A característica do sergipano

0

Antes de Aracaju, eu morei na Região Sudeste e na Região Sul do País e é natural ver existir grandes diferenças entre os hábitos e costumes dos moradores dessas regiões. Algumas coincidências existem entre os hábitos e costumes dos moradores das Regiões Sul e Sudeste o que faz com que uma comparação possa ser feita entre o sergipano e os moradores daquelas regiões. Aqui como lá, nos vendedores ambulantes, compramos frutas, que são quantificadas e vendidas em latas: “Uma latinha de acerola é um real!” A grande diferença entre aqui e lá é que enquanto os vendedores daqui, além das frutas contidas nas latas, ainda fornecem um porção de frutas como agradecimento. Lá, os vendedores amassam as latinhas para que tenham um ganho extra com a menor quantidade de frutas nas latinhas. Um outro fato. Próximo à minha residência há um ponto de táxi e ali assisti isto. Uma senhora dirigiu-se a um dos motoristas e procurou saber onde ficava uma determinada rua. O motorista ouviu e assim respondeu à senhora: “Esta rua fica logo ali, mas espera aí. Nosso colega está saindo para atender a um chamado, vai passar por esta rua e vai levar a senhora até lá”. Aí gritou: “Olha aí, esta senhora quer ir para a rua X. Como você vai passar por lá, deixa ela lá”. Enquanto isto, nas Regiões Sul e Sudeste, se você solicitar um táxi para cobrir uma pequena distância vai sofrer uma série de desaforos. Um outro fato. Também, próximo a minha residência existia um restaurante árabe e numa determinada noite, lá estavam alguns turistas árabes, com suas roupas típicas, deglutindo a comida árabe. Não vi sergipano algum, que por ali passou, divertir-se, nem zombar pela forma como estavam os árabes vestidos. Enquanto isto, lá onde morava, antes de vir para Aracaju, na Empresa em que trabalhava, fora trabalhar um indiano recém chegado ao Brasil. Por isto ele mantinha o hábito de usar um turbante. Nos sábados, quando saiam, ele e a esposa, para fazer compras no centro da cidade eram motivos de gozações, risos e desrespeito, por causa das roupas que vestiam. Por estes fatos, eu vejo o sergipano como um ser acolhedor, não ganancioso e com muito respeito com o seu semelhante. E eu me pergunto: Com os exemplos de ganância, desrespeito e violência que a mídia, principalmente a televisão, nos traz, até quando essas características do sergipano prevalecerão? Edmir Pelli é aposentado da Eletrosul e articulista desde 2000 edmir@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais