MUSIQUALIDADE

0

R E S E N H A     1

 

Cantora: Beth Carvalho

CD: “AO VIVO NO THEATRO MUNICIPAL”

Gravadora: SONY & BMG

 

Dentre as três maiores sambistas da história da nossa música, incontestavelmente Beth Carvalho ocupa o posto de a mais genuína. Clara Nunes, embora dona de uma carreira irretocável, vez por outra flertou com outros ritmos e Alcione até hoje alterna bons momentos criativos com outros em que derrapa na seara romântica melosa e pasteurizada.

Foi para marcar os quarenta anos de dedicação ao mais puro samba que Beth realizou, em dezembro de 2005, show antológico no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o qual demorou praticamente um ano para ser posto no mercado nos formatos de DVD e CD (em dois volumes).

Mas o fato é que o espetáculo transformou-se em uma grande comemoração e a cantora portou-se como uma verdadeira anfitriã, costurando com destreza um mosaico de canções de vários grandes compositores. É claro que, em um apanhado desse tipo, sempre termina ficando alguns de fora (Noel Rosa e Adoniran Barbosa, por exemplo, são ausências sentidas), mas estão lá criações inesquecíveis de Ismael Silva, Chico Buarque, Cartola, Arlindo Cruz, Sombrinha, Almir Guineto e Jorge Aragão, entre outros.

Depois de um período em que enfileirava um sucesso atrás do outro, o qual atingiu o seu auge nos anos setenta e oitenta, Beth enfrentou, na década seguinte, um problema nas cordas vocais que a levaram por uns tempos ao estaleiro. Anos de tratamento sério e muita força de vontade puseram-na novamente em forma como atesta o trabalho ao vivo recém-chegado às lojas.

Com uma voz de extensão pequena mas de timbre majestoso, a artista mostra-se inteira ao reunir em torno de si, em participações memoráveis, Zeca Pagodinho, Dona Ivone Lara, Dudu Nobre, Monarco, Nelson Sargento, Sombrinha, Diogo Nogueira, Almir Guineto, Ary do Cavaco, Darcy da Mangueira, Vó Maria e Luiz Carlos da Vila.

O único senão fica por conta da edição de voz que desnecessariamente repete, nos dois CD’s, idênticas frases ditas por Beth entre as músicas, quebrando a “veracidade” do show, o que somente se justifica pelo fato de a gravadora disponibilizar a venda dos dois CD’s em separado. Nada, contudo, que venha macular essa grande festa do autêntico samba brasileiro!

 

 

R E S E N H A     2

 

Grupo: CHICAS

CD: “QUEM VAI COMPRAR NOSSO BARULHO?”

Gravadora: INDEPENDENTE

 

O mercado fonográfico independente tem revelado grandes e promissores talentos para a nossa música popular brasileira. Uma dessas agradáveis surpresas é o lançamento do CD intitulado “Quem Vai Comprar Nosso Barulho?” do grupo Chicas, formado por quatro mulheres: Paula Leal, Isadora Medella, Amora Pêra e Fernanda Gonzaga. As duas últimas são filhas de Gonzaguinha e trazem, portanto, o DNA musical no sangue. De sua autoria, foram regravadas, inclusive, as belas “Felicidade” e “Geraldinos e Arquibaldos” e resgatada a delicada “Namorar”, canção menos inspirada do criativo compositor, a qual se encontrava perdida em uma gaveta e que surge em gravação inédita com direito a citação de “Samba a Dois” (de Marcelo Camelo).

O recém-lançado disco contém quatorze faixas, sendo metade dele composto por regravações. Dentre estas, os destaques ficam por conta de “Me Deixa” (de Marcelo Yuka), em versão bem mais suave que a popularizada pela banda O Rappa, e “Volte Para o Seu Lar” (de Arnaldo Antunes), um dos primeiros sucessos da carreira de Marisa Monte. A mesma sorte não teve, contudo, a faixa “Paciência” que acabou perdendo um pouco a força mostrada em gravações anteriores feitas pelo seu autor Lenine e pela cantora Simone.

As garotas também tocam e compõem bem direitinho, o que pode ser comprovado através da romântica “Ter Que Esperar” e da contagiante “Tia Chica”.

Trata-se de um trabalho moderno, mas que não cai nas tentações modernosas que assolam o mercado fonográfico. Todavia, o cuidado em não repetir o que já foi feito por tantos grupos vocais fica nítido quando se ouvem os arranjos bem sacados e as vocalizações que fogem do convencional.

A arte gráfica também é bem bacana, toda voltada para o lado da costura, mostrando miçangas e adereços aos borbotões e contando com os esboços dos rostos das artistas como se fossem bordados em tela.

Outros bons momentos do repertório são as canções “Rap do Silva” (do MC Bob Rum) e “Alô, Liberdade” (versão de Chico Buarque para obra de Bacalov e Bardotti).

Um álbum transado que deve ser conhecido por todos os que possuem bom gosto musical!

 

 

N O V I D A D E S

 

·               Foi realizado antes de ontem (sábado), na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador (BA), um show em tributo a Mãe Menininha do Gantois, a ialorixá mais famosa do Brasil. O registro foi feito por uma produtora de vídeo local e se transformará em DVD, o qual em breve estará aportando no mercado com as participações de Caetano Veloso, Daniela Mercury, Gal Costa, Gerônimo, Maria Bethânia e Mariene de Castro.

 

·               Para comemorar os seus sessenta anos (que serão completados no último dia deste ano), a cantora Rita Lee pretende lançar, ainda no primeiro semestre de 2007, um CD de canções inéditas. A gravadora ainda não foi acertada, mas as conversas com a Biscoito Fino estão bem adiantadas. Além do disco, chegará também ao mercado uma caixa contendo três DVD’s que trarão documentários sobre a vida e a obra da “titia” do rock nacional.

 

·               O terceiro título da série “Poetas da Canção” (que teve Sérgio Natureza e Salgado Maranhão como os dois primeiros) visitará a obra de Geraldo Carneiro, poeta que é parceiro de nomes como Astor Piazzolla e Egberto Gismonti. O álbum vem embalado em caixa que agrega o livro de poemas “À Flor da Língua”. Dentre canções inéditas, estão também algumas de suas criações mais conhecidas como, por exemplo, “Gozos da Alma”, com Francis Hime, “Rita Baiana”, com Zezé Motta, “Olha a Lua”, com Olivia Byington, e “Lundu”, com Lenine.

 

·               Dois grandes artistas da nossa MPB terão suas vidas transformadas em documentários, os quais chegarão aos cinemas ainda este ano: Raul Seixas e Elza Soares.

 

·               A banda Barão Vermelho sai de férias pela segunda vez e agora sem data para um efetivo retorno. E, sendo assim, os seus integrantes começam a dar vazão às suas carreiras individuais. Enquanto Frejat já escolhe repertório para um próximo CD, o baixista Rodrigo Santos prepara para lançar, ainda este ano, o seu disco de estréia como cantor, o qual irá se chamar “Um Pouco Mais de Calma”.

 

·               Já está disponível no mercado o musical dirigido por Maurício Sherman em que a atriz Marília Pêra interpreta sucessos de Carmen Miranda. Lançado pela EMI, a edição dupla agrega CD e DVD.

 

·               Em agosto do ano passado o cantor e compositor Renato Teixeira realizou show no Auditório Ibirapuera (SP), o qual foi devidamente registrado e será lançado em breve nos formatos CD e DVD ao vivo. Há as participações especiais de Chitãozinho & Xororó, Joanna, Pena Branca e do argentino León Gieco.

 

·               Desanimada com as novidades da nossa MPB e depois de lançar CD ao vivo em que cantava somente músicas em inglês, a sensacional cantora Zizi Possi resolveu gravar um álbum com repertório erudito. A idéia dela é interpretar árias, cantatas e canções extraídas de peças clássicas e fazer com que o projeto chegue às lojas ainda este ano.

 

·               O compositor Paulinho Tapajós uniu-se ao músico Marcello Lessa e juntos lançaram, através da gravadora Kuarup, o CD intitulado “Par ou Ímpar”. Grandes sucessos de Paulinho estão lá, a exemplo de “Irmãos Coragem”, “No Tempo dos Quintais”, “Sapato Velho” e “Cantiga por Luciana”, mas a maior parte do repertório é composta por boas canções inéditas como “Brasileiro”, “Só Xote”, “Buena Vista”, “O Camponês” e a bela faixa-título. O álbum conta com as participações especiais de Eudes Fraga, Wanda Sá, Cláudia Telles e Luiz Melodia.

 

·               Telo Borges, mineiro que integrou o lendário Clube da Esquina (do qual também participaram os famosos Milton Nascimento, Beto Guedes e Lô Borges) acaba de fazer chegar às lojas, através do pequeno selo Poly Records, o CD “Vento de Maio”, título, aliás, de uma canção de sua autoria magistralmente gravada por Elis Regina em seu último disco. No repertório do trabalho recém-lançado, o artista apresenta novas parcerias com Ronaldo Bastos (“De Lá Pra Cá”), Fernando Brant (“Inverno Azul”), Murilo Antunes (“Lance de Dados”) e Márcio Borges (“Chama Sentimento”). Toninho Horta faz participação especial na boa faixa instrumental “Drina”.

 

 

RUBENS LISBOA é compositor e cantor


Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais