Imprensa: coragem e vergonha

0

  É lamentável como veículos de comunicação e determinados profissionais de imprensa são  usados em Sergipe, pela classe dominante. Ontem, 18, o Correio de Sergipe publicou uma pequena matéria  sobre a Operação Navalha, num rodapé de uma página e nem mesmo citou os nomes dos sergipanos presos. E o pior, colocou o advogado de João Alves Neto, fazendo a defesa do empresário, mas na matéria não citou o nome dele. Ou seja, quem leu, se não soubesse das prisões pela repercussão nacional que teve, ficaria sem entender.

 

  Já na emissora de rádio Ilha FM, onde Gilmar Carvalho fez na quinta-feira,17, uma grande cobertura da operação da PF, simplesmente o assunto passou quase que despercebido. Foi lida apenas uma manchete e nada mais. O ouvinte ficou “órfão” dos novos fatos da operação. E o pior, Gilmar Carvalho não apresentou o programa. Com certeza não aceitou a determinação de não mais se aprofundar no assunto. O radialista Jailton Santana, que apresentou o programa não tem culpa, deve ter recebido orientação superior. Detalhe: no site dele, Gilmar continuou publicando notícias normais. Mais tarde, este jornalista foi informado que Gilmar tinha uma viagem marcada.

 

Porém o pior de tudo foram alguns colunistas que cobram deste jornalista coerência e se dizem imparciais e tudo mais simplesmente calaram diante do fato. Chegou a ser hilário ler um colunista lembrar da prisão em flagrante para defender os interesses do proprietário do veiculo de comunicação que trabalha. Depois cobra dos colegas profissionalismo e tudo mais. Vergonha na cara! É o correto neste momento. O mais engraçado é que nas outras operações da Polícia Federal não fez esta avaliação. Pelo contrário, defendeu a necessidade das investigações e tudo mais.  Mas o leitor tem consciência, demonstrou isso no ano passado e tem a certeza que estes “profissionais” cada vez estão mais desacreditados perante a opinião pública. Só falta querer prender os jornalistas que não se curvaram a esta “censura branca” e divulgaram toda a verdade. É uma inversão de valores tremenda. Anotem este dia: 18 de maio de 2007. O dia que vários “profissionais” da imprensa mostraram sua cara e a falta de compromisso com a informação verdadeira. Esse dia e os textos publicados por eles serão lembrados sempre neste espaço. Justiça seja feita o Jornal da Cidade, o Jornal do Dia, as emissoras de televisão, TV Sergipe, TV Atalaia e TV Cidade fizeram o dever de casa. E alguns poucos programas de rádio tiveram a coragem de relatar a verdade para seus ouvintes.

 

  Como estes profissionais da imprensa podem cobrar coerência e seriedade da classe política se não fazem o dever de casa?  Desculpe leitor, o desabafo. Mas está claro que alguns “profissionais” da imprensa colocam em primeiro plano seus interesses financeiros em detrimento de passar a verdade para a sociedade sergipana. É vergonhoso. Pode ter a certeza, este jornalista jamais se submeterá a essa situação. É preferível largar a profissão e vender banana no mercado central. É mais honesto Como já escreveu o presidente do Sindicato dos Jornalistas Cristian Góis, por várias vezes é preciso que a imprensa faça sua autocrítica. Este mero colunista pede desculpas novamente, mas ontem,18, teve vergonha de ser jornalista nesta terra chamada Sergipe.

 

 

Relaxamento das prisões de Flávio e Ivan

Trecho de matéria da Folha de São Paulo de hoje, 19: “A própria ministra do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Eliana Calmon, que determinou as prisões, voltou atrás em duas delas, permitindo que saíssem da carceragem da Polícia Federal o advogado Flávio Conceição de Oliveira Neto e o ex-deputado José Ivan de Carvalho Paixão, de Sergipe. No primeiro caso, ela aceitou o argumento do advogado de Oliveira Neto de que ele se recupera de cirurgia cardíaca. No segundo, o advogado de Carvalho Paixão disse que ele precisava fazer duas provas de pós-graduação neste final de semana, e que comparecerá para depor na segunda-feira.O advogado Emanuel Cacho, que defende o ex-deputado federal José Ivan de Carvalho Paixão (PPS-SE), detido ontem, disse ele conseguiu a liberdade sob a condição de se apresentar ao STJ na segunda-feira”. Já o empresário João Neto, até ontem não tinha conseguido o habeas corpus.

 

Tubulação custou o dobro do preço para o Estado

O Ministério Público Federal em Sergipe continua apurando um item – que trata das tubulações – do último contrato da Gautama com a Deso.  O procurador Paulo Fontes descobriu que o governo, através da Deso, pagou a empresa R$  1,750,00 por metro de uma tubulação especifica (em 2003). O procurador conseguiu as notas fiscais que a Gautana comprou uma empresa comprando por R$ 942,00. Que deu uma diferença de R$ 6 milhões. Ou seja, vendeu ao governo estado quase com o dobro do preço. Em fevereiro de 2006, o procurador encaminhou para que a Procuradoria Geral fizesse uma perícia neste contrato. Outros contratos suspeitos são da Gautama com a prefeitura de Poço Verde para construção de quatro barragens no valor de cerca de R$ 25 milhões. O TCU mandou suspender o contrato, mas já tinha sidos pago R$ 400 mil. Lá o problema é o superfaturamento que foi comprovado pela auditoria do TCU.

 

Nome correto da construtora

O nome da construtora envolvida na investigação da Operação Navalha, da PF, é Gautama e não “Guatama”, como foi publicada algumas vezes ontem nesta coluna. Aliás, como admirador da doutrina budista este jornalista lamenta que o dono da construtora tenha colocado o sobrenome de Buda numa empresa envolvida em tantos escândalos.

 

 Leitores comandam este espaço

A coluna tem recebido um número grande de e-mails nos últimos dias. O leitor tenha paciência, mas todos serão respondidos e alguns serão publicados de acordo com a solicitação, até porque este jornalista não manda neste espaço, e é apenas coadjuvante dos leitores que conquistaram esta coluna e fazem dela a trincheira de suas reivindicações, cobranças, lamentações, etc… obs: não adianta intimidação através de e-mails ou telefonemas. Este jornalista não tem nada a esconder, ao contrário de alguns…

 

Navalha na carne afetou “o olho” do leite

Não é que o ex-secretário adjunto da Secom, no governo João Alves, David Leite, esqueceu de abrir o olho no folhetim que publica e não escreveu uma nota sobre a Operação Navalha. Parece que a lamina afetou os neurônios do rapaz. Aliás, poucas horas depois que os envolvidos foram transferidos para Brasília, Leite estava numa animada mesa no Teimonde soltando gargalhadas. Não prestou nem mesmo solidariedade ao ex-patrão. Coisa feia! Depois fica chorando o leite derramado…

 

Kércio precisa identificar viaturas da PM

Porque a maioria das viaturas da policia não tem o número de identificação? Ontem, 18, um amigo

estava almoçando no restaurante Recanto da Paraíba no conjunto Beira Rio próximo ao colégio modulo, quando duas viaturas da policia (santana)da RP, chegaram ao restaurante cheio de familiares. Uma tinha o nº 0020 a outra não tinha identificação, a que tinha o nº deixou as pessoas e saiu e a outra permaneceu no restaurante. Este jornalista, também presenciou a viatura sem identificação no referido restaurante ainda às 15h40.

 

 

Conexão com o leitor: menino amarelo

De um leitor, através de e-mail: “Tim-dom! Trimmmmm! Quem será uma hora dessas?! Acordamos em transe na manhã de quinta-feira com o despertador federal que tocou na residência de autoridades em nossa pacata cidade. Ficamos apreensivos com o silêncio ensurdecedor dos agentes até a divulgação oficial dos nomes dos envolvidos na Operação Navalha, claro, estavam todos fazendo a barba que estava de molho há muito tempo. O fato político mais importante sem dúvida foi à prisão do Neto que também é filho, mas que pelo noticiário ninguém quer ser o pai da criança! João Alves Neto que é o único filho da Senadora da República Maria do Carmo Alves e do ex-Governador João Alves Filho está envolvido em um esquema pesado de tráfico de influência, formação de quadrilha, desvio do erário público (roubo), cobrança de propina (assalto), entre outros. Quando eu era menino toda vez que eu via os coleguinhas tirar o lanche dos outros, matar as aulas para brincar e pescar nas provas, minha mãe me dizia que isso era coisa de menino amarelo, e que era feio! Pois bem cresci aprendendo e sendo reflexo das atitudes positivas dos meus pais e diante desses fatos veio em meu humilde e sossegado pensamento a seguinte reflexão: já que “educação vem de berço”, será que esta foi a educação que este e outros meninos amarelos tiveram em casa?!”

 

 

Eficiência da Policia Federal I

De um leitor:Quero através de sua coluna parabenizar a ação da Polícia Federal, na Operação Navalha. Pena que o nosso Judiciário, ou as nossas leis, não tenham a mesma eficiência. Um tema puxa outro: são fatos como este que  me torna cada vez mais convicto que a reeleição tem que acabar.  Vejamos; se a cada quatro, ou mesmo a cada cinco anos, a gente mudasse  o governo, trocasse pela oposição, o governo de plantão teria que  “andar na linha” pois saberia que no próximo mandato, ele seria  investigado e poderia ir para a prisão. Digo isto baseado em alguns  fatos curiosos como, por exemplo: no Maranhão, somente foram  investigados os opositores a José Sarney; a súbita riqueza de um filho  de um presidente da América latina não é investigada. Aqui em Sergipe,  os desafetos de um Presidente e por aí vai. Analise cada um deles e  veja se não estou com a razão”.

 

Eficiência da Polícia Federal II

Continua o leitor: “Com isto não quero dizer que os  suspeitos não devam sofrer os rigores da lei. Todos têm que pagar  pelos seus crimes. Já pensou como seria ótimo, eu, atual governador, sabendo que posso ter um opositor daqui a quatro anos. Mas, como você  mesmo citou em sua coluna, desde os anões do orçamento a gente tem  visto a eficiência da Polícia Federal na investigação, e na prisão  também, mas, daí pagarem pelos crimes eu nunca vi. E como gostaria de  está errado! Não duvide, se ao ler este comentário, todos já estejam  soltos. Apenas para lembrar os inocentados: Paulo Maluf, Valdemar  Costa Neto, José Dirceu, José Genoíno, Jader Barbalho, Valdomiro, Fernando Collor…”

 

 

AMB contesta lei que beneficia delegados sergipanos

A Associação Nacional dos Magistrados do Brasil (AMB) ajuizou a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 3896, ontem, 18, com pedido de liminar, contra dispositivos de uma lei sergipana que “criou nova prerrogativa funcional para os delegados de polícia de carreira”.O dispositivo contestado é o artigo 32, IV, da Lei 4122/99 do Estado de Sergipe (SE) que concedeu aos delegados de polícia o direito de serem ouvidos, “como testemunha ou ofendido, em qualquer processo ou inquérito, em dia, hora e local previamente combinado com o juiz ou autoridade competente”.A AMB justifica que a lei estadual usurpou competência privativa da União para legislar sobre o direito penal e o direito processual, conforme o artigo 22, I, da Constituição Federal.Acrescenta que a Constituição prevê que podem ser ouvidos com data marcada apenas o presidente e o vice-presidente da República, senadores, deputados federais, ministros de Estado, governadores, secretários de Estado, prefeitos, deputados estaduais, membros do Poder Judiciário, ministros e juízes dos Tribunais de Contas da União.A ADI será analisada pela ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha.

 

 

Direção do Sindisan explica acordo na Deso

E-mail recebido da direção do Sindisan: “Sobre esta atual troca de e-mails vivenciada na sua coluna, devemos expressar a nossa opinião como direção do Sindisan e ativos militantes da categoria. Tal Acordo comentado foi discutido em Assembléia pela própria categoria, representado por todas as partes, foi assinado e homologado. Então, já que foi feita uma discussão prévia entre todos, havendo votação, e acordado, não há motivos reais e cabíveis de se haver esse tipo de discussão vivenciada nesta troca de e-mails.Através de nossas reivindicações, o Sindicato, como entidade representativa, conseguiu para os concursados os benefícios do 14° salário, o vale-transporte sem desconto na folha de pagamento, a cesta básica de alimentação no valor de R$ 180 para toda categoria, sem distinção, entre outras conquistas.Nós mantemos definida a nossa posição de luta a favor da categoria tendo como principio básico o diálogo nas nossas negociações.De forma estarrecida, ficamos surpresos com este embate, até porque deste o momento da aprovação, devemos dizer novamente que foi em concordância de todas as partes, não há mais o que ser feito. Agora, devemos sim, nos unir como categoria homogênia para lutar a favor de novas conquistas a serem realizadas”. A Direção do Sindisan.

 

 

Alteração da proposta de acordo salarial

Resposta de um servidor concursado da Deso a direção da empresa: “A alteração da proposta no acordo está explícita na cláusula quadragésima sétima, onde eles acrescentaram: …Aos empregados admitidos a partir de 11/08/2003 será estendido este benefício…. Essa alteração foi uma tentativa de evitar que possamos conseguir este direito retroativo na justiça. A alteração acontece também na cláusula quadragésima primeira, nela acrescentaram: Manutenção de conquistas, exclusivamente extensivo aos empregados admitidos até 30/06/1988, nos excluindo das cláusulas 12a,15a,16a,20a,22a,27a,29a,31a,32a,33a,36a,39a,e até das 43a e 45a que não existem acordo. Essa exclusão nos tira o direito a insalubridade, serviço social, assistência médico-hospital, quadro domicílio, troca de turno, programação de férias liberação de dirigente sindical, representantes do conselho de administração, reajuste salarial de 2,71%, programa de alimentação de R$ 180,00, incentivo a cursos e reuniões com o sindicato.Para quem pensa que foram só os “novatos” que as direção do sindicato e da empresa prejudicaram com essa fraude, o acordo desconsidera a proposta feita para os “antigos funcionários” também, retirando deles conquistas importantes como licença prêmio e anuênio”.

 

Cultura e Pensamento

A coordenadora do programa Cultura e Pensamento, do Ministério da Cultura, Nehle Franke, estará em Aracajú nesta segunda-feira, dia 21, a partir das 14h, no Centro de Criatividade, para orientar os interessados em participar dos editais do programa. Além das dúvidas técnicas com relação às modalidades de projetos e inscrições, serão realizados pequenos debates sobre as linhas temáticas sugeridas pelo Cultura e Pensamento. Os editais, que destinarão R$ 1 milhão de reais para os projetos selecionados em todo o Brasil, estarão abertos até o dia 15 de junho. 

 

 

Frase do Dia

“Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado”. Rui Barbosa.

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários