LULA E O TRASEIRO

0

“Estou presidente. Mas sou mesmo é dirigente sindical”. A frase é do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante encontro com presidentes sindicais. Analisando bem, foi a coisa mais proveitosa que Lula da Silva declarou em todo o período que está à frente do país. Embora tenha esquecido como se coordena uma mobilização, já não saiba mais as palavras que articulava para protestar contra os aumentos excessivos dos juros, combater os lucros altíssimos dos banqueiros e bradar palavras de ordem contra as desigualdades sociais, a dependência do Brasil ao Fundo Monetário Interacional e defender o trabalhador brasileiro na luta por melhores salários, realmente o presidente Lula era bem mais útil ao país e à sua classe, quando estava à frente dos movimentos sindicais. Quando mexia com as multidões, defendendo as perdas dos trabalhadores e protestando contra a perversidade da má distribuição e renda e a exploração do homem do campo, do operário oprimido e a favor de uma vida mais digna para todos.

 

O Lula presidente nega toda essa sua história de luta, de coragem e de sede de justiça social. O Lula presidente não administra o país dentro dos ideais que defendeu quando líder sindical. O Lula presidente faz tudo exatamente ao contrário do que o Lula operário pregava em praça pública. Os dois são absolutamente rivais, porque a vida dos integrantes da classe que ele defendia não sentiu, até este momento, que houve alguma alteração na trajetória de um governo montado pelo povo, mas que hoje satisfaz aos interesses da elite. E não era esse Lula, lapidado para pior, que o povo brasileiro elegeu. Porque o pobre faminto do Nordeste, o desempregado de todo o país, os excluídos das ações governamentais, ainda não perceberam que chegou na presidência um cidadão que veio das bases populares e conseguiu transpor a barreira de um mandato, sempre foi conquistado por uma oligarquia política, que domina este país desde o início da república. Lula, quem diria, era o retirante no Poder e, no imaginário coletivo de uma classe social eternamente subalterna, era o povo que estava subindo a rampa do Planalto.

 

Como o poder fascina, mexe com a cabeça de quem chega lá e até corrompe – o que não é o caso do atual presidente – ficou muito claro que Luiz Inácio Lua da Silva deixou de ser uma representação do povo, o conhecido líder sindical de grandes embates e incontáveis vitórias, para se transformar numa marionete para a mesma elite dominante que perdeu o prumo e passou o poder para um homem que vinha da base operária. O Partido dos Trabalhadores ainda tem em seus quadros muita gente que mantém a esperança de ver este país projetado pela régua e compasso da ideologia que os petistas traçaram, para levar igualdade aos homens, comida aos famintos, água aos sedentos e trabalho os que não têm oportunidade de competir com os filhotes dessa cúpula milionária que está arraigada nos cargos mais importantes de todos os poderes, sem que se ofereça condição aos tantos “santos” e “silvas”, que vivem abandonados por esse Brasil afora. 

 

Em sã consciência, o quê melhorou nesse país? Os pobres cada vez mais pobres e os ricos se mantendo no poder e ficando cada vez mais ricos. Esse filme não é lançamento. Trata-se de uma reprise que se assiste há séculos, em que os oprimidos não conseguem chegar além dessa condição, mesmo quando o mocinho sai do seu meio. É um filme de final infeliz. Uma das verdades é que Luiz Inácio Lula da Silva não estava preparado para ser o presidente que promoveria as mudanças sociais que prometeu em campanha e que sempre foi proposta do seu partido. E o quê fazer quando toda uma nação se sente frustrada? O quê fazer quando se perde a esperança? Reagir, dar a volta por cima e ir para a luta outra vez. Mas não se acredita mais em algum messias, porque o engodo trouxe o descrédito e tirou do povo a perspectiva de ser feliz.O Brasil tem jeito. Claro que tem. Mas é preciso que se saiba definir o boquirroto inflamado e o moderado com visão reformista, que se volte para as mudanças sólidas de base que a sociedade deseja. Por enquanto, como sugeriu o presidente, é levantar o traseiro para a lua. Quem sabe alguma coisa acontece?

 

 

DEBATE

O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, confirmou presença no debate com o governador João Alves Filho, na sede da OAB, em Brasília, segunda-feira. O tema será a transposição das águas do São Francisco para o Nordeste, que o ministro defende e o governador condena.

 

ESCOLHA

João Alves Filho foi escolhido pela OAB pela palestras que vem realizando em vários estados, inclusive na Câmara Federal, sobre o mal que causa a transposição. Além de mostrar a situação de enfermidade do rio, o governador João Alves Filho vê a transposição como um crime ambiental sem precedentes.

 

EXPECTATIVA

Há uma certa expectativa uma certa expectativa para o debate do governador João Alves Filho e o ministro Ciro Gomes, sobre a transposição do rio São Francisco. A radio Jornal já pediu sinal para transmissão direta e o radialista Fábio Henrique fará o seu programa, segunda-feira, de Brasília.

 

CONVERSA

O deputado federal João Fontes (PDT) conversou ontem com o governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PDT), apelando para que ele compareça à reunião de Pirapora. Ronaldo havia programado vir para Aracaju, onde haveria o encontro PDT e PPS, mas João lhe disse que a solenidade fora adiada. Ronaldo disse que ainda ia ver.

 

PIRAPORA

Amanhã o governador João Alves Filho e deputados de Sergipe viajam a Pirapora (MG) também para discutir a transposição do rio São Francisco. Cinco governadores já confirmaram presença, além de senadores, inclusive o presidente do Congresso, Renan Calheiros. A reunião de hoje em Pirapora será muito importante.

 

GARIBALDE

Funcionários da Deagro enviam e-mail constatando que o deputado Luiz Garibalde (PDT) retornou à base do Governo na Assembléia Legislativa. Diz que Garibalde votou contra a reforma da Emdagro, mas conseguiu nomear seu cunhado para diretor técnico da Deagro e tudo voltou à normalidade.

 

INICIATIVA

O deputado Luiz Garibalde disse que o seu cunhado retornou ao cargo, do qual tinha sido demitido, porque se entendeu que ele fez um movimento contra a reforma da Emdagro. Com o reconhecimento de que ele não participou de nenhum movimento, o próprio Governo decidiu por faze-lo retornar ao cargo.

 

COMPETENTE

Segundo Garibalde o seu cunhado, Augusto César Viana, é um técnico de competência reconhecida e não se envolve em política. Quanto a retornar à base do Governo, Garibalde diz que nunca saiu dela, embora tenha votado em alguns projetos que desagradam o grupo.

 

MUDANÇA

O deputado Luiz Garibalde Mendonça se mantém no PDT porque ainda espera uma decisão do senador Almeida Lima em relação ao PSDB. Disse que o senador chegaria ontem a Aracaju e deveria trazer algumas informações sobre mudanças na direção dos tucanos em Sergipe.

 

FLORO

A pergunta chega através de e-mail: “Será que Floro é o bandido que dizem? Qual a prova que existe  contra ele no caso Nego (da Farmácia)? Pergunte a Kérsio e João Eloi”. O e-mail vem apenas com as iniciais do emitente e sinaliza que realmente Floro Calheiros tem bons amigos em Sergipe e que vem a Aracaju esporadicamente.

 

EMPRÉSTIMOS

Aposentados e pensionistas da Previdência Social devem ficar atentos ao solicitar o empréstimo com desconto em folha. O INSS recebeu 1.005 reclamações, incluindo casos graves de pessoas que não pediram empréstimo e tiveram prestações descontadas no contracheque.

 

SENADO

O prefeito Marcelo Déda (PT) disse ontem que sua sensibilidade leva a crer que o presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra (PT) será candidato ao Sendo. Acrescenta que ele vai se apresentar do mesmo modo de outros nomes que pretendem disputar o mesmo mandato majoritário.

 

PREFEITO

Marcelo Déda sabe que não pode deixar de falar sobre política, ms garante que o seu objetivo, neste momento, é exercer o seu mandato de prefeito da capital. Na próxima semana, Déda fará uma reunião com todo o secretariado, para fazer uma avaliação dos quatro meses de administração.

 

BELIVALDO

O deputado estadual Belivaldo Chagas (PSB) foi nomeado ontem secretário de Assuntos Parlamentares da Prefeitura de Aracaju. Abre vaga para o suplente Edney Caetano (PSB) que há anos disputa mandato proporcional, sem jamais ter conseguido êxito.

 

Notas

 

ENCONTRO

O governador João Alves Filho (PFL) foi procurado pelo relator do projeto de Reforma Tributária, deputado Virgílio Guimarães, terça-feira em Brasília, para tentar um entendimento entre os estados e o Governo Federal, para que a reforma seja colocada em votação ainda este semestre. Virgílio fez um apelo ao governador para que os estados cedam em algumas exigências e o Governo Federal também abra mão de alguma coisa, para que se consiga uma posição definitiva em relação à Reforma Tributária.

 

ELEIÇÃO

O prefeito Marcelo Déda disse ontem que não ia “vestir fantasia de carnaval em período de São João” e se manterá cuidando da administração. Anuncia que só no primeiro trimestre do próximo ano é que vai conversar efetivamente sobre as eleições. Durante o Pré-Caju já serão dados os primeiros acordes. Déda vai participar ativamente do debate sucessório com os aliados, para definir os nomes que integrarão a chapa majoritária. Vai anunciar se topa ou não ser candidato e dizer quem gostará de ter como companheiro.

 

UNIDADE

Marcelo Déda lembrou que de 2002 até agora o bloco das oposições se mantém unido, sempre discutindo as questões que interessam ao grupo, mas sem que haja qualquer desentendimento insanável. É verdade isso nunca aconteceu no bloco, porque a cada pleito se fazia entendimento diferente. O prefeito acha que as oposições têm que continuar assim e conversar cada vez mais, para que as idéias sejam analisadas e colocadas em prática ou não: “há discussões pesadas, mas nada que não se acomode depois” disse.

 

É fogo

 

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) acha que o PT está obstruindo a pauta na Câmara, com receio de que se vote a reforma tributária fatiada.

 

O governador João Alves Filho está se preparando para o debate que terá com o ministro Ciro Gomes, sobre a transposição do rio São Francisco.

 

Um avião sai sexta-feira de Aracaju rumo a Pirapora, com o governador e deputados estaduais e federais.

 

O ex-prefeito de Pirambu, André Moura (PFL), é quem deve ocupar realmente a Secretaria Metropolitana, que está sendo criada pelo Governo.

 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou a revisão das tarifas de energia em Sergipe, Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte. Os reajustes variam de 9% a 23%.

 

A deputada Celinha Franco (PPS) comandará um grupo de suplentes que vai a Brasília pra assistir sessão do STF, dia 11 de maio.

 

Os suplentes estão muito animados com a possibilidade da votação no dia 11 e a publicação do acórdão até o dia 20.

 

O hipermercado G. Barbosa, localizado na avenida Francisco Porto, foi assaltado ontem à tarde. Os marginais levaram dinheiro de cinco caixas.

 

Um vigia, que há 38 anos fazia ronda em um trecho do bairro 13 de Julho, foi assassinado a pauladas por dois bandidos, porque não tinha um revólver para entregar-lhes.

 

Acostumados a deixar tudo para a última hora, milhões de contribuintes já começaram a enfrentar dificuldades para declarar o imposto de renda.

 

Os sistemas da Receita Federal estão cada vez mais sobrecarregados, chegando a receber 1.380 declarações por minuto.

 

O Banco Central elevou para US$ 53,903 bilhões a previsão para o fechamento das reservas internacionais brutas do país em 2005.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais