúvidas sobre os implantas mamários (Fotos: Portal Infonet)

Apesar de queridinho entre as brasileiras, o implante mamário ainda provoca insegurança entre as mulheres. O cirurgião plástico Ricardo Araújo participou de um bate papo com a Infonet e explicou que a cirurgia é simples, tem recuperação rápida e não atrapalha em nada a vida das pacientes. Confira detalhes!

Um dos assuntos mais polêmicos é o tamanho do prótese. Como escolher? De acordo com Ricardo Araújo, a escolha deve resultar de uma decisão em conjunto entre paciente e cirurgião. “O primeiro critério é o desejo da paciente. A gente tem que respeitar isso, e em seguida, avaliar a necessidade e a idade da mulher. Para chegar ao tamanho ideal, a gente observa a largura dos ombros, do quadril e o quanto a paciente tem de mama. Também é utilizado um molde. A paciente vai com uma blusa justa, coloca a prótese por cima do peito e aí obtém uma noção de como ficaria após a cirurgia”, detalha.

O cirurgião explica também que o implante mamário não prejudica a amamentação e a sensibilidade dos seios. “A maioria das pacientes que faz a cirurgia é formada por mulheres que nunca tiveram filhos. A prótese fica abaixo da glândula mamária e não vai interferir na produção de leite. Quem faz o implante vai poder amamentar tranquilamente. Quanto à sensibilidade, há uma diminuição ou aumento após a cirurgia, mas com dois ou três só 2% das pacientes sentem diferença, ou seja, 98% continua normal”, detalha.

Ricardo Araújo explica que a cirurgia é simples e tem rápida recuperação 

Outra dúvida bem comum nos consultórios envolve os diagnósticos de exames de imagem, como mamografia ou ultrassom. “Os equipamentos atuais têm uma grande capacidade de visualização e os resultados podem ser complementados com ressonância magnética. Então, a prótese não vai inteferir no rastreio de um possível câncer de mama”, tranquiliza.

A preocupação com a validade da prótese também não existe mais. “As próteses mais modernas, principalmente as americanas, são vitalícias. Então, ao longo do tempo, a paciente pode ir rastreando com ultrassom, ressonância e tomografia para ver como está a prótese”.

Recuperação e cicatrização

A recuperação e cicatrização também não precisam ser motivo para dor de cabeça. Ricardo Araújo destaca que a cirurgia dura em média 50 minutos e tem recuperação rápida.  “Geralmente, são 21 dias para voltar a dirigir. A paciente deve ficar com o braço colado ao corpo, mas com o antebraço livre para movimentos. No caso das atividades físicas, são 30 dias para fazer perna e 60 dias para malhar os braços.  De um modo geral, quem faz atividade de escritório pode voltar as atividades com 7 dias, dirigir com 21 dias e fazer atividades que peguem peso com 45 dias”.

A cicatrização, conforme o cirurgião, é pequena e mede no máximo 3,5 cm. "Normalmente se faz um corte em meia lua na aureola ou um corte abaixo do seio. Caso a paciente tenham uma cicatrização ruim, essa marca abaixo do peito vai ficar esconcida”, conta.

Desmistificando

É muito comum que as mulheres optem pelo implanta de silicone, achando que vão levantar os seios, o que não é verdade. “A prótese só serve para aumentar o seio. Ela não levanta. Muita gente  tem a ilusão de que a prótese vai levantar o peito, quando a verdade, a prótese é um peso como qualquer outro, que faz com que a mama vá cedendo e caia", explica. 

por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais