LULA EM SERGIPE

0

A vinda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a Sergipe foi uma deferência ao prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT). Até mesmo o pessoal que integra o bloco de oposição no Estado, não sentiu a força da presença de um presidente à cidade, porque ele saiu como chegou e praticamente não deixou nada de especial. Deixou bem claro, mesmo que não dissesse, que atendia ao convite do compadre Déda, Se não fosse o prefeito, é possível que Lula sequer prestigiasse os 150 anos de capital que sempre votou nele nas eleições que disputou. Evidente que mostra o prestígio do prefeito de Aracaju com o Planalto, o que não é surpresa, porque o Brasil sabe que Déda é da intimidade do presidente e geralmente dá suas opiniões nas decisões políticas, como está acontecendo agora com a reforma ministerial. Mas uma coisa é a amizade de Déda com Lula, que é pessoal e intransferível, outra é um certo descaso que o presidente faz de uma região do Nordeste, onde está localizado o Estado de Sergipe.

 

É verdade que o presidente Lula anunciou o início das obras de duplicação da BR-101. Lógico que seria ótimo para o Sergipe, se os trabalhos começassem pela Bahia e subissem até o Rio Grande do Norte. Mas será o inverso. Os trabalhos vêm de Natal e, provavelmente, a BR-101 duplicada vai servir aos netos e bisnetos de quem vislumbra isso neste momento. Servirá a uma nova geração de sergipanos. Ninguém acredita na garantia dada pelo presidente Lula, em Aracaju, de que as obras teriam início dentro de mais 60 dias. Com o contingenciamento dos recursos para pagamento da dívida externa e com os compromissos políticos do presidente com regiões eleitoralmente mais interessantes, tudo passa a crer que a afirmação da duplicação da BR-101, com início muito próximo, tenha sido produto de quem não tinha grandes coisas a anunciar, para uma gente que anda meia atônita com a transposição do rio São Francisco, obra que se tornou ponto de honra do ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, que conseguiu contagiar o presidente Lula e não há mais dúvida sobre a obra.

 

O que se percebe do atual presidente é que ele isolou uma região do Nordeste, onde tem Estados pequenos, que não influenciam eleitoralmente e não apresentam bancadas extensas, que mostrem força nas aprovações de Medidas Provisórias na Câmara. Lógico que o presidente tem dados suficientes que comprovam prejuízos lamentáveis aos Estados da bacia do rio São Francisco, com a determinação da transposição. Tem consciência, também, que Bahia, Pernambuco e Minas Gerais não serão tão atingidos com a obra. O pau vai quebrar exatamente nos pequenos Sergipe e Alagoas, que têm uma estrutura política tímida, embora o presidente do Senado, Renan Calheiros, seja alagoano. Já os Estados que serão beneficiados com a transposição, localizados no Nordeste setentrional, servem mais eleitoralmente ao Planalto, além de fortalecer o ministro Ciro Gomes, que deseja disputar o Governo do Ceará. O movimento que se fará hoje, interditando a ponte que liga Sergipe a Alagoas, no município de Proprá, já não tem respaldo jurídico e será esvaziado pela ação policial, mesmo com a presença de políticos influentes dos dois Estados.

 

A seca do Nordeste maltrata os sertanejos da região há muito anos. Há mais de dois aos no Planalto, o presidente jamais deixou o seu gabinete para visitar áreas que ele bem conhece e abandonou como retirante. As medidas para convivência com a seca são extremamente tímidas para o nordestino e o fenômeno climático se transformou em uma “triste indústria” que produz voto. É uma região onde se conserva a miséria porque ela dá lucro. A maioria dos Estados nordestinos vive nesta situação. Pois bem. A seca castiga o Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul neste momento e o presidente Lula já esteve lá para garantir benefícios aos agricultores e pecuaristas. No discurso disse mais uma bobagem que vai preenchendo o anedotário presidencial: “nunca soube de seca no Sul e vim ver como ela é”.

 

Na realidade foi oferecer a ajuda que jamais o fez para um povo que convive com a longa estiagem há várias gerações.

 

A refinaria que poderia vir para Sergipe, já está certa para Pernambuco e esse é apenas mais um gesto de que o presidente não ajuda um Estado que sempre esteve ao seu lado, nas sucessivas e desacreditadas candidaturas. Não seria esse o tratamento mais adequado para o Estado que desejou vê-lo onde está, mas não consegue ser visto para projetos que gerem emprego e renda.

 

 

DISCURSO

O deputado federal João Fontes (PFL) fará um pronunciamento na Câmara Federal para relatar a visita do presidente Lula a Sergipe.

No seu entender não houve nada de novo para o Estado: “Se Lula vier a Sergipe, de seis em seus meses, inaugurar trechos da avenida São Paulo, será um grande absurdo”.

 

DUPLICAÇÃO

O deputado João Fontes diz que tem certeza que o presidente Lula não reiniciará as obras da BR-101 dentro de mais 60 dias.

Lembra que ele contingenciou os recursos destinados à obra, para pagamento da dívida externa. Diz que o Tribunal de Contas de União não é impedimento para nada.

 

SECA

O presidente Lula viajou para ver a gravidade da seca no Rio Grande do Sul. Lá implantou o Seguro Safra para proteger os agricultores da região.

O sertão nordestino vive sol a pique e não se tem notícia da visita do presidente a essa gente sofrida, mesmo com o estado de emergência.

 

MONTE ALEGRE

O senador José Almeida Lima (PSDB) esteve com lideranças políticas de Monte Alegre, conversando sobre o seu partido, na tentativa de fortalece-lo para as próximas eleições.

Aliados do senador o acompanharam e a partir de agora Almeida Lima vai iniciar um trabalho político em todo o interior.

 

PROGRAMA

O deputado federal João Fontes (PDT) está se saindo bem nas inserções que o seu partido está levando ao ar.

O parlamentar mostra as razões de sua expulsão do PT e, em linguagem rápida, demonstra os objetivos do PDT em Sergipe e a sua linha política de esquerda.

 

PERDE

A bancada do Governo vai perder um dos deputados nestes próximos dois meses. Já está certa sua filiação em um partido que integra o bloco de oposição.

O parlamentar pediu sigilo sobre o nome, mas declara que está insatisfeito com o tratamento que vem recebendo, principalmente de auxiliares do governador.

 

OPINIÃO

O deputado Ivan Paixão (PPS) teria perguntado ao colega Jackson Barreto (PTB) se ele concordava que a união do ex-governador Albano Franco (PSDB) com o prefeito Marcelo Déda (PT) não dava certo.

Jackson teria respondido que não iria externar isso à imprensa, mas não concordava.

 

INTERDIÇÃO

O Dia Internacional das Águas – amanhã – será marcado em Sergipe e Alagoas pela interdição dos dois lados da ponte que liga os dois Estados.

Prefeitos, vereadores, deputados e senadores de Sergipe e Alagoas protestam pela transposição das águas do São Francisco, sem a revitalização.

 

AUDIÊNCIA

Segundo o deputado Augusto Bezerra (PFL), o senador Renan Calheiros vai tentar audiência do pessoal com o ministro Ciro Gomes, do Desenvolvimento Nacional.

O objetivo é para que o pessoal explique a necessidade urgente da revitalização. O bloqueio à ponte só será suspenso quando acontecer a audiência.

 

PALHAÇADA

O vereador Fábio Henrique (PDT) classificou a manifestação contra a transposição do rio São Francisco, com o fechamento da ponte em Propriá, como uma “palhaçada politiqueira”.

“Quando o homem (Lula) que pode suspender o projeto esteve aqui, ninguém disse nada, agora querem fechar a ponte para prejudicar os pobres caminhoneiros”, protestou.

 

LIMINAR

O juiz federal Edmilson Pimenta já concedeu liminar determinando que funcionários exonerados da Prefeitura interditassem à ponte entre Sergipe e Alagoas, no dia 17.

Atendeu a ação da União e determinou que a Polícia Rodoviária e a Polícia Federal evitassem a interdição. O mesmo deve valer para o movimento contra a transposição.

 

COMEMORA

O Governo do Estado não vai cessar as comemorações do sesquicentenário de Aracaju, incrementadas na semana passada.

No Ano do Sesquicentenário, o Governo pretende fazer muita coisa pela cidade, sempre levando em consideração os 150 anos.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) se encontrou com o presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, e lhe avisou: “vou lá…”

Aconteceu na posse de Hildegardes Azevedo como presidente do Tribunal de Contas.

Benedito Figueiredo disse que o partido está de portas abertas para quem vier se somar ao projeto do PMDB no Estado.

 

Notas

 

PRISÃO-1

A juíza Iolanda Santos Guimarães, da 5ª Vara Criminal, julgou improcedente o pedido de revogação da prisão preventiva do acusado Antônio Francisco Garcez, ou que seja a prisão carcerária convertida em domiciliar. Antônio Francisco alegou que é uma pessoa idosa e de saúde frágil. O MP opinou pelo indeferimento.

Antônio Francisco está na Penitenciária de São Cristóvão, acusado de ser mandante do crime do então deputado Joaldo Barbosa. Ele tem refeição diferenciada e recebe tratamento médico em razão da hipertensão e diabetes.

 

PRISÃO-2

Em sua decisão, a juíza Iolanda Magalhães verifica a improcedência da revogação da prisão preventiva, porque Antônio Francisco fugiu quando ela foi decretada e a inexistência de qualquer garantia de que não o faça novamente, caso seja posto em liberdade. A juíza considera a sua detenção necessária.

A juíza considerou que, de acordo com os relatórios dos médicos oficiais designados para atende-lo, os problemas de saúde de Antônio Francisco são passíveis de tratamento adequado no próprio estabelecimento penal.

 

PRISÃO-3

Quanto à prisão domiciliar, a juíza explica que ela só é admitida quando se trata de réu inserido no regime prisional aberto. Iolanda até admite a prisão domiciliar, quando a doença é grave e se o tratamento médico adequado não puder ser ministrado no presídio em que o detento se encontra.

No caso de Antônio Francisco, não houve demonstração cabal da alegada fragilidade do estado de saúde do paciente. A documentação apresentada se restringe a laudos de exames clínicos que não comprovam o quadro sugerido.

 

É fogo

 

A partir de quarta-feira à tarde, está decretado ponto facultativo no Estado, em razão da Semana Santa.

 

O secretário da Administração, Mendonça Prado, revela que o governo estadual estuda um reajuste para o funcionalismo público.

 

Não há ainda definição do percentual do reajuste, mas como Mendonça Prado criticou o aumento de 0,1% do Governo Federal, fica claro que o de Sergipe será bem maior.

 

O deputado federal Cleonâncio Fonseca (PP) é um dos deputados que mais atua para que os vereadores atingidos pela resolução do TSE assumam o mandato.

 

Algumas prefeituras do interior estão distribuindo peixes neste período de semana santa, com as famílias carentes.

 

O deputado Francisco Gualberto (PT) ficou triste com a rejeição do seu projeto que garantia a gratuidade na segunda via de documentos quando fossem roubados.

 

Aconteceram os primeiros sinais de chuva em Aracaju, mas ainda muito tímidos. A capital nunca passou por estiagem tão prolongada.

 

Os vendedores de água mineral estão inflacionando o mercado e a garrafa de 20 litros já está chegando aos cinco reais em algumas localidades.

 

Caso seja bem cuidada, a orla de Atalaia se manterá como uma das mais bonitas e diversificada do Brasil.

 

A inadimplência dos consumidores baixou 3,3% em janeiro, perante dezembro, em termos dessazonalizados.

 

O presidente do BNDES, Guido Mantega, anunciou a volta do banco ao mercado de capitais como parte de sua estratégia de negócios.

 

A Receita Federal reduziu a burocracia no processo de reimportação de mercadorias exportadas por período temporário.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais