Crise, carnaval e maturidade

0

Se alguém defendesse que um dos elementos para amenizar a crise, seria acabar com o carnaval, este cidadão ou cidadã seria apedrejado em praça pública e proliferariam os discursos demagógicos, sempre em defesa de uma tradição cultural, recheada pelo repúdio indignado dos que saltariam bradando a voz para dizer: “Que conversa é essa meu irmão, quer acabar com a última reserva de alegria que o povão desfruta”.

 

Não se trata disso, mas se trata da tamanha imaturidade que o Brasil assume para permitir que o seu comércio e a sua indústria fiquem paralisados por 10 dias seguidos, diga-se dez dias, tomando como exemplo esse carnaval de 2009 que para efeito de comércio, começou a sua paralisação no dia 20, ou seja, na chamada sexta-feira de carnaval se estendeu pelos dias 21, 22, 23, 24 e chegamos ao dia 25 a chamada quarta-feira de cinzas, dia em que se abre o estabelecimento para aumentar o consumo de energia, água, papel higiênico e só. Depois disso vem a quinta e a sexta-feira, dias 26 e 27, dois excelentes dias para o comércio, caso os consumidores não fossem as mesmas pessoas que se transformaram em foliões durante quatro dias de dança e bebedeira. Não estando ainda plenamente recuperados para ir às compras, e mesmo que estivessem. A pergunta seria: “Com que dinheiro?”.

 

Esse tão esperado consumidor é o mesmo que atravessou o Natal e Ano Novo gastando com roupas, presentes e panetones. Depois enfrentou os carnavais fora de época, as matrículas, as infindáveis listas de materiais escolares e por último o carnaval. E aí da pra encarar? Agora, retornando ao tema principal, à questão da imaturidade e observar-se que não dá para concordar com um País que se utiliza de um único evento para paralisar seu comércio e sua indústria por cerca de 10 dias, ou seja, um terço do mês, fragmentando a economia nacional, apenas para participar de uma festa, principalmente um país que transborda em desemprego, desigualdades e má distribuição de renda.

 

Enquanto uma emissora de TV passa horas e mais horas transmitindo a alegria das beldades nos camarotes vips, outra emissora mostra uma vendedora ambulante dando à luz a uma criança em pleno carnaval, ou seja, para conseguir sobreviver ela teve que comercializar produtos num ambiente barulhento e violento até o nono mês de gravidez, melhor até a hora do parto. Em seguida um telejornal, mostrava o drama de famílias que tiveram suas casas arrastadas pelas enchentes e pelo vendaval no interior de São Paulo, uma das imagens mostrava o desespero de uma mãe de família com a mão à cabeça e uma fisionomia de tristeza e de desesperança, fisionomia que seria automaticamente alterada se naquele momento ao lado dela estivesse um secretário municipal ou estadual, o próprio prefeito presenciando aquele drama in loco, quem sabe um ministrozinho qualquer concedendo entrevista e afirmando que estaria imbuído em amenizar aquele sofrimento.

 

Que pena! Nenhum deles estavam presentes, eles apareciam em outro canal de televisão nos camarotes vips, em um desses camarotes, mais precisamente na Marquês de Sapucaí, onde os promotores do jogo do bicho festejam os lucros e a força da ilegalidade, aparecia o Presidente da República, prestigiando o evento, acenando para os foliões e balançando um pacote de camisinhas. Como se estivesse dizendo ao país: “Não tenham medo, eu f… com vocês todos os dias, mas não há risco de gravidez!”.

 

Seria um sonho que o carnaval se transformasse em apenas mais um evento festivo, no qual quem desejasse brincar se programasse com folga, férias ou dispensa, mas que o comércio e a indústria brasileira, não fossem obrigados a fechar suas portas durante dez dias. É preciso entender que essa paralisação é nociva e fruto da falta de reflexão e maturidade, e pela qual pagasse um preço caríssimo. Poder-se-ia reduzir esse custo, sem necessariamente acabar com o carnaval.

 

Diárias em Itaporanga

Chamou a atenção uma matéria enviada pela assessoria do vereador Ronaldo Oliveira (PSC), de Itaporanga, afirmando que o mesmo renunciou as diárias em congressos fora do Estado para que estes recursos sejam investidos numa parceria com a Milenus FM. A pergunta é: quer dizer que todos os meses os vereadores de Itaporanga recebem diárias? É um bom assunto para que o Ministério Público dê uma olhada? Aliás, em outro município a informação é que nos primeiros meses o legislativo gastou muito em eventos, alimentação e outros supérfluos.

 

Vice assume em Carmópolis

O vice-prefeito Carmópolis João Gilberto-Gil (PSB) assumiu, na última quinta-feira, 19, o cargo de prefeito da cidade em função da viagem da prefeita Esmeralda França (PT) ao exterior. O prefeito em exercício Gil, como é chamado carinhosamente pela população, tem apenas 27 anos, estuda Administração e Gestão Pública na Unit, é considerado – inclusive pelo Governador Marcelo Deda – como uma das mais novas revelações políticas do Estado.

 

Bom senso

Deu na coluna de Ivan Valença, no JC de domingo: “Tem vereador de primeiro mandato na Câmara de Aracaju precisando de uma boa dose de bom senso. Quer contratar um jornalista profissional para sua assessoria e oferece míseros R$ 500 pelos serviços, mesmo sabendo que o piso salarial da categoria de comunicadores é de R$ 880, aliás, o menor do país. E o pior é que a alegação para pagar a mixaria é que parte do dinheiro destinado ao gabinete servirá para quitar dívidas de campanha. Ei, chamem o Ministério Público”. Este jornalista está sondando para saber quem é o vereador. E vai publicar, quando descobrir…

 

Título para João Paulo

A Câmara de Vereadores de Neópolis aprovou por unaminidade projeto do Vereador Felipe Barreto (PHS) concedendo titulo de Cidadão Honorário ao ex-prefeito do Recife João Paulo (PT). Neópolis e  Recife têm um grande identidade cultural, especialmente pelo frevo e demais manifestações carnavalescas. No ano passado João Paulo formalizou essa relação, mandou uma missão cultural a Neó polis e assinou um protocolo para a implantação na cidade da Embaixada do Frevo, a primeira a ser criada fora de Pernambuco.

 

Eitá que eles estão aperriados…

No final da semana passada, por conta de um artigo publicado neste espaço, foi feita uma ampla mobilização na mídia sergipana, na tentativa de passar a responsabilidade para outro setor do governo estadual. Já outros, enviam declarações de “amor” (kkkk…) chamando para um duelo nas emissoras de rádio. Este jornalista não sabia que um blog, que tem apenas meia dúzia de leitores, incomoda tanto… (obs: a coincidência é que todos os “incomodados”  petistas fazem parte da mesma seita, digo, agrupamento político). Eitá que eles estão aperriados…

 

Quero saber…

Este jornalista recebeu a informação de um parlamentar que um colega, que é suplente, mas está no exercício do cargo, não esconde dos colegas a magoa com o titular. Tudo porque 60% dos “cargos” ficaram não mãos do titular. Este jornalista está procurando mais subsídios para divulgar tudo…

 

Preço diferenciado para o Estado

O Ministério Público Federal – já que as rádios são concessões públicas – está de olho num processo intrigante. Foi formado uma “parceria” entre algumas emissoras de rádio onde foi criada uma tabela “especial” para o Governo do Estado. Enquanto que os 30 segundos para iniciativa privada e para prefeituras não passam de R$ 50,00, os anúncios governamentais são na ordem de R$ 120,00, os 30 segundos. É só o MPF pegar as planilhas das rádios do interior com várias prefeituras e comparar com o governo. Qual o motivo? Já que o Governo do Estado não atrasa os pagamentos como antes. Será porque acabaram aqueles famosos “contratos”…

 

45 no banco dos réus

Deu na IstoÉ: “Está nas mãos dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) o destino dos mandatos de 45 dos 594 parlamentares do Congresso Nacional. Eles são os chamados “fichas-sujas” do Parlamento. Levantamento realizado no STF pela reportagem de ISTOÉ revela que pesam contra eles crimes variados como sequestros, homicídios, formação de quadrilha e, lógico, corrupção. Para quem acredita que “todo político é ladrão”, pode parecer pouco que 7,5% dos integrantes do Congresso estejam a ponto de perder o mandato. Mas eles não respondem por meras suspeitas, acusações de adversários políticos ou investigações preliminares – atendem ao último estágio da Justiça. De Sergipe aparecem dois nomes: Jackson Barreto, deputado federal pelo PMDB, é o segundo com mais processos. Responde a cinco ações penais, por crimes contra a administração pública, peculato e desvio de verbas. E o governador Marcelo Déda com um processo eleitoral por  Abuso de poder econômico, abuso de poder político e abuso de autoridade

 

Justiça Eleitoral amplia rigor contra caixa 2 em campanhas

Numa matéria publicada ontem, 25, na FSP, sobre caixa 2 em campanhas eleitorais o sergipano Carlos Britto, presidente do TSE, deu sua opinião. Leia parte da matéria: “A cassação do mandato do deputado federal Juvenil Alves Ferreira Filho (PRTB-MG) e a denúncia contra o ex-ministro dos Transportes e prefeito de Uberaba (MG), Anderson Adauto Pereira (PL-MG), acusado de falsidade ideológica na prestação de contas de campanha de 2002, são vistos como exemplos de mais rigor da Justiça Eleitoral para inibir o caixa dois e outras fraudes no financiamento de eleições. “É um divisor de águas”, diz o procurador regional eleitoral de Minas Gerais, José Jairo Gomes, autor das duas peças de acusação. No caso de Juvenil, Gomes vislumbrou, em 2006, a possibilidade de usar um artigo, introduzido naquele ano na legislação eleitoral, que permite de forma rápida negar ou cassar o diploma do eleito se forem comprovados ilícitos na captação ou gasto de recursos. Foi com base nesse artigo (30-A da lei 9.504/97), criado em razão do escândalo do mensalão, que o Tribunal Superior Eleitoral manteve, no último dia 12, a decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, que cassara o mandato de Juvenil em abril de 2008.

 

Britto: sinal dos novos tempos

“É um sinal dos novos tempos”, diz o ministro Carlos Ayres Britto, presidente do TSE. “Já houve aplicação do dispositivo para autoridades municipais e estaduais, mas é o primeiro caso envolvendo uma autoridade federal.” Segundo ele, a decisão reflete a disposição de atacar “o financiamento espúrio e dar maior visibilidade à prestação de contas”.Outro precedente destacado -tanto no caso de Juvenil como no de Adauto- foi o fato de a Justiça Eleitoral acolher provas obtidas em investigações conduzidas por Ministério Público Federal, Polícia Federal e Justiça Federal.O relator, ministro Joaquim Barbosa, rejeitou as alegações de Juvenil de que havia “vício de compartilhamento de provas”. O plenário acompanhou seu voto, diante das “evidências de fraudes na campanha”.Juvenil foi eleito pelo PT em 2006 e deixou o partido em 2007. Foi preso em novembro de 2006 pela Polícia Federal, em Minas, durante a Operação Castelhana. Era suspeito de chefiar uma organização criminosa especializada na prática de crimes financeiros. Na busca e apreensão, a PF localizou farta documentação apontando uso irregular de recursos. Juvenil foi acusado de declarar gastos de R$ 415 mil, quando as despesas alcançaram mais de R$ 5 milhões.

 

Falta de merenda escolar em Laranjeiras

As aulas em Laranjeiras foram iniciadas no dia 16 de fevereiro e nem um misero biscoito foi servido para os estudantes daquele município. Enquanto falta merenda escolar a prefeitura banca o transporte individual de secretários e diretores que se deslocam diariamente de Laranjeiras para Aracaju.

 

Projeto Ninho Roda Brasil

Após o carnaval a cidade de São Cristóvão será presenteada com a chegada do projeto Ninho Roda Brasil. Idealizado pela Nestlé o projeto objetiva levar cultura e diversão para comunidades que ainda não tem salas de cinema. Os filmes escolhidos são recentes produções do cinema nacional e contemplam o público infantil e adulto. A exibição dos longas será na Praça São Francisco, centro histórico, nos dias 27 e 28 de fevereiro e 01 de março sempre nos finais de tarde.

 

Qual o verdadeiro problema do StarFish

Nota do presidente da Emsetur, José Roberto de Lima Andrade: “Lendo matéria publicada com o título” Número de vôos de Sergipe preocupa diretor da rede Superclubs”,há, na minha opinião, uma série de observações equivocadas feitas pelo diretor da rede, Sr.Xavier Valenciana, e que desviam do verdadeiro problema que atualmente enfrenta o empreendimento.Em primeiro lugar, o turismo de Sergipe passa pelo melhor momento de sua história. Essa afirmação pode ser confirmada através da taxa de ocupação da nossa rede hoteleira(de todos os hotéis, a exceção do StarFish), que é uma das maiores do Brasil, investimentos na construção,ampliação e modernização de hotéis,interesse das grandes redes hoteleiras como Accor,Bristol e Bourbon por Aracaju,investimentos nas empresas de receptivo, que em média cresceram em cerca de 60% o número de empregados,chegada de novas empresas aéreas como Ocean Air,Trip,webjet e Passaredo, além de novas linhas que serão ofertadas pela Tam e Gol. O Sr. Xavier vem dando destaque há algum tempo sobre a oferta de vôos como um problema para o turismo sergipano.Em primeiro lugar, é importante que se frise, se essa hipótese estiver correta, este é um problema exclusivo  do Star Fish. Afinal, o que justificaria os bons resultados e o dinamismo do setor hoteleiro localizado em Aracaju?”

 

Propaganda negativa de Sergipe

Outros fatores são citados pelo Sr.Xavier como o “péssimo estado das rodovias” e a “estrutura administrativa engessada”. Talvez pelo fato de não sair do resort, o Sr.Xavier não tenha observado as atuais condições das estradas que conduzem aos nossos principais produtos turísticos, depois de Aracaju, como a Rota Aracaju-Xingó, a Foz do São Francisco e o Litoral Sul. Esquece também que além de sócio do empreendimento, foi o Governo de Sergipe, na atual gestão, que contribuiu fortemente para a formação de mão de obra do hotel. Infelizmente, o StarFish tem sido um dos campeões de reclamação por parte dos turistas que visitam Sergipe.Em muitas destas reclamações que chegam a Emsetur, os hóspedes afirmam que nunca mais retornarão a Sergipe, e mais grave, não indicarão o destino a ninguém. Essa propaganda negativa de Sergipe proporcionada pelo hotel é  muito pior do que qualquer problema na oferta de vôos. Torcemos pelo sucesso do StarFish e pela permanência da rede SuperClubs no Estado.Acreditamos no esforço e na competência da atual equipe que  administra o empreendimento. Entretanto, é importante que o padrão de qualidade que a rede superclubs possui, possa também acontecer no StarFish.E esse problema certamente não é ocasionado por nenhuma variável externa.

 

DO LEITOR

 

Segurança 24 horas na orla

E-mail recebido: “Fico feliz com a noticia de que ocorrera a recuperação de nossa orla. Sugiro a implementação de seguranças 24 horas no sentido de proteção e orientação da população com relação ao uso do coletivo. Atualmente, nos entristecemos ao verificar o pouco caso que vem sendo dado ao nosso patrimônio. Ratos, os lagos secos, os bancos totalmente vandalizados….é….sinto

profundamente”.

 

IPES: atendimento aos finais de semana e com hora marcada

E-mail recebido: “Gostaria de estar contribuindo com este caos que é o tratamento preventivo ou de desvio da saúde a nível nacional para todos servidores públicos. Sergipe tem o privilégio real de possuir o IPES (que cobra altas taxas mensalmente em nossos contra-cheques ) porém para usarmos, precisamos muitas vezes ir no horário de trabalho sim, porque o atendimento só é no horário que os profissionais foram contratados e durante o dia e fora dos nossos intervalos de trabalho.Nem todas as especialidades atuam em ambos os turnos. Acredito que poderíamos ter disponível atendimento até 22:00 horas, aos finais de semana e na hora marcada. Infelizmente, muitas vezes vamos ao local IPES, CEAC e perdemos um turno de trabalho apenas para agendar uma consulta ( sem falar que quando chegamos ás vezes o médico também não comparece), e para autorizar exames? muitas vezes precisamos voltar noutro dia porque precisa de revisão -auditoria.Mas sem dúvida é preciso moralizar para que a saúde seja priorizada, e o atendimento seja humanizado. Nesta hora é indispensável a realização de uma discussão com todos os envolvidos ( contribuintes do IPES e representantes não só do IPES – outros convênios também – SUS, etc..) e autoridades representantes do governo, sindicatos secretarias de saúde. Há tantas pessoas inteligentes, interessadas em solucionar os problemas…então mãos na massa”.

 

Posto de Informação Turística do Mercado Fechado

De um leitor: “ Acho que esta reclamação já foi feita alguma tempo atrás mais nada foi feito, na segunda de carnaval estive no mercado de Aracaju e fiquei surpreso com a quantidade de turistas no local, e mais surpreso ainda fiquei quando ao passar pelo posto de informações turísticas vi que o mesmo estava fechado, pergunto ao secretario de turismo do município para que serve um posto de informações  se nos dias que existe movimento ele sempre ta fechado. Acho que os secretários de turismo (municipal e estadual) deviam viajar menos e conhecer melhor a estrutura turística do nosso estado”.

 

Contrato da SEFAZ

O jornalista Abrahão informou que a direção do Sindpd/SE mais uma vez vem esclarecer aos terceirizados da SEFAZ que a empresa CCP ainda não entregou as carteiras a alguns interiores. Informado à Tomé por Sr. Mariani que os supervisores que quiserem poderão vir a Aracaju pegar as carteiras profissionais de subordinados Quanto ao questionamento de perseguição com relação a quem entrar com ação contra o estado, os trabalhadores devem ter claro que estamos num regime democrático em que os direitos dos trabalhadores devem ser respeitados. Desconhecemos qualquer tipo de perseguição neste sentido. Havendo a hipótese de acontecer cabe nova ação indenizatória com valores altíssimos, que com certeza nosso governador não teria interesse em se expor”.

 

Valeu São Cristovão I

Do leitor Messias Gonçalves: “Como eu já havia postado anteriormente, Vânia Corrêa, a incansável “irmã” de ZEZINHO DA EVEREST, “o filho de Deus”, conseguiu colocar o bloco “DOS FILHOS DE DEUS”, nas ruas de São Cristóvão. Uma justíssima homenagem ao homem que em vida, na condição de prefeito daquela cidade, fez ressurgir o gosto da população por uma festa em que não tínhamos tradição, como bem disse Marcos Santana. As pessoas se envolvem de maneira tão forte, que fazem de suas casas, verdadeiros camarotes. São mesas e cadeiras, o fogo acesso, assando um churrasquinho. Os blocos hoje já se sustentam. O poder público entra com a logística. Tudo isso, porque ele, Zezinho, trouxe para a Velhacap, como a chamamos carinhosamente, o “CARNAVAL DOS CARNAVAIS”. Mais uma vez, o povo demonstrou primeiro o seu reconhecimento e a sua gratidão, para aquele que em vida, só procurou fazer o bem.  Claro que pode ter havido algum equívoco, um erro com alguém, mas no geral, percebe-se no semblant e das pessoas. Foram distribuídas cerca de cinco mil camisas. Como eu disse antes, seriam poucas. Se tivesse vinte mil, seria pouca também. Foi uma coisa linda. Todos os blocos foram representados com os seus estandartes. Os bonecos gigantes”.

 

Valeu São Cristovão II

Continua Messias: “Estiveram participando, o prefeito Alex Rocha e esposa, o deputado professor/irmão Wanderlê, o secretário de cultura do estado, Luiz Alberto, o presidente da câmara de vereadores de São Cristóvão, Paulinho do Correio, o diretor da DR-8 Everaldo Pinto Fontes, esposo de Vânia e cunhado de Zezinho, Marcos Santana, diretor administrativo e financeiro do PRONESE, entre tantas outras autoridades.  Na verdade o que fica deste desfile em forma de homenagem, é a certeza de que quando aqui esteve, teve o respeito dos verdadeiros e legítimos moradores da velha capital. Até num desfile de carnaval, sem a sua presença, detonou um bloquinho de opositores que com certeza, se prepararam já alguns meses, patrocinados pelo grupeto de eter nos perdedores.  Só omitiram um patrocinador ávido para ser prefeito um dia. Mas não será com fé em Senhor dos Passos. A resposta será a mesma que deram em 2008.  Para terminar, repito um trechinho de uma música: “quem planta amor (paz) vai colher felicidade, cidade é, cidade”. Que Deus abençoe a todos…”

 

Resposta a Messias Gonçalves I

No artigo publicado no dia 20/02/2009 em seu Blog, que teve como título “Para Reflexão: Texto Sobre a Crise”, foi publicado, em um espaço reservado para leitores, um texto de autoria de um leitor de nome Messias Gonçalves, que foi direcionado a minha pessoa José Carvalho Júnior com um conteúdo claramente difamatório.Em resposta solicito que publique na integra o texto que segue abaixo: No dia 20/02/2009 foi publicado no blog deste colunista, quatro textos de autoria de um suposto Messias Gonçalves, o qual teve como intuito difamar a minha pessoa, pois em inúmeras passagens citou o meu nome, José Carvalho Júnior. O caráter difamatório é facilmente demonstrado pela simples leitura de varias passagens do texto, publicado neste espaço dia 20/02/2009. Em primeiro lugar desejo informar que nunca exerci a função de Cargo Comissionado, CC, no Governo do Estado ou da Prefeitura de Aracaju, ou em qualquer outra Prefeitura. Desejo informar também que não tenho, não quero ter e nem posso ter um CC no governo do Estado, pois sou advogado e atuo profissionalmente em muitas ações judiciais contra o Estado.Caro Messias Gonçalves, independente disto, as colocações que fiz e continuarei fazendo, não se alteram pelo fato de eu ter ou não um CC no Governo do Estado.Ocorre meu caro, que você talvez, não esteja acostumado a lidar com pessoas que agem por convicção ideológica.

 

Resposta a Messias Gonçalves II

Caro Messias Gonçalves, hoje eu advogo em um dos maiores escritórios de Sergipe.Neste escritório assinei um contrato no qual me comprometo a não advogar para empresas, somente para pessoas físicas, empregados, sindicatos e Movimentos Sociais e Populares.Desta forma, tenho tranqüilidade para falar de ideologia.Mais em coisa caro Messias Gonçalves, você está certo, não sou uma pessoa imparcial e nem independente, pois tenho lado, sempre tive lado.Por ter lado me tornei Petista desde adolescente. Por ter lado, escolhi dedicar a minha vida a militância de esquerda. Por ter lado fiz movimento estudantil. Por ter lado sempre dei apoio a luta do MST e outros movimentos sociais. Por ter lado apoio e dedico meu estudo a luta dos trabalhadores e dos sindicatos de Sergipe e do Brasil. Por ter sempre lado resolvi ser advogado militante. Caro interlocutor as contradições da atualidade não são geradas por mim, pertencem em grande medida, aos arquitetos do Poder local. Foram eles que acenderam velas para “Deus e paro o Diabo”, nós estamos apenas tentando manter o PT vivo, como partido de esquerda, apesar das dificuldades e contradições da atualidade.Em relação ao pagamento do Piso salarial dos Professores, mantenho o que já vinha afirmando, que o Governo não o pagou, tendo como base o que determina o inciso II do art.3º da lei do Piso Nacional. Em relação às pessoas que foram desalojadas do Kartodromo, as palavras de Ana Lúcia, descrevem muito bem as responsabilidades, que evidentemente pertence ao conjunto do Governo, apesar de que, sem dúvida, a Dep. Ana Lúcia, foi quem mais deu apoio aquelas pessoas.  Por fim, gostaria de dizer que quando se tenta deslegitimar um Sindicato do porte do Síntese, desqualificando seus filiados, os professores(as), não trata-se apenas de um ataque a um sindicato, trata-se de um ataque a todo o movimento sindical e social combativo. Desqualificar publicamente um Sindicato como o Síntese é dizer em alto e bom som, que ninguém ouse desafiar os interesses pessoais de alguns membros do Governo. E se alguém acha que estou exagerando, olhem para traz, lembrem-se do desfecho do episódio do Kartódromo, da ocupação do Plato de Neópolis … e pense: será que eu serei o próximo?” José Carvalho Júnior, Advogado.

 

Frase do Dia

“Não está ocioso apenas aquele que não faz nada, mas também aquele que poderia fazer algo melhor.” Socrates.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários