NÃO HÁ VACINA

0

O discurso político, em todo o Brasil, mantém um tema permanente: o combate à corrupção. Faz parte de todos os programas municipais, estaduais e federais. Por mais que se tente combate-la, ninguém ainda conseguiu encontrar uma vacina que dizime esse cancro que agride a vida brasileira. Embora o brasileiro esteja muito bem entrosado com esse mal, ainda consegue se indignar com falcatruas e ladroagens que se verificam nos segmentos oficiais do país. O eleitorado que votou no metalúrgico Lula da Silva, um candidato teimoso à presidência da República, o fez pelo seu discurso de líder sindical. Ele conduziu o Partido dos Trabalhadores como um oásis de honestidade dentro de território tomado pelo vírus da impunidade, das diferenças sociais, do desemprego, da administração voltada para os banqueiros e, principalmente, contra a corrupção, a roubalheira e o mau uso do dinheiro público. O PT, tendo à frente o presidente Lula, surgia como o antídoto de todos os males e vícios administrativos dos governos que já passaram pelo Planalto.

 

Quando se assiste denuncias de corrupção no governo de Luiz Inácio Lula da Silva o seu eleitorado cai o queixo. É que o ex-líder sindical prometeu meter na cadeia todos os corruptos do país. Em pouco mais de dois anos de Governo, vários tipos de atos indignos mancharam o Planalto, a começar do caso do assessor do ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu. É verdade que o assessor está respondendo a processo, mas o ministro se mantém firme e forte, dividindo o poder político-administrativo com o próprio presidente. Quando se imaginava que o presidente Lula fosse abrir o Partido dos Trabalhadores para coligações sérias, bem selecionadas e de nomes que poderiam exibir suas folhas corridas, de repente resolve abrir um leque de composições com a fina flor do oportunismo político brasileiro, com o objetivo de se manter com o mandato por mais quatro anos. O deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, é um velho conhecido da imprensa brasileira quando, com os seus então 150 quilos, integrava o bloco de força a favor do ex-presidente Fernando Collor de Mello, durante o período em que PC-Farias comandava uma rede de corrupção no Brasil.

 

Jefferson hoje está na linha de frente do bloco que apóia Lula. Quem mudou: o presidente ou o deputado? É possível que o presidente. É que Jefferson já integrava essa turma que burilava bem os cargos para tirar proveito financeiro. Lula certamente sabia disso e não apenas o quis como aliado, mas deu-lhe força suficiente para indicar nomes de sua confianças para cargos importantes como a Empresa dos Correios e Telégrafos e outras estatais do porte da Eletronorte. Evidente que o menor já foi exonerado, como se isso fosse um exemplo contra a corrupção, mas há necessidade de ir mais fundo, buscar os chefões, quebrar essa proteção a quem tem o voto. Afinal, o governo Lula tem que mostrar honestidade, seriedade e compromisso com o fim da impunidade para a elite política, que usa a força eleitoral, adquirida com os recursos ilícitos extraídos do governo, para comprar mandatos. Tudo isso é lamentável. Seria ótimo que não acontecesse. Mas já que são fatos que se repetem, o governo petista tem que por em prática um discurso que se perdeu dias depois que o Partido dos Trabalhadores, através de sua liderança maior, Lula da Silva, subiu a rampa do Palácio do Planalto.

 

Outra tristeza, que já não tem nada a ver com o presidente Lula, foi a tentativa de extorsão praticada por deputados de Rondônia contra o governador do Estado. E o que foi mais lamentável: o judiciário, através de um dos seus membros, proibiu que a população visse como agem os seus representantes. A censura à divulgação da corrupção é pior do que a ideológica, porque incentiva a corrupção, fortalece a impunidade e põe a instituição sob suspeita. Quando o judiciário toma a iniciativa de proteger corruptos, com foi o caso dos parlamentares de Rondônia, não tem mais em que se acreditar.

 

 

MUDANÇAS

A fonte é do Palácio: o radialista Carlos Batalha retorna ao primeiro escalão e vai assumir a Secretaria da Juventude e Esporte, que lhe fora oferecida antes de ir para a Aperipê. Para a Fundação Aperipê será nomeada a radialista Marlene Calumby, que dirigiu a entidade no segundo governo João Alves Filho.

 

ROMPIMENTO

O deputado federal João Fontes trabalha para o ato público que será realizado em frente à Assembléia Legislativa do Estado, dia 10 de junho. Será contra a transposição das águas do rio São Francisco, quando se anuncia, como consta em ato, o rompimento do Estado de Sergipe com o Governo Federal.

 

REPÚDIO

Segundo ainda João Fontes, a Assembléia Legislativa fará publicar em todos os jornais do sul do país, uma nota de repúdio ao ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes. Hoje, em Brasília, também será criada uma Frente Parlamentar Pró-Transposição, para barrar o ato do Governo.

 

ADVOGADOS

O governador João Alves Filho (PFL) acompanha o trabalho de um escritório de advocacia de São Paulo, para onde ele viajou na semana passada. Os advogados encontram uma série de brechas no próprio edital de licitação para a obra de transposição das águas no rio. Será ajuizada uma ação contra a transposição.

 

MENDONÇA

O procurador de Justiça Luiz Mendonça retornou ontem ao comando da Secretaria de Segurança, depois de derrubar a liminar que o afastou do cargo. Luiz foi recebido com festas por funcionários, assessores e membros da Polícia Civil. Ele teve afastado do cargo menos de uma semana.

 

DIVISÕES

Um membro importante da Secretaria disse que Luiz Mendonça deve retornar com disposição de dar um basta nas divisões políticas que criam obstáculos ao seu trabalho. Todos sabem que a equipe não trabalha em harmonia. Quando a cúpula policial não se entende, favorece aos bandidos e aniquila a sociedade.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PSDB) disse que continua na mesma espera por uma decisão do diretório nacional do seu partido, para tomar uma posição em relação a Sergipe. Até o momento o comando do tucanato não foi entregue ao senador, como havia sido acordado, para que ele disputasse o Governo do Estado.

 

PARTICIPA

Almeida Lima diz que tem sido convocado pela direção nacional a participar mais das ações do partido e que mantém sua candidatura a governador do Estado. Vem conversando com aliados em Sergipe, sem qualquer alteração no ritmo para fortalecimento do partido e acha que tudo acontecerá na sua época.

 

HISTÓRIA

O senador José Almeida Lima esclareceu que em nenhum momento demonstrou impaciência com a situação e que estaria à beira de tomar uma decisão: “tudo isso é uma grande história”, classificou. Circulou informação em Aracaju que Almeida Lima poderia pensar em outra legenda rapidamente, caso as coisas continuassem como estão.

 

REUNIÃO

Domingo, na casa do presidente regional do PSB, agrônomo Paulo Viana, prefeitos e vice-prefeitos do partido vão se reunir para discutir administração e política. Já está garantida a participação do senador Antônio Carlos Valadares e do prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT).

 

SECRETARIAS

Está tramitando na Assembléia Legislativa o projeto-de-lei que cria mais duas Secretarias de Estado: a Metropolitana e a do Trabalho. O projeto deve ser discutido e votado ainda esta semana. Para a Secretaria Metropolitana há sinalização de que o nome será do ex-prefeito de Pirambu, André Moura.

 

ESCÂNDALO

O escândalo do PTB, publicado na Veja, sobre a ação junto ao Governo Federal para conseguir financiamento de campanha merece uma ação enérgica do Congresso. Desnuda um partido que hoje tem como presidente o ex-pára-choque do Governo Collor de Melo. Na visão de parlamentares, vai dar em Comissão Parlamentar de Inquérito.

 

SERGIPE

Em Sergipe, o deputado federal Jackson Barreto (PTB) reuniu os membros do partidos para discutir as eleições de 2006. O prefeito Marcelo Déda foi convidado e disse que estava colocando seu nome para discussão do grupo e do seu partido, como candidato ao Governo do Estado em 2006.

 

JERÔNIMO

O deputado federal Jackson Barreto avisou que o PTB tinha o nome para candidato a vice para colocar ao bloco como opção, que era o de Jerônimo Reis. Jerônimo disse que não recusará uma indicação do partido, desde que também seja da vontade do bloco: “não brigarei para isso, porque sou é candidato a deputado federal”.

 

CONVERSA

O senador José Almeida Lima (PSDB) recebeu em sua casa, domingo à noite, o presidente do PMDB, Benedito Figueiredo, para uma longa conversa, que envolveu a sucessão. A conversa foi boa para ambos, que demonstraram disposição de fazer política e de ter uma candidatura dentro de uma coligação: “trabalharei para isso”, disse Benedito.

 

 

Notas

 

PALESTRA

O governador João Alves Filho (PFL) viaja hoje a São Paulo para tratar de assuntos administrativos e à noite estará em Recife para, amanhã, proferir palestra sobre a transposição das águas do rio São Francisco, na Assembléia Legislativa de Pernambuco, terra do presidente Lula. João Alves tem sido convidado para palestras sobre a transposição do São Francisco, pela sua argumentação técnica contrária à obra do governo federal, a qual considera tecnicamente equivocada.

 

PLEBISCITO

O deputado Luiz Carreira (PFL-BA) apresentou um Projeto de Decreto Legislativo (PDC, propondo que todo o eleitorado poderá opinar sobre a transposição do rio São Francisco. De acordo com a proposta, o plebiscito sobre a bacia hidrográfica do rio será realizado no primeiro domingo de outubro de 2006. O projeto determina que a Justiça Eleitoral deverá veicular campanha institucional esclarecedora nos meios de comunicação. O resultado sairá de acordo com a homologação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

CANINDÉ

A Câmara Municipal de Canindé de São Francisco terá uma sessão movimentada hoje à noite, quando os nove vereadores julgam as contas do ex-prefeito Genivaldo Galindo, hoje detido na penitenciária de São Cristóvão. Segundo uma fonte daquela cidade, desde domingo que há um movimento sobre isso. A mesma fonte acrescenta que já existe, em Canindé do São Francisco, de que dificilmente o ex-prefeito Genivaldo Galindo não terá suas contas aprovadas. Acha que há um cruzar de braços sobre a sessão de hoje.

 

É fogo

 

A TV Sergipe comemorou ontem os seus 26 anos de fundação, tendo à frente o empresário Walter Franco e uma equipe de muita garra.

 

Ontem à noite houve uma missa de ação de graça e, logo depois, um coquetel em uma casa de festa na Atalaia.

 

O PFL Jovem de Aracaju realizará sexta-feira, às 17 horas, na Assembléia Legislativa a posse da nova diretoria do partido que terá como novo presidente Victor Rollemberg.

 

Durante a solenidade de posse, serão homenageados os deputados estaduais e vereadores da bancada do PFL.

 

Atendendo às queixas dos líderes dos partidos aliados, o presidente Lula da Silva decidiu trabalhar pessoalmente, a partir de agora, para impor limites ao PT no governo.

 

A primeira providência Lula já tomou: avisou aos principais petistas que está garantindo a permanência de Aldo Rebelo (PCdoB) no Ministério da Coordenação Política.

 

A Petrobras registrou um lucro de R$ 5 021 bilhões no primeiro trimestre de 2005, impulsionada pelo aumento da produção e pela alta das cotações internacionais do petróleo.

 

O valor é 32% superior ao lucro apurado nos primeiros três meses de 2004 e perde apenas para o desempenho do primeiro trimestre de 2003, quando a empresa lucrou R$ 5,544 bi.

 

O vereador Fábio Henrique (PDT) vem trabalhando firme para disputar as eleições do próximo ano.

 

Não abra o e-mail “Ultimas de Atenas”, é um vírus que abre uma tocha e “queima” todos os seus arquivos. Não abra esse e-mail, nem que seja do melhor amigo.

 

O governador João Alves Filho visitou os dois lados da ponte que liga Aracaju à Barra dos Coqueiros. Os trabalhos estão adiantados.

 

A queda da verticalização tem animado alguns políticos sergipanos, que estão com dificuldades dentro do partido, na disputa eleitoral.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários