10 Anos. Comemorar, não. Lutar, sempre

0

      “O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Alguém já disse que a maior certeza da vida é que ela é incerta e efêmera. Tudo muda, não só o tempo, pessoas surgem e desaparecem, vivem por algum tempo e morrem.  Mas historia fica, principalmente para os que marcaram suas passagens aqui na Terra.

Uma coisa é certa. Este espaço pode desagradar muita gente, pode ser criticado por muitos também, pode ser destacado por meia dúzia de leitores, mas não se perderá no vento do tempo. Alguém, quando escrever sobre o início do jornalismo na rede em Sergipe, lembrará deste espaço. Não é piegas, nem pretensão profissional: é fato.

Há dez anos, em 15 de maio de 2006, o blog foi lançado na Infonet. Detalhe: um mês antes, pela primeira vez, depois de passar

 por vários meios de comunicação, as portas foram fechadas numa tentativa de alijar este jornalista do processo eleitoral por conta das denúncias e análises críticas. Através de um convite do amigo e eterno repórter, Ivan Valença, foi iniciada uma parceria vitoriosa logo no primeiro ano, quando a maioria esmagadora dos meios de comunicação de Sergipe fecharam os olhos para o que ocorria nas eleições 2006.

Até hoje o blog guarda um e-mail recebido após o resultado eleitoral de 2006, nunca revelado a ninguém: “Você, pelo seu esforço pessoal, pela sua competência, pela sua credibilidade, pela sua coragem e pelo seu senso de justiça tornou-se, neste conturbado ano, o mais importante colunista da nossa imprensa. Era na sua coluna que todos nós, políticos da oposição ou cidadãos independentes, procurávamos a opinião, a informação e  os fatos escritos com independência e espírito crítico… Sempre à sua disposição, Déda, o "velho" professor.”

O blog nunca teve a intenção de ser o melhor e muito menos o dono da verdade. É apenas um espaço onde analisa um fato, principalmente político, do ponto de vista de um ser humano. Jornalistas e jornais, do mundo inteiro, tem posições  políticas claríssimas. Ser verdadeiro é uma coisa, dissimular é covardia. O fato jornalístico é indestrutível, a opinião – não!

Ninguém passa 10 anos na mídia se não tiver credibilidade, ética e procurando sempre a inovação.

O leitor deste espaço sabe que não pode e não deve absolver tudo que recebe pela mídia. Seja deste blog ou de qualquer outro meio. É preciso refletir e analisar.

Neste momento delicado que o país passa, o blog vem recebendo algumas críticas duras, pela posição clara contra o golpe. Não teria outra opção por uma formação ideológica clara e por não aceitar que a corrupção seja combatida apenas de um lado.  O blog deseja apenas que todos corruptos saiam. E Temer é Corrupto sim!

Por isso, neste momento tenebroso, que alguns preferem se calar e ficar em cima do muro, o blog continuará como uma pequena trincheira em defesa da democracia e da liberdade. É a lição aprendida ao longo da vida e a mesma citada no e-mail acima do professor (Colégio Visão, 1980) Déda.

Como escreveu o poeta norte-americano Robert Frost: “em duas palavras posso resumir tudo que aprendi sobre a Vida. Ela Continua.“

E o blog acrescenta: ela continua, basta ter coragem, basta ser rebelde.

Um breve descanso de alguns dias para reflexão

O blog pede a compreensão da meia dúzia de leitores para a necessidade de um breve descanso de alguns dias, não só para reflexão, mas também para tratar de assunto de interesse particular. Se tudo correr bem, se não instalarem um novo AI-5, o blog volta na próxima semana. Saúde e Paz para todos e, antecipadamente, o blog agradece as mensagens pelo aniversário de 10 anos.

Aos hipócritas. Quem quiser que vista a carapuça
Se você combate a corrupção e deseja que todos envolvidos sejam afastados parabéns! Está do lado certo. Porém, se você só vê a corrupção em Dilma, Cunha e esquece a corrupção de Temer, Renan e Companhia. Temer deu pedaladas, e o mais grave, foi denunciado na Lava Jato: R$ 5 milhões da OAS. Se este é o presidente que você deseja para o Brasil…

O absurdo do deputado Valmir Monteiro
Na última sexta-feira, durante entrevista a Gilmar Carvalho, na Mix FM, o deputado Walmir Monteiro sugeriu que governador Jackson Barreto vendesse o Banco do Estado de Sergipe, uma forma, segundo o parlamentar, de ajustar as contas públicas do governo. Sem dúvida, uma ideia absurda, considerando a importância do Banese para a economia do Estado. O parlamentar, de atuação pífia na Assembleia, precisa ser mais cauteloso ao emitir suas opiniões.

Pesquisa aponta que Judiciário é o Poder menos transparente
O Judiciário é o Poder menos transparente e deixa de informar itens de divulgação obrigatória por lei. Dos 27 tribunais de Justiça, o de Sergipe foi o mais bem avaliado no ranking. Os piores foram os do Piauí e de Rondônia. Na pesquisa, foi constatado ainda que os TJs não têm verba definida para investir em transparência pública.

Acesso
O resultado foi apresentado na última quinta-feira em debate para comemorar os quatro anos da Lei de Acesso à Informação. A auditoria foi feita pela organização sem fins lucrativos Artigos 19, com atuação principalmente em liberdade de expressão e transparência pública. (Informações do Jornal Estado de São Paulo).

Estacionamentos no centro: edifício garagem e no “balanço do rio Sergipe”. Promessas não cumpridas.
Na campanha de 2012, e em 22 de maio de 2013  (http://www.aracaju.se.gov.br/index.php?act=imprimir&codigo=54447) em almoço com empresários e representantes da CDL, o prefeito João Alves anunciou que dois novos estacionamentos no centro da cidade. O primeiro seria construído em balanço no rio Sergipe, ou seja, sem aterrar nenhuma parte do rio. O espaço seria compreendido entre o Mercado Municipal e o Cotinguiba. Seria um estacionamento multiuso onde aos fins de semana seria um espaço de lazer. O outro seria um edifício garagem ao lado do mercado municipal.

Temer e o governo ilegítimo
Hoje , 16, o deputado estadual Francisco Gualberto (PT) fará um duro discurso na tribuna da Assembleia para dizer à população que não reconhece a legitimidade do governo de Michel Temer. Enquanto parlamentar sergipano, Gualberto dirá que é impossível ver legitimidade num governo que ascendeu ao poder através de um golpe institucional contra Dilma Rousseff.

Voto popular
“Defendemos governo que chega ao poder através do voto popular, com todas as garantias da Constituição. Mas não um governo claramente golpista, como esse que estamos começando a ver no Brasil”, disse.

Japaratuba: oposição procura candidato ficha limpa
Em Japaratuba a oposição, comandada pela ex-prefeita procurar encontrar um candidato ficha limpa, já que quase todos, principalmente da família, tem problemas no TJSE, por improbidade administrativa, no celebre processo de Pirambu. Já o atual prefeito, mesmo com a crise, vem conseguindo emplacar algumas obras e atender as demandas da comunidade.

Comissão Estadual da Verdade: depoimento Ana Côrtes, na quinta, 19
A assistente social Ana Côrtes , revelará em seu depoimento a Comissão Estadual da Verdade, histórias de vida universitária, clandestinidade, prisão, resistência e solidariedade na luta das mulheres pela Anistia e organização do Sindicato das Assistentes Sociais.

Luta
Ana Côrtes, foi presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Serviço Social em 1967, graduou-se na Faculdade de Serviço Social em 1968, viveu na clandestinidade como operária metalúrgica em São Paulo e na zona canavieira de Pernambuco de 1969 a 1974; foi presa política no DOPS em Recife 1974; foi presidente do Sindicato das Assistentes Sociais , membro do Conselho Fiscal do Conselho Federal das Assistentes Sociais e Secretária de Assistência Social em 1986 e 2002 na Prefeitura de Aracaju.

Museu
A audiência será realizada na próxima quinta-feira, dia 19 de maio, a partir das 8 horas, no Museu da Gente Sergipana, continuando o calendário das sessões públicas, da Comissão Estadual da Verdade, Paulo Barbosa de Araújo.O evento é aberto ao público interessado e é momento de resgate da memória e da verdade, em defesa dos direitos humanos e do Estado Democrático de Direito, tão fragilizado nos dias de hoje.

Legião Urbana 30 Anos em Aracaju. Lote promocional até amanhã,17
Com os remanescentes da formação primeira da banda,  Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos, a Legião Urbana fará um show no

próximo dia 20 em Aracaju, dentro da nova turnê “Legião Urbana XXX”, com a participação de vários outros músicos convidados. O show será na Arena de Eventos, na Coroa do Meio e terá o show de abertura com a banda sergipana Mary Joe. E ainda tem a eletrohouse do DJ Cello.  Ingressos Central do Ticket, no Shopping RioMar. Lote promocional até amanhã, 17.

PELO TWITTER

www.twitter.com/JoseRollemberg   "Espírito, Espírito, que desce como fogo: vem como em Pentecostes e encha-me de novo!" Bom dia.

www.twitter.com/alanbarretoso   Governo golpista ou vai que cola?

www.twitter.com/Juares_Calado  Criei muitos slogans comerciais. Mas esse político-social me satisfaz imensamente: SEM GLOBO SE SABE MAIS.

www.twitter.com/igormangueira  "Quando o extraordinário se torna cotidiano é a revolução".

www.twitter.com/LeonardoBoff  Meu temor é que não contentem com o golpe parlamentar os golpistas no governo introduzam o golpe policial contra manifestantes e transeuntes.

www.twitter.com/Nilson_de_Vix A nova (!) narrativa para legitimar o golpe é de que o governo Temerário é ruim mas, necessário (sic).

ARTIGO

Sobre o golpe leviano e vulgar chamado impeachment por Jorge Santana*

No modelo ocidental de Democracia, o voto é o único instrumento que garante a sua legitimidade. Ele pode ser influenciado, manipulado, até comprado, mas jamais pode ser cassado.

A única excepcionalidade permitida nos regimes presidencialistas é o impeachment, cuja aplicação é rara porque requer uma motivação naturalmente excepcional.

O que está havendo no Brasil, inobstante o esforço inútil dos que querem justificar o injustificável, é simplesmente um golpe leviano e vulgar, um atentado à Democracia, perpetrado por um conluio formado pelos derrotados de 2014, por traidores que até ontem eram "aliados", aqui incluído Temer, por  setores majoritários de uma mídia para cuja desqualificação não encontro adjetivos, tudo isso, obviamente, patrocinado pelo maior de todos os interessados, o todo poderoso "mercado".

Temer, seu ministério medíocre, os assustadores retrocessos e o receituário austericida que começa a ser aplicado, seriam plenamente aceitáveis se decorressem de um projeto aprovado pelas urnas, como uma eventual vitória de Aécio ou como acontece na Argentina onde não há como questionar a legitimidade do governo Macri.

A debilidade e a baixíssima popularidade do governo Dilma são merecedores de severas críticas, porém nada disso justifica cassar o seu mandato, ao contrário, abre-se um perigosíssimo precedente.
As cenas dos primeiros dias do "novo" governo enchem de vergonha qualquer brasileiro minimamente consciente: um presidente sem ideias e sem carisma; um ministério que mistura notáveis pilantras com oportunistas contumazes; as medidas estapafúrdias como a extinção do Ministério da Cultura, a "fusão" de Ciência e Tecnologia com Comunicações, o esvaziamento do MDIC e um festival de outros "cortes" que irão sacrificar programas que foram duramente conquistados nas últimas décadas.

Se espaço houver para algum otimismo,  residirá na esperança de que esta será uma guinada à direita, com lamentável retrocesso, forçando o fim do ciclo de um governo de esquerda que patrocinou enormes avanços, embora cometendo erros imperdoáveis, tudo isso abrindo caminho para um futuro governo socialdemocrata.

*Empresário e ex-secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico.

ARTIGO

Onde estão as mulheres?  Por Moacir Poconé*

Meses atrás, uma reportagem da revista Veja causou polêmica. Com o título “Bela, recatada e do lar” exaltava as qualidades da agora primeira-dama Marcela Temer, destacando o fato que a referida senhora não trabalhava e se dedicava somente a seu esposo, numa relação de dependência e submissão, dentre outras características que pareciam perdidas em séculos passados. Justamente o que as mulheres (as comuns) vêm se esforçando para quebrar: o paradigma de que devem ser as donas de casa em lugar de uma vida pessoal independente.

Pois bem. Percebe-se agora que o presidente interino leva tal pensamento realmente a sério, a ponto de não nomear uma mulher sequer para um de seus ministérios. Mais da metade da população brasileira ficou, de repente, sem ter uma pessoa de seu gênero na Esplanada dos Ministérios. E antes que os apressados o defendam, alegando que o que importa é a competência, independente do sexo, ao menos sete dos ministros escolhidos são investigados pela Operação Lava Jato, para citar apenas um fato suspeito. Negro também não há. Somente homens, brancos e heterossexuais, para ilustrar de forma irrefutável o ideal do ser humano perfeito.

O fato foi tão debatido nas redes sociais e causou tanta estranheza que logo se buscou a História. E, de forma surpreendente, foi observado que o último governo presidencial a não ter uma mulher no primeiro escalão foi o do General Ernesto Geisel, no longínquo ano de 1974, ou seja, já se vão 42 anos. Ainda nos tempo da Ditadura Militar. Uma ótima referência para um governo que, assim como o do século passado, também não recebeu um voto sequer do povo brasileiro.

Mas não parou por aí. Para deixar bem claro que as minorias históricas não serão amparadas por seu governo, extinguiu o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, bem como o Ministério da Cultura. Logo, o Ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, trouxe uma explicação para o caso da falta de mulheres, numa daquelas frases em que a emenda sai pior que o soneto: “Elas ocuparão as secretarias”, referindo-se a cargos de segundo escalão. É. Para Temer, as mulheres não passam de secretárias. A dele, do lar. As demais que sigam o seu exemplo.

*professor e servidor do Tribunal de Justiça.

Blog no twitter: http://www.twitter.com/BlogClaudioNun

Frase do Dia
“Se o espírito crítico cessar, apaga-se a chama da independência e da credibilidade.” Cláudio Nunes.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários