Costa dos Corais (AL): o estrelado litoral Norte alagoano

0
Praia do Patacho, em Porto de Pedras, uma das mais belas e tranquilas da região

Do litoral Norte ao litoral Sul do estado alagoano, belas praias são o que não faltam. Considerado o Caribe Brasileiro, esse pedacinho de paraíso brasileiro faz jus ao codinome e vem se consagrando como um dos destinos mais procurados não por acaso. Com 229km de litoral que vai desde a foz do São Francisco à divisa com Pernambuco, Alagoas praticamente despontou no turismo justamente pelo “sol, sombra e água fresca”, administrou bem esse trinômio e se consolidar também na infraestrutura de hospedagem e na gastronomia.

Da união do sol, beleza, infraestrutura e sabor, não poderia ser diferente. O turismo vem despontando profissionalmente como um dos setores que mais cresce no Estado.  E enquanto outros observam, o destino une tudo isso com segurança e protocolos sanitários se firmando em potencial.

O Tô no Mundo revisita o litoral Norte alagoano. Destacarei aqui um pedacinho desse paraíso entre São Miguel dos Milagres à Maragogi. São roteiros entre praias, falésias, vilarejos, passeios entre mangues e visitas a reservas ecológicas, por vezes locais tranquilos, mas em determinados locais com burburinho das estalagens de charme e restaurantes capitaneados por chefs renomados.

A região compreende parte da Rota Turística de Alagoas denominada de Costa dos Corais que começa a poucos quilômetros de Maceió e termina na divisa com Pernambuco, contém o segundo maior banco de arrecifes do mundo, ficando atrás apenas da Grande Barreira de Coral da Austrália. Preferi iniciar esse roteiro pós-passagem do município de Barra de Santo Antônio, esse um post a parte por concentrar passeios por praias estreladas como a de Carro Quebrado, entre outras atrações. Vamos seguir?

São Miguel dos Milagres – 94km de Maceió

Praia do Marceneiro

Antes um vilarejo de pescadores, hoje um litoral disputado por turistas por conta das suas belas praias em tons que vão do azul ao verde, no balanço da maré. É lá também onde aportaram por suas belezas, hotéis e pousadas confortáveis. Na sede, um povoado calmo, com uma igrejinha ao centro devota à Nossa Senhora Mãe do Povo, construída no século XVII e restaurada recentemente. No litoral de 20km, praias de águas calmas, entre elas as praias do Marceneiro, do Riacho, do Toque, essa última assim chamada pela famosa Pousada do Toque, além da praia do povoado Porto de Rua, a cerca de 6km da sede.

Praia do Riacho

Não deixe de ir até o mirante dos Milagres, onde do alto se tem uma vista privilegiada da região. Há também passeios de jangadas, entre esportes náuticos mais radicais. Descanse em uma das boas pousadas. O roteiro só está começando.

Porto de Pedras – 120km de Maceió, 16km de São Miguel dos Milagres

Peixe-boi é o astro do passeio
Povoado

Por vezes a praia do Patacho e a Associação Peixe-Boi de Tatuamunha são confundidos com passeios de São Miguel dos Milagres, por ficar mais próxima da sede municipal de São Miguel, mas não tem problema. Esses dois passeios ficam já no município vizinho de Porto de Pedras. Na associação de moradores da localidade há passeios de barco pelo rio Tatuamunha, com duração de mais ou menos 1h.

passeios sobre pontes pelos braços de mangues
Jangadas aguardam os visitantes

Os turistas pagam uma taxa de conservação, passam pela lojinha do projeto e segue com um condutor por pontes rústicas construídas sobre braços de manguezais, de onde se pode ver a fauna e flora da região, entre crustáceos, pequenos peixes, aves, entre outros. A jangada aguarda para ir avistar o protagonista do passeio: o peixe-boi.

Piscinas naturais na praia do Patacho na maré baixa

No município também se deve conhecer e fazer o passeio de jangada na praia do Patacho, considerada uma das mais belas de Alagoas por suas águas calmas e cristalinas. Para chegar até ela passa-se por uma estrada de piçarra bem arborizada, com casas rústicas. Um paraíso para muitos que observam. Chegando lá, com poucos visitantes, não há o burburinho como em outras praias. Na maré baixa é possível avistar cardumes de peixes entre corais e assim os barqueiros querem preservar. As piscinas naturais agradecem.

Mirante de Porto de Pedras e o encontro do rio Manguaba com o mar

Não deixe de conhecer as construções do século XVIII na sede municipal e o encontro do mar com o rio Manguaba. Há o Mirante do Farol que se tem uma vista privilegiada da região. Prove da agulhinha, um peixe bem representativo do litoral alagoano ao pernambucano. Do outro lado do rio, encontra-se a paradisíaca Japaratinga.

Japaratinga – 8km de Porto de Pedras e 124km de Maceió

Paradisíaca Japaratinga

Uma praia paradisíaca, entre coqueirais, águas calmas e piscinas na maré baixa. Incrustada em restingas de mata, pousadas e hotéis à beira mar. Tranquilidade, sombra e água fresca com boa gastronomia à base de frutos do mar. Diferente da vizinha Maragogi, Japaratinga gosta de preservar a tranquilidade e o serviço personalizado aos que a visita. A Barreira do Boqueirão a praia de Birigui e Japaratinga são algum dos cenários de beleza e descontração.

Maragogi – 11km de Japaratinga, 130km de Maceió

Ir a Maragogi (A), litoral norte de Alagoas, é esquecer do relógio e ter a sensação de que o tempo passa bem devagar. Destino estrelado de roteiros brasileiros de praia, a cidadezinha litorânea é para quem gosta do binômio “sombra e água fresca”, aliado a boa gastronomia à base de frutos do mar e passeios que levam milhares de turistas às piscinas naturais.

Galés de Maragogi

Mar esverdeado que vai oscilando em tons ora mais escuro e ora mais claro, puxado mais ao longe a um azul turquesa que varia de acordo com a presença da luz do sol. São três grandes piscinas com visitação pública: Galés, Taocas e Barra Grande. Por conta da grande quantidade de visitantes os órgãos de defesa do meio ambiente controlam a visitação, permitindo cerca de 1400 visitantes por dia nas três principais piscinas naturais. O passeio dura em média 2h30 e é feito em embarcações seguras, com acompanhamento de guia e instrutor.

A saída dos atracadouros é um convite a colocar o relógio na bolsa e esquecer o tempo. A dica é trocar o relógio pela máquina fotográfica e se deparar com um mar que demostra o quanto a natureza foi generosa com a região. E como tudo que é bonito deve ser visto e contemplado, as piscinas naturais de Maragogi não fogem à regra. São aquários naturais habitados por tipos de peixes, moluscos, crustáceos e corais de diversas espécies.

As embarcações param uma perto da outra e os turistas são convidados a descer e percorrer uma pequena faixa de água até chegar próximo aos recifes. Não se preocupe se não avistar peixes ou outros tipos de animais. As boas-vindas são dadas por espécies mais domesticadas que chegam mais próximas dos turistas.

Vista do Alto do Cruzeiro

Contemplar é a dica, mas nada de alimentar os peixes ou tocar nos corais. O meio ambiente agradece. O retorno está por vir, pois não é somente os aquários naturais o cenário de beleza da região. Um passeio de bugre por mais de 20km de praias passa pelo Alto do Cruzeiro, onde se tem uma vista panorâmica da região, além de praias quase desertas.

Na direção de Pernambuco, as praias de Burgalhau, Barra Grande e Ponta do Mangue são paradas obrigatórias. Vilas de pescadores e casinhas que se despontam do horizonte dão um ar de tranquilidade ao mesmo tempo de rusticidade. As jangadas e as redes de pesca mostram que são elas as ferramentas de trabalho, fazendo da pesca e da extração de mariscos um dos principais elementos propulsor da economia local. E como o mar foi generoso com Maragogi, os frutos extraídos dele é a melhor pedida nos restaurantes e resorts à beira-mar.

Mãos habilidosas
Bolachinhas de goma

No caminho, Tia Marlene abre a porta da casa que virou fabriqueta e conta histórias da comercialização dos bolinhos de goma como o principal sustento da família. No fundo da casa com vista para o mar, das mãos habilidosas de Dona Josefa saem bolinhos em forma de conchas, moluscos, estrelas que dali ganham o mundo em saquinhos. A alagoana faz em segundos os bolinhos à base de coco ralado, goma de tapioca, manteiga e açúcar. O cafezinho é por conta da casa da Tia Marlene. A jangada aguarda no atracadouro. Os resorts convidam a comodidade. O que está esperando para planejar?

Como chegar a São Miguel dos Milagres

Pega-se sentido norte de Maceió, pela rodovia AL 101 por cerca de 40km de estrada litorânea até a Barra de Santo Antônio. Em seguida, pela AL 413 até São Miguel do Quitunde seguindo para o interior do estado e novamente a AL 101 para pegar o litoral em Passo do Camaragibe e Barra do Camaragibe passando mais 54km. A AL 101 novamente volta a margear o litoral até Pernambuco passando pelos destinos a serem desbravados por mais 16km. Cuidado, por vezes a rodovia é cheia de curvas e apresenta buracos.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais