Aulas e salários

0

Enfim, o fim de uma greve que incomodava a sociedade. Os professores retornaram às aulas e os alunos estão aliviados. Felizes por reencontrar os colegas e porque já não suportavam mais um período tão longo de férias. Prevaleceu o bom senso, o diálogo e a boa vontade. Se antes prevalecesse o bom entendimento e não houvesse uma boa pitada de interesse eleitoreiro, o impasse já teria sido resolvido há mais tempo e ninguém sairia atingido por tantos incidentes. Houve um desgaste, um cansaço, uma certa insensatez e intransigências. Mas, a vida volta ao normal e que não se repita um fato de tamanha gravidade para estudantes que não têm condições de freqüentar a escola privada. Ontem as ruas estavam com um novo colorido, uma maior movimentação, com a presença dos alunos às aulas. Os professores aceitaram a proposta de R$ 1.300,00 que lhes foi feita pelo governador João Alves Filho, para receber esse dinheiro nesta segunda-feira e o restante na folha de junho. Foi bom! Não há do que reclamar. Mesmo assim a classe vai se manter em estado de alerta, até que tudo seja cumprido. No dia 7 de junho, Governo e Síntese voltam a se encontrar, para discutir outras propostas dos professores. Mas, a partir de agora, o clima é outro e, certamente, o diálogo e entendimento vão prevalecer. É bom deixar bem claro apenas uma coisa: a proposta de R$ 1.300,00 só aconteceu por força da bancada do Governo na Assembléia Legislativa. Terça-feira pela manhã, os deputados Venâncio Fonseca, Augusto Bezerra e pastor Antônio estiveram no apartamento do governador João Alves e lhe sugeriram a devolução desse novo valor, porque atenderia a 90% dos professores. Proposta imediatamente aceita. Caracterizando um avanço para uma abertura ampla entre a classe e o governador, sem a necessidade de qualquer entrave para valorizar quem ainda torce para “o quanto mais complicado, melhor”. Entretanto, o problema não é apenas o caso dos professores. Técnicos da área econômica estão elaborando o aumento salarial, que o Governo pretende anunciar em junho, para que saia um percentual que não abale as estruturas financeiras do Estado e que agrade aos servidores. Há dificuldade de caixa para conceder um aumento que cubra as necessidades de toda a classe funcional. Mas, será feito o máximo para que o aumento seja o melhor possível e atenda a todos. O servidor público não vê aumento salárial há muitos anos e está ansioso por alguma coisa significante nos seus vencimentos. Mas o Estado também tem dificuldades financeiras para cobrir esses 10 anos que o funcionário está sem um único acréscimo salarial e é possível que não possa cobrir as expectativas, de uma herança maldita adquirida, que foi exatamente esse descaso com o servidor público. Para ser sincero, só conseguiu alguma coisa a mais, nos seus contra-cheques, quem teve força de pressão. O Governo pode ser irresponsável e nem eleitoreiro. Não deve dar um aumento que não possa pagar. Considera que é muito importante manter o salário do pessoal em dia, com todos na certeza de que a tabela será cumprida. Acredita que é melhor um aumento dentro das condições de recebimento, do que um gesto político que não caiba nos cofres da Secretaria da Fazenda. Poderia ser muito fácil, neste período de eleição, conceder o máximo. Mas ter um bom salário e não receber significa um problema sério para quem vive daquele dinheiro e tem compromissos a cumprir. Os técnicos do Governo analisam tudo isso, mas também não devem ser insensíveis, a ponto de indicar um percentual de aumento que não melhore em nada a vida do servidor. As pesquisas indicam que o funcionário sempre utiliza o cheque especial – e outros meios – para complementar o que recebe e terminar o mês. O que significa gastos e caracteriza pagamento para trabalhar. Isso tudo é bom levar em consideração, para que o aumento não seja tão pequeno que nada acrescente e nem tão grande que comprometa os cofres do Estado. BINGOS O juiz Cristiano José Macedo Costa determinou a reabertura do Bingo Palace, ao deferir tutela antecipada apresentada pelo advogado da empresa. Cristiano também impede que lacrem ou fechem o estabelecimento comercial, sob pena de multa diária de R$ 5.000,00. MEDIDA Em seu deferimento, o juiz lembra que se o Governo Federal quis proibir os jogos de bingo e as máquinas denominadas caça-níqueis, é porque não havia impedimento. Lembrou que o Senado Federal rejeitou a MP-168, que proibia os bingos, conclui-se que casas de bingos e máquinas caça-níqueis podem funcionar. CAUTELA Uma autoridade do setor judiciário revelou que o jogo, em um país miserável, “a gente tem que ser cauteloso com ele”. Justificou que os desempregados e os pobres sempre vão tentar a sorte nestas casas e, algumas vezes, conseguem o que comer. Isso é lamentável. BENEDITO O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, tomou conhecimento da desistência da pré-candidatura de Walter Franco, ontem pela manhã. Foi informado por sua mulher. Benedito disse que qualquer um membro do partido tem o direito de ser ou não candidato. O que não pode é culpar o PMDB. CANDIDATOS Benedito Figueiredo passou a tarde ontem atendendo candidatos do interior e organizando chapa. Teve uma demorada conversa com o pessoal de Santa Luzia. Anunciou que o PMDB terá 60 candidatos a prefeito e vice em todo o Estado, fora as centenas de nomes que disputam as Câmaras Municipais. JORGE O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) ficou surpreso com a desistência de Walter Franco em ser pré-candidato à Prefeitura da Capital. Ele disse que mantém a sua pré-candidatura e ontem retomou os contatos antes estabelecidos no lançamento de sua candidatura. LEVANTAR Jorge Alberto diz que a colocação do seu nome como pré-candidato a prefeito de Aracaju, é para o PMDB em posição de frente. Nos últimos anos o partido tem ficado mais na sustentação de chapa majoritárias e hoje precisa estar presente na ponta de todos os pleitos. SAMARONE O vereador Antônio Samarone (PDT) lançou, ontem, sua pré-candidatura à Prefeitura de Aracaju e está à disposição do partido para discussão. Sentiu que o PDT tem necessidade de lançar candidato, porque o processo não evoluiu para ter uma frente e todos os partidos vão apresentar nomes à sucessão. COBRANDO Antônio Samarone disse, ainda, que o senador Almeida Lima (PDT) vivia cobrando uma candidatura própria do partido, porque sabe da densidade eleitoral que tem. Como Almeida Lima e o deputado Luiz Garibalde não se manifestaram como candidatos, ele resolveu lançar sua pré-candidatura. BRITTO O ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal, deu seu voto contra à cobrança dos inativos, para pagamento da previdência. Aconteceu na sessão de ontem e o votação não foi concluída (ficou em 2×1 em favor dos aposentados), porque um dos ministros pediu vistas do processo. FONTES O deputado federal João Fontes (sem partido) fez um pronunciamento na Câmara, exaltando o gesto do ministro Carlos Bispo. A razão do discurso foi porque Carlos Britto está no Supremo por indicação do presidente Lula. Nem por isso deixou de votar pelo que sentiu de direito. OBRAS DA BR Parlamentares de Sergipe estiveram, ontem, em audiência com o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, para tratar do reinicio das obras da BR-101 no estado. A obra está na relação das superfaturadas. O ministério e o TCU estão analisando a situação para que seja feita uma repactuação do contrato, para sua liberação. EXPECTATIVA A expectativa é que esse problema seja resolvido e o TCU comunique à Comissão Mista do Orçamento, para que se faça um decreto legislativo liberando a obra. O custo total da obra está orçado em R$ 20 milhões, mas só há recursos da ordem de R$ 4,8 milhões. A idéia é garantir a conclusão do viaduto na saída de Aracaju e a duplicação da rodovia até o viaduto onde começa a BR-235. Notas MARATÁ Os produtores de Laranja da região centro-sul estão sendo prejudicados pelo monopólio exercido através do forte grupo Maratá. Sem grande opção, os citricultores são obrigados a aceitar os preços impostos pela empresa, que tem conseguido isenções de impostos, para novos empreendimentos em Sergipe. Na realidade o grupo Maratá cresceu muito, o que é bom para Sergipe, mas, além criar um monopólio, porque faz a mesma coisa com o fumo, aplica recursos fora do Estado e sequer dá como endereço Sergipe. WALTER O empresário Walter Franco (PMDB) estava disposto a disputar a Prefeitura de Aracaju. Isso sempre foi um dos seus sonhos. Quando lançou sua pré-candidatura a prefeito não estava querendo reaparecer nos meios políticos. Era para valer e estava pronto para bater chapa na convenção do partido. Como cidadão Walter tinha e tem esse direito, mas deixa claro que não sentiu qualquer apoio do partido, principalmente depois do programa que comemorou ao 38 anos da legenda. Walter não saiu satisfeito. VALADARES O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) continua sendo um dos políticos mais consultados pelo prefeito Marcelo Déda (PT), sobre sua candidatura à reeleição e o trabalho de organizar as oposições para que marchem unidas.Valadares não tem se negado a colaborar, porque acredita nesse projeto. Apenas uma coisa o grupo liderado pelo senador Antônio Carlos Valadares fecha questão: o candidato a vice, na chapa de Marcelo Déda, não pode sair dos quadros petistas, mas dos partidos que estão na coligação. É fogo As negociações foram demoradas e difíceis, mas terminaram dentro de um entendimento que favoreceu a todos. Os professores estão se mantendo em estado de alerta e farão uma nova assembléia, dia 7 de junho, depois de ouvir uma nova proposta do Governo. A deputada Susana Azevedo (PPS) acredita em um acordo próximo para moradores do conjunto residencial Marcos Freire I, II e III. Os mutuários do Marcos Freire estão em litígio com a Caixa Econômica Federal e não pagam as prestações há mais de dois anos. O empresário Walter Franco diz que o presidente do PMDB almoçou com ele em março, quando lhe fez a proposta para disputar a Prefeitura. A cúpula do PMDB agora está trabalhando para sanar esse incidente e evitar um estrago maior dentro do partido. Uma ala forte do Partido dos Trabalhadores continua defendendo uma chapa puro sangue para a Prefeitura de Aracaju. O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco, está começando a mostrar o que vem fazendo em seu município. Nossa Senhora do Socorro é uma das cidades mais cobiçadas pela maioria dos políticos, porque tem uma boa arrecadação. O deputado estadual Francisco Gualberto quer que seus projetos sejam apreciados pelas comissões técnicas da Assembléia Legislativa. A taxa de desemprego recorde de 13,1% registrada em abril foi pressionada pela renda ainda em queda do brasileiro que vive nas seis maiores regiões metropolitanas brasileiras. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais