AGRESSÕES DO MINISTRO

0

O deputado federal João Fontes (PDT) vai se mobilizar em Brasília, para adotar todas as providências possíveis, a fim de buscar apoio de membros do Congresso contra a ação do ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, que está usando a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), para vasculhar a vida dos parlamentares, sindicalistas, técnicos, lideranças políticas e até governadores que sejam contra à transposição das águas do rio São Francisco para o Nordeste Setentrional. Segundo João Fontes, com testemunho até de membros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o ministro Ciro Gomes determinou a um dos seus assessores que “levantasse a minha ficha e do deputado estadual Augusto Bezerra, além de técnicos que contrariavam a sua posição”, junto à tal Abin. O que foi feito imediatamente. Para surpresa de João Fontes, até a sua separação recente da mulher estava registrada em sua ficha. Os dados são atualizado, o que passa a impressão que o pessoal da deduragem vive atento à vida de segmentos importantes da política brasileira, sem perder qualquer detalhe que aconteça no dia-a-dia do cidadão.

 

João Fontes vai passar o dia de hoje conversando com parlamentares, inclusive aliados do governo, além de fazer um pronunciamento na Câmara, para mostrar que o sistema de informação montado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva não é muito diferente do que fora utilizado pela ditadura militar, que instalou o Serviço Nacional de Informação (SNI), que instalou um arquivo imenso de todos os brasileiros que aparentavam discordar ao sistema de exceção ou defender a democracia. O próprio Luiz Inácio Lula da Silva, quando líder sindical que mobilizou milhares de metalúrgicos, tinha sua ficha marcada pelo SNI e tida como “suja”, porque contrariava os interesses da ditadura. Lógico que um serviço de informação é natural em qualquer Governo, mas jamais para ser utilizado como instrumento de perseguição a quem não concorda com as aberrações de algumas medidas presidenciais ou discorda da decisão insana de um ministro de Estado.

 

Afinal de contas, para que o ministro Ciro Gomes quer saber da vida dos deputados João Fontes e Augusto Bezerra? Que decisão ele pretende adotar contra quem não reza na cartilha de um governo desastroso, que traiu a esperança de um povo, que acreditou nas promessas de um retirante que se tornou presidente e optou pelas elites?

 

Sergipe, por adotar uma posição firme contra a transposição das águas do São Francisco para o Nordeste Setentrional, está sob perseguição de um Ministério da Integração Nacional, por mero capricho de um ministro autoritário, prepotente e que resolveu prejudicar milhões de brasileiros, simplesmente porque integra um Governo que não dialoga, não sabe retroceder nos erros e passa por cima de tudo que lhe for contraditório, em nome de estranha deliberação para favorecimento de empreiteiras. O presidente Lula deve ter consciência que está politicamente equivocado, mas já não tem força para conter a insanidade de um dos seus auxiliares que, quando candidato a presidente da República, apresentou ao eleitorado um projeto hídrico que combatia a transposição do rio São Francisco. Até mesmo os aliados do presidente que se mostram favoráveis à revitalização antes de se pensar em transposição, são agredidos pelo ministro Ciro Gomes, como o foi o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT).

 

O governador João Alves Filho viajou ontem à Brasília para vários compromissos. Entre eles uma reunião com membros da Direção Nacional do PFL, para relatar, inclusive com a apresentação de cópia da gravação do discurso, as agressões que o ministro Ciro Gomes lhe fez publicamente, sem respeitar a sua ausência. João Alves não vai responder, mas o partido deve tomar uma posição para tentar deter um cidadão que, por estar à frente de um Ministério, se acha com autoridade suficiente para achincalhar qualquer cidadão, seja governador, prefeito, senador, deputado ou outro que discordem de suas fixações. Evidente que os insultos do ministro e o exagero de investigar a vida do cidadão que o contesta têm que ser denunciados e repudiados por todos aqueles que hoje se imaginam em uma democracia.

 

 

EXONERAÇÃO

O procurador de Justiça Luiz Mendonça foi exonerado da Secretaria de Segurança Pública, por decisão do juiz Edmilson Pimenta, da Justiça Federal. O novo secretário, já nomeado pelo governador João Alves Filho, é Paulo Ferreira, que ocupava o cargo de superintendente da Polícia Civil.

 

APELAÇÃO

O Governo do Estado, através da Procuradoria Geral, continua aguardando a decisão da segunda instancia, para que Luiz Mendonça retorne à Segurança. Ainda cabem dois recursos contra a decisão do juiz Edmilson Pimenta, e o Governo pretende recorrer até a ultima instância.

 

MACHADO

O deputado José Carlos Machado (PFL) vai fala segunda-feira na Câmara, para mostrar razões técnicas do governador João Alves Filho, contra a transposição do rio São Francisco. Machado aproveita para lamentar a atitude emocional do ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, que agrediu verbalmente o governador João Alves Filho.

 

INTELIGENTE

O senador José Almeida Lima (PSDB) disse ontem que apesar do ex-governador Albano Franco ser um homem inteligente, compreendo perfeitamente os sinais que ele procura dar. Segundo Almeida, “quando Albano Franco diz que vai para o Norte é porque está indo para o Sul”.

 

ACORDO

Os membros da Direção Nacional informaram ao senador José Almeida Lima que ainda não chegaram a um acordo e que iriam continuar conversando. Possivelmente na próxima semana é que a Direção Nacional tomará alguma posição. O senador diz que agora o jeito é esperar.

 

GARIBALDE

O deputado Luiz Garibalde (PDT), disse ontem que continua aguardando uma decisão do senador Almeida Lima, para ingressar no PSDB. Garibalde continua no PDT e acha que para se filiar a outro partido, só tendo o comando. Sem isso não é importante.

 

ESTRANHO

Luiz Garibalde acha estranha a posição do Diretório Nacional, que havia se comprometido em passar o comando do PSDB para Almeida Lima e até o momento não o fez. Diz que o tempo está passando, há pouco tempo para uma articulação no interior. Garibalde acha, entretanto, que tudo se resolve ainda hoje.

 

PROGRAMA

O PSB realizou o seu programa na televisão e teve apenas oito minutos, dos 20 que é determinado pela legislação eleitoral. Doze minutos foram subtraídos porque o PSB cedeu ao prefeito Marcelo Déda (PT), para ele se defender de acusações.

 

TRÁFICO

Um dos maiores centros de tráfico de armas e drogas está localizado em Laranjeira. Lá, todos os assaltos são feitos com armas pesadas, inclusive metralhadoras. No povoado Pedra Branca há um toque de recolher a partir das 20 horas. O único posto policial de lá está fechado há oito anos.

 

JORGE

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB), ao conversar com dois políticos de outra legenda, foi objetivo: “sobre sucessão converso primeiro com o governador João Alves”. Um dos políticos que conversava com Jorge disse a mesma coisa, mas fez uma ressalva: “o governador está demorando muito a falar de sucessão”.

 

CHAPÃO

Todos os candidatos proporcionais dos partidos que dão sustentação ao prefeito Marcelo Déda (PT) estão querendo que seja feito o chapão. Para se ter uma idéia, o PTB tem nomes como o ex-prefeito João Augusto Gama, Renato Brandão, Adelson Barreto, Fabiano Oliveira e mais dois outros de igual porte.

 

CONTRA

Já os candidatos proporcionais do partido dos trabalhadores deixam bem claro que não aceitarão um chapão. A coligação só majoritária. Ontem um possível candidato do PTB não pensou duas vezes: “a proposta agora é outra. Não se trata de disputa pela Prefeitura, mas pelo Governo do Estado”.

 

AUMENTO

A Prefeitura de Aracaju subiu para10% a sua proposta de reajuste linear para todos os servidores públicos municipais, a partir de maio. A proposta anda será discutida em assembléia, mas a Prefeitura já chegou em seu limite máximo para a concessão do aumento salarial.

 

 

Notas

 

PREFEITO

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), evitou conversar com jornalistas sobre as críticas pesadas que o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, lhe fez, por ter se colocado favorável à revitalização do rio São Francisco e contra o processo imediato de transposição, como deseja o Governo. No mesmo momento que o ministro dizia que a transposição era prioritária, porque o povo estava com sede, o prefeito concedia entrevista dizendo sugerindo que o presidente Lula priorizasse a revitalização do rio.

 

REAÇÃO

O deputado federal João Fontes (PDT) viaja hoje a Brasília e à noite terá reunião com senadores para discutir a ação do ministro Ciro Gomes em fazer investigação pessoal dos políticos e técnicos que são contra a transposição do rio São Francisco, utilizando a Agência de Inteligência do Governo. João Fontes vai também procurar a OAB para que tome providência sobre esse procedimento do ministro. O senador Almeida Lima deve fazer pronunciamento sobre esse assunto ao lado da senadora Heloisa Helena.

 

VERTICALIZA

O PMDB ainda está dividido em relação à verticalização, que determina que as alianças eleitorais para a Presidência da República sejam as mesmas nos estados. A bancada do partido vai reunir-se hoje para decidir sobre o assunto, que está em pauta na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). O presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer (SP), concorda – em tese – com a verticalização, por considerar que fortalece os partidos, mas acha que ela só deveria ser aprovada junto com a reforma política.

 

 

É fogo

 

O governador João Alves Filho viajou ontem a Brasília, Trata sobre a Reforma Tributária e se reúne com a direção nacional do PFL.

 

Sexta-feira acontecerá uma nova reunião na Assembléia Legislativa, com parlamentares, sindicalistas e a igreja, para se traçar nova estratégia contra a transposição.

 

A bancada sergipana deixa hoje Aracaju e viaja a Brasília para participar das sessões plenárias. A maioria retorna amanhã.

 

O ex-prefeito João August Gama (PTB) ainda não decidiu se será candidato a deputado estadual nas eleições do próximo no.

 

Gama agendou uma reunião com o deputado federal Jackson Barreto, sexta-feira, para adotar alguma decisão.

 

O senador Almeida Lima (PSDB) pediu a transcrição do editorial “Frustração na África”, publicado na Folha de S.Paulo. O editorial refere-se à viagem de Lula à África.

 

Almeida Lima acredita que o governo perdeu valiosa oportunidade de firmar uma parceria vantajosa, em razão do fracasso das negociações com a Nigéria.

 

O Governo tem jurisprudência firmada sobre a ilegalidade de greves dos servidores públicos federais, estaduais e municipais.

 

O deputado federal João Fontes avisou que vai procurar hoje o senador Antônio Carlos Valadares para falar sobre a emenda orçamentária de R$ 3 milhões, para a Codevasf.

 

Segundo João Fontes, “esse dinheiro será utilizado para o Governo Federal patrocinar o enredo da Estação Primeira de Mangueira, sobre a transposição”.

 

O deputado Augusto Bezerra (PFL) diz que o Governo Lula está pior do que a ditadura militar, ao bisbilhotar a vida dos brasileiros.

 

As vendas varejistas em todo o país aumentaram 2.2% na semana do Dia das Mães, comparados ao mesmo período do ano passado.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários