Este é um país de contrastes

0

O governo federal acaba de reajustar em minguados R$ 112 o salário mínimo, que passou de R$ 1.100 para R$ 1.212. Uma ninharia! Com essa merreca a mais o suplicante compra quase nada para enganar a fome. Em vez de carne, terá que se contentar com bucho, tripas e ossos de boi. Do outro lado da mesma moeda estão os senhores ministros do Supremo Tribunal Federal. Estes e outros tantos fidalgos recebem salários de R$ 39,293, fora ‘otras cositas más’. Aliás, enquanto milhões de trabalhadores tentam, sem sucesso, se aposentar com um raquítico mínimo, os senhores magistrados queriam continuar trabalhado após os 75 anos de idade, eternamente e fosse possível. Na Assembleia Legislativa de Sergipe, por exemplo, tem deputado com menos de 40 anos de idade aposentadinho da Silva Xavier. Pensando bem, a Constituição chamada cidadã foi feita para quem ganha o teto salarial, particularmente quando estabelece que o mínimo “deve ser capaz de suprir as necessidades básicas do ser humano”. Talvez o salário dos magistrados, congressistas e outros felizardos seja capaz disso, pois o de quem ganha minguados R$ R$ 1.212 não é. Só Jesus na causa!

Não é doença

Na nova edição da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID 11) a transexualidade deixa de figurar na categoria de transtornos mentais. Agora ela consta no setor de direito à saúde, assim como a gravidez e a velhice. O CID 11 reforça aquilo que o movimento de travestis e transexuais declaram há muito tempo: “O preconceito é que adoece as pessoas transexuais”. É vero!

Ela voltou!

Extinta em 2017, a antipática propaganda partidária está de volta, graças à sanção presidencial ao projeto aprovado pelo Congresso em 2021. O objetivo é divulgar as ações dos partidos políticos, diferente da propaganda eleitoral que é divulgada nos anos em que há eleições e visa a promoção de candidaturas. Pela lei, cada partido terá espaço em rádio e televisão entre 19h30 e 22h30, na proporção da bancada eleita. As legendas que não alcançaram a cláusula de desempenho prevista na Constituição não terão direito a esse tipo de propaganda. Marminino!

Negócio rendoso

A expansão da fé no Brasil acontece em ritmo intenso: uma nova organização religiosa surge por hora no país. Segundo o jornal O Globo, a facilidade para a abertura de novas igrejas, o fortalecimento do movimento neopentecostal e a crise econômica são apontados como motivos que podem explicar o fenômeno. Aqui pra nós, enquanto tiver ingênuos nesse mundo vai ter pastor evangélico ficando rico. Cruz, credo!

Comes e bebes

Pré-candidato a governador, o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) tem aproveitado o recesso parlamentar para fazer política em Sergipe. Ontem, o distinto participou de um bem servido rega bofe com os vereadores aracajuanos Nitinho Vitale (PSD), Ricardo Vasconcelos (Rede), Isac Oliveira (PDT), Cícero do Santa Maria (Pode) e Pastor Diego (PP). Também estavam do comes e bebes o ex-prefeito de Tobias Barreto, Diógenes Almeida, a ex-deputada estadual Diná Almeida, Mário Matheus, Jorginho Araújo e Ygor Santana. No cardápio política, muita política. Aff Maria!

Show de boatos

A proximidade da campanha eleitoral tem estimulado pessoas maldosas a divulgarem fake news sobre os pré-candidatos a cargos eletivos. Usando sempre as redes sociais, os fofoqueiros de plantão espalham todo tipo de mentiras. Uns noticiam que fulano vai apoiar sicrano, que beltrano está inelegível, o diabo a quatro. Portanto, prepare o desconfiômetro, pois o show de boatos está apenas começando. Até as eleições, uma série de informações desprovidas de quaisquer fundamentos será espalhada em Sergipe. Quem não abrir o olho terminará comprando gato por lebre. Home vôte!

Bico seco

Em 2010, quando a Adutora do Semiárido ficou pronta, o então governador Marcelo Déda (PT) se recusou em fazer festa para inaugurá-la. Parece que o petista de saudosa memória estava adivinhando que aquela obra seria um calo no sapato da Deso, pois desde que entrou em operação, a adutora apresenta defeitos. E o pior: sempre que se faz necessário um novo reparo na problemática tubulação, a adutora deixa sem água tratada cerca de 100 mil sertanejos residentes em 11 municípios sergipanos. Danôsse!

Brasil desigual

A situação educacional de jovens com idade entre 15 e 29 anos é um misto de avanços, problemas e desafios, de acordo com estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O estudo alerta que o processo de escolarização da maioria dos jovens ainda é marcado por oportunidades limitadas e que, no Brasil, prevalecem expressivas desigualdades educacionais entre ricos e pobres, brancos e não brancos, e moradores de áreas urbanas e rurais e das diferentes regiões. Santo Cristo!

Saco de gatos

O MDB é o partido heterogêneo por demais. Aqui em Sergipe os seus integrantes pensam diferente quando o assunto é o governo federal. O ex-governador Jackson Barreto não gosta nem ouvir falar no presidente Jair Bolsonaro (PL) e morre de amores pelo ex-presidente Lula da Silva (PT). Já o manda chuva do MDB no estado, deputado federal Fábio Reis, mantem boas relações com ministros de Bolsonaro. Pior são os deputados estaduais emedebistas Garibalde Mendonça e Zezinho Guimarães: além de discordarem do comando do partido, os dois vivem ameaçando se transferir para outras legendas. Misericórdia!

Bancada levada no bico

Para conseguir o apoio da bancada sergipana, o governo Jair Bolsonaro vive fazendo promessas. Uma delas foi a garantia do Ministério da Infraestrutura de concluir em tempo rápido a duplicação de trecho sergipano da BR-101, obra que se arrasta há décadas. O canto da sereia em direção aos parlamentares inclui sempre a exigência de votos favoráveis aos projetos governistas. Todos sabem que a maioria das ofertas feitas pelo Palácio do Planalto não será honrada, porém é como diz o ditado popular: com banana e bolo se engana os tolos. Crendeuspai!

Plantando verde

Nesta fase de pré-campanha eleitoral, todo mundo conversa com todo mundo visando sentir o clima no lado adversário. Ninguém abre o jogo completamente sobre os planos políticos, porém tenta colher informações preciosas do interlocutor. Na maioria das vezes, contudo, a conversa não passa de “cerca Lourenço”, miolo de pote. Até as convenções partidárias, os políticos vão continuar plantando verde, na esperança de colher maduro. Arre égua!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano O Imparcial, em 26 de dezembro de 1918

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais