Estado pesado

0

O governador João Alves Filho retornou de viagem e deve marcar, talvez para a próxima semana, uma nova reunião do secretariado, para fazer cumprir as determinações sobre cortes em determinadas áreas, com o objetivo de organizar as finanças e ter condições de realizar alguma coisa além do que pagar salários e adquirir produtos essenciais para funcionamento da máquina. Em carta enviada de Portugal a todos os secretários, o governador João Alves Filho reclamou que alguns deles não estavam cumprindo o que se tratou na reunião ocorrida às vésperas de sua viagem. Conclamou a todos, que tivessem consciência da necessidade de reduzir o peso do Estado. Inclusive para que ele possa levar adiante alguns projetos, fazer obras com recursos próprios e pagar melhor aos funcionários. O Estado precisa gastar internamente menos, para que os recursos voltem para o povo, que é quem paga impostos e exige serviços de qualidade. O Governo já está adotando uma série de medidas para reduzir o tamanho do Estado, inclusive com possíveis reduções de órgãos que têm caráter absolutamente político. Existem pastas que conflitam em suas atribuições. Além disso, há um excesso de direitos que termina abalando as finanças estaduais. O trabalho público não pode ser instrumento para que os seus representantes maiores pensem nele como uma forma de se dar bem. E o Governo quer que se economize mais, que reduza gastos, que trabalhe com o necessário para evitar que, muito próximo, o que arrecada mal dê para custeio. A próxima reunião do governador com os seus auxiliares será dura. João Alves Filho vai bater na mesa pesado e vai cobrar resultados. O Estado cresceu muito e é preciso se entender que ele não pode se manter berço esplêndido de meia dúzia de cidadãos que abusam de telefones, carros, viagens em classe especial e uma série de mordomias que não praticam com o seu próprio dinheiro. João não pensa nisso, mas quem não se adequar à nova realidade do Estado, terá que ir se exceder nos gastos em outro lugar. Um técnico em projetos administrativos revela que uma Secretaria inoperante, daquelas que se monta apenas para acomodações políticas, não deixa de ter gastos com custeio. E aí vai telefone celular para o titular, adjunto e secretárias. Carro, motorista, energia, prédio, além de um pequeno número de apaziguados dos titulares. Tudo isso é muito dinheiro. Existe, também, empresas e autarquias que cumprem o mesmo papel e não há um resultado positivo maior para o Governo. Esse técnico sita como exemplo a Emdagro, que poderia ser apenas um departamento da Secretaria da Agricultura, mas sem toda uma estrutura para funcionamento. O que é preciso é determinação para se reduzir o tamanho de um Estado que está deixando escapar gorduras até pelos poros. Telefonia celular, por exemplo. É um verdadeiro absurdo. É uma verdadeira farra. O que o Tesouro Estadual gasta com contas telefônicas. Nas secretarias quase todo mundo, além de familiares e até amigos, exibe um celular, fazendo contas particulares para o todo o Brasil, por conta do Estado. Evidente que, em alguns casos, o número é restrito a quem tem função de chefia. Mas em outros, é preciso providência imediata. O certo seria que apenas o secretário e um ou dois diretores portassem celular para uso em serviço. As ligações para amigos e familiares, fossem automaticamente descontados dos seus ordenados. Mas não, falam a valer e os gastos são incríveis. Alguns auxiliares viajam em classe especial nos aviões e outros têm computadores de última geração em seus gabinetes, que são meros enfeites. O titular sequer sabe manusear o mouse. Lógico que não basta o governador pedir para que se cumpra. É preciso fiscalizar, verificar conta por conta, litro por litro de combustível, necessidade de viagens com altíssimas diárias, enfim, fazer um levantamento real de quem está abusando do dinheiro público, para interesses pessoais. Não dá para segurar certas mordomias com os recursos do Estado. Afinal é tempo de dar exemplo, exatamente porque de quem se esperava esse tipo de comportamento não se está obtendo. É bom lembrar a frase de um homem forte do Governo: “se não houve enxugamento total da máquina é possível que falte dinheiro até para pagar os servidores em dia”. Que isso jamais aconteça. REUNIÃO Os partidos da oposição ao Governo do Estado vão se reunir, sexta-feira, em Aracaju, para discutir a questão da chamada chapa puro-sangue. Vão abrir a discussão em torno do assunto e deixarão claro que apóiam Marcelo Déda (PT) para prefeito, mas nenhum deles aceita chapa puro sangue. FABIANO Ontem pela manhã, o deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB) confirmou, ontem, que o seu nome está à disposição do partido para disputar até a Prefeitura. Segundo Fabiano, a unanimidade dos membros de todos os partidos é que não haverá apoio, caso seja mantida uma chapa puro sangue. COMISSÃO O deputado estadual Gilmar Carvalho (PV) vai hoje à Comissão de Ética da Assembléia, para fazer sua defesa oral diante dos seus membros. Vai manter que em momento algum se referiu aos deputados, de forma direta ou indireta, e se alguém se sentiu ofendido pedirá desculpas através da Comissão. ADVERTÊNCIA Segundo avaliou um dos membros da própria comissão, se o deputado Gilmar Carvalho pedir desculpas, reduz o rigor da punição. Dessa forma, já dá para avaliar que o deputado pode receber apenas uma advertência, ou mesmo não ter nenhuma punição. REUNIÃO Gilmar Carvalho reuniu-se com os pré-candidatos a vereador pelo PV e estão avaliando a discussão para coligação proporcional com o PDT. O deputado acha que os entendimentos com o PDT devem se resolver até o dia 30, quando o PDT fechar ou não a coligação. PROCURA Gilmar Carvalho está mais animado a ser candidato a prefeito e, dessa vez, será ele que vai procurar os membros do PDT. Já declarou, durante a reunião com seus aliados, que sem o apoio do PDT dificilmente será candidato à Prefeitura de Aracaju. HELENO O presidente regional do PL, Heleno Silva, procurou o Partido Verde sábado, para um possível entendimento em termos de coligação. Heleno revelou que deu um prazo ao prefeito Marcelo Déda para resolver a questão da coligação entre o PT e o PL até sexta-feira. Se não acontecer gostaria de compor com o PV. JACKSON O deputado Jackson Barreto (PTB) ouviu do presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), que o grupo Articulação manterá Edvaldo Nogueira (PCdoB) como vice. Jackson disse que não entraria mais em discussão, porque se as lideranças do partido revelam que está tudo em ordem, “não posso discordar”. FILIADOS O deputado Jackson Barreto disse que não vai mais se preocupar com candidaturas de filiados do PT, porque esse é um problema para o partido resolver. Acha que a cada ação de um militante houve uma reação do PTB fica difícil o entendimento. No momento acredita no que as lideranças falam. AUDIÊNCIA Jackson Barreto estava ontem, em Brasília, participando de uma audiência pública sobre os transportes clandestinos que circulam em várias cidades do país. Jackson fez um requerimento solicitando uma discussão sobre o assunto, porque os clandestinos são fator de desemprego, além de não pagarem impostos. ALMOÇO Ainda como governador em exercício, Pascoal Nabuco foi segunda-feira a Lagarto e almoçou com os dois José Raimundo Ribeiro e Valmir Monteiro. Pascoal sugeriu aos dois que se entendessem, porque a Prefeitura de Lagarto é fundamental para as eleições de 2006. O almoço foi em casa de José Raimundo Ribeiro. SUSANA A pré-candidata à Prefeitura pelo PPS, deputada Susana Azevedo, almoça hoje com os vereadores do PDT. A conversa será sobre composição. À tarde, Susana Azevedo terá um encontro com o PSC, também para composição, Ela diz que quer chegar o São João com a chapa pronta. MINISTÉRIO Depois do arqivamento da denuncia da Construtora Celi contra o governador Albano Franco a situação no Ministério Público não é a mesma. Existe um movimento denso para tentar por em disponibilidade o cargo do procurador geral de Justiça Luiz Walter Ribeiro. Notas CAMPANHA O chefe do cartório do TRE, Alaim Nascimento, revelou que alguns candidatos já estão fazendo a campanha política, mesmo de forma ilegal, à medida que distribuem adesivos para ser exibidos em veículos particulares, além da pintura de muros com nomes e slogan de campanha eleitoral. Alaim Nascimento disse que a justiça já notificou um pré-candidato na Barra dos Coqueiros. Considerou que as coisas estão muito soltas, porque os próprios partidos não exercem o poder de fiscalização. REUNIÃO O presidente do Tribunal Regional eleitoral, José Artêmio Barreto, reuniu todos os candidatos no auditório do TRE para informar sobre as regras que deverão ser seguidas durante o período eleitoral, a ser iniciado oficialmente no dia 6 de julho e encerrado no dia da eleição, em 3 de outubro. Os pontos mais discutidos foram a veiculação de propagandas em rádio, televisão e vias públicas, e as medidas punitivas que serão adotadas para quem desobedecer, seguindo determinações do TSE. INFRAÇÕES Artêmio Barreto observou que algumas infrações já vêm sendo feitas, a exemplo de promessas em programas de rádio, por possíveis candidatos, ou ainda, incentivo por parte de amigos ou similares, que entram no ar para mostrar apoio à futura candidatura. O desembargador não citou nomes. Quando o Tribunal Eleitoral decidir aplicar as multas, tais candidatos terão que medir as palavras, não fazer promessas e tentar fazer política de forma mais idônea, mas honesta. A vigilância será acirrada. É fogo A Câmara Municipal vai discutir, neste próxima terça-feira, a questão dos parquímetros da cidade. Vai tentar uma solução para esse problema. O governador João Alves Filho atendeu, ontem, do seu apartamento. Estava descansando da exaustiva viagem à Europa. A maioria dos membros da bancada de Sergipe ficou em Aracaju. Aproveitaram o feriado de quinta-feira. O senador Almeida Lima fez pronunciamento, no Senado, contra o novo Salário Mínimo, que ficou em 160 reais. Pela forma como os senadores estão tratando o Salário Mínimo é possível que ele não passe no Senado Federal. O prefeito Marcelo Déda (PT) agora só vai discutir a questão de uma candidatura pura quando do encontro do partido, dia 19. O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Oliveira (PTB) ainda não decidiu se vai disputar uma vaga na Câmara Municipal daquela cidade. Os proprietários de bares e restaurantes estão preocupado com a construção de duas boates, uma casa mexicana e uma choparia na nova orla da Atalaia. As novas casas serão construídas por empresas de Recife e o pessoal de Aracaju acha que aqui tem gente capacitada para isso. Começa hoje, na Atalaia, o São João antecipado que o Governo está promovendo. Muitos cantores importantes vão surgir nos três dias de festas. O deputado Jackson Barreto critica o São João antecipado. Acha que o Governo quer confrontar com a Prefeitura. O titular desta coluna está fazendo uma viagem e só volta a escreve na próxima terça-feira, com a mesma regularidade. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários