PT conversa

0

O Partido dos Trabalhadores vai se reunir, sábado, dia dedicado aos namorados, para escolher os delegados do partido junto à Executiva Nacional. Desta vez não será para discutir alguma candidatura, mas poderá sinalizar sobre o que virá no dia 19, quando o partido dá os passos finais para homologação do nome de Marcelo Déda para disputar a reeleição. Segundo o secretário da Comunicação, Milton Alves, não existe dia melhor para esse tipo de encontro, “certamente haverá muito piscar de olhos”. A reuniu que ocorreu sábado passado foi apenas do grupo Articulação, que é a tendência com maioria dentro do PT, mas no próximo dia 19, todo o partido estará em discussão sobre a sucessão municipal. Os membros da Articulação conhecem bem o estilo do partido e garantem que pode até haver muitas discussões, uma série de brigas, mas que no final, quando se definem as posições, todos saem de mãos dadas e sem problemas. O encontro de sábado deixou clara a possibilidade da chapa majoritária do partido ser a mesma que está aí, mantendo Edvaldo Nogueira (PCdoB) como vice. É verdade que ninguém pode imaginar que o ex-secretário Nilson Lima saia desse episódio “derrubando o barraco”. Sempre foi um cidadão muito tranqüilo, cordato e maduro o suficiente para saber o que quer e até onde pode manter suas exigências. O que ainda não está comprovado é se ele cultivará ressentimentos… A verdade é que a tendência Articulação, que tem Marcelo Déda e José Eduardo Dura como lideranças mais expressivas, praticamente considerou o fato como resolvido, sinalizando para a continuidade de Edvaldo Nogueira como vice-prefeito. Tanto que um jornal, que circula apenas às segundas-feiras, noticiou a reunião, com o resultado que favorece aos partidos da coligação. Mas, não será bem assim. O ex-secretário das Finanças, Nilson Lima, apesar de ser um petista obediente, responsável e bem relacionado com todos os segmentos da legenda ao qual tem filiação, não parece um sujeito acomodado. Está mantendo a sua candidatura e vai leva-la para uma discussão dentro do partido, quando será discutida por todos os segmentos, no congresso que se realiza dia 19 próximo. A compreensão natural que Nilson Lima tem é que qualquer decisão deve se tomada a partir do encontro do dia 19, quando todos terão o direito à manifestação. O que aconteceu sábado passado foi uma reunião de um grupo que forma uma facção importante dentro do PT, mas é importante que todas as demais tendências se manifestem, já que elas não tiveram vez até o momento. Em conversa que teve com um amigo, Nilson disse que a decisão sobre sua posição pode avançar, mas acha natural que ela se mantenha, porque há necessidade da militância expressar seu pensamento e chegar às deduções naturais. Apesar da reação que se registrou entre os membros dos partidos que integram o bloco político que dá sustentação a Marcelo Déda, os integrantes de outras tendências praticamente são unânimes em defende uma chapa puro sangue, dentro da expectativa de que, sendo eleito, o prefeito Marcelo Déda entrega Aracaju a outra legenda e o Partido dos Trabalhadores dificilmente retornará a ela. Todos lembram o episódio entre Jackson Barreto e o primo José Almeida Lima. Praticamente um caso idêntico. Só que não ocorreu transferência de uma sigla para outra, porque os dois integravam o mesmo partido. E é aí onde fazem ligações perigosas: se eram primos, membros do mesmo partido, racharam na primeira oportunidade, imagina quem não tem a mínima vinculação? É exatamente neste item que o impasse pega. A deputada Ana Lúcia, por exemplo, diz que o Partido dos Trabalhadores não pode ganhar as eleições e perder o mandato. E garante que é contra o prefeito Marcelo Déda se reeleger, pela força de sua liderança, com o aval de uma legenda forte e o esforço das suas bases, para 120 dias depois entregar tudo isso a um outro partido, com voto suficiente para eleger apenas um vereador. Essa é uma opinião praticamente generalizada, porque o dilema é exatamente passar a Prefeitura para um membro de outro partido, quando a sociedade escolheu o PT. Nesse caso é preciso que os petistas também entendam que sem o suporte das siglas que estão dando essa nova vida ao Partido dos Trabalhadores, o prefeito Marcelo Déda pode passar a Prefeitura para os seus adversários. MANTÉM O ex-secretário das Finanças, Nilson Lima (PT), vai manter seu nome à disposição para ser candidato a vice-prefeito, ao lado de Marcelo Déda, que terá a reeleição. No seu entendimento, uma posição só deve ser adotada no dia 19, quando se realiza o congresso para homologação de nomes. CORRENTES Segundo Nilson, as diversas correntes que formam o Partido dos Trabalhadores estão querendo uma chapa com petistas e esse pessoal ainda não pode se manifestar. A reunião que houve no final de semana foi para discutir um nome, mas ainda faltam definições que envolvem outros segmentos do partido. GERAL O que Nilson Lima disse é absolutamente verdadeiro, porque a militância petista considera que o prefeito Marcelo Déda é quem tem voto para eleger o bloco da oposição, inclusive com uma equipe eficiente. O vice-prefeito não é votado, a sociedade aprovou a administração petista e não dá para ganhar e entregar Aracaju a outro partido. ORIENTAÇÃO A questão da chapa puro sangue, no PT, vem de cima. É uma determinação do ministro José Dirceu, da Casa Civil, e do presidente do PT, José Genoino. Principalmente para os prefeitos que disputavam a reeleição e que seriam candidatos ao Governo do Estado em 2006, como é o caso de Marcelo Déda. BOA CONVERSA Uma fonte forte do PT disse que José Dirceu e José Genoino vão conversar com as lideranças dos partidos aliados. No caso de Sergipe, seriam os deputados Jackson Barreto (PDT), Heleno Silva (PL) e o senador Antônio Carlos Valadares (PSB). A fonte considera que em Brasília as coisas são diferentes. LORDS ATUAM O deputado estadual Belivaldo Chagas (PSB) considerou que a sucessão municipal em Aracaju está “ficando uma tragédia”. E brincou: “agora os lords ingleses estão querendo colocar seus cavalos puro-sangue na pista de corridas”. Vamos ver como as lideranças vão resolver isso em tão curto tempo. VALADARES O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) sempre defendeu um maior salário mínimo para os trabalhadores brasileiros e dessa vez não será diferente. Quando o projeto de R$ 160,00 for para aprovação no Senado, vai votar contra. Apesar de integrar a base do Governo, Valadares tem votado com liberdade. E-MAIL O leitor Pedro Barreto manda e-mail dizer que é um direito legítimo do PT, querer emplacar uma chapa puro sangue. Entende, porém, que não é justo tratar os partidos aliados com tamanha desconfiança.Aliás, já antecipam as eleições de 2006: Déda, para governador e Eduardo Dutra a senador. MAIS JUSTO Pedro Barreto defende que apenas um seja candidato a majoritário, porque o Estado precisa de homens que fazem outros partidos para que não fiquemos reféns a ideologia única. Acho melhor manter a chapa que aí está. Até porque Edvaldo Nogueira, representa muito bem os aliados, bem como o povo Aracajuano. RETORNO O governador João Alves Filho retornou ontem o Brasil, mas foi a Brasília percorrendo Desembarca em Aracaju por volta das 23:30 horas. O governador pretende reunir o secretariado ainda esta semana, para insistir na determinação que dera para redução dos gastos. MACHADO O deputado federal José Carlos Machado (PFL) fez um desabafo ao ler a carta: “quando disse isso, fui mal entendido”. Machado acha que alguns auxiliares diretos não demonstram o mesmo entusiasmo do governador, baseado na mensagem que ele enviou à assembléia, no início dos trabalhos legislativos. IRRITAÇÃO João Alves Filho, em sua carta aos secretários, mostra uma certa irritação com um não cumprimento das determinações dadas durante o encontro que aconteceu no Boa Luz. Dessa vez o tratamento será outro, porque o governador vai fazer exigências que haverá problemas se não forem cumpridas. QUESTÃO Um secretário imexível do Governo lamentou que técnicos da Fundação Dom Cabral são prolixos em suas explanações e dificultam o entendimento do que querem passar à equipe. “O secretário da Administração, Ivan Paixão, explicou em 30 segundos tudo que eles não fizeram entender em duas horas”, disse. Notas PROBLEMAS O vereador Elber Batalha (PSB), que colocou o seu nome à disposição do seu partido para disputar a Prefeitura de Aracaju, lembrou que o prefeito Marcelo Déda iria ter problemas com seus aliados, em relação ao lançamento de uma chapa que não fosse puro-sangue. Isso aconteceu dentro de sua base aliada. Embora reconheça que o nome da conciliação seja o vice-prefeito Edvaldo Nogueira, que também partiria para a reeleição, Elber acha muito difícil que isso aconteça porque o PT não quer perder a Prefeitura. REUNIÃO Na reunião da tendência Articulação, realizada no sábado passado, o prefeito Marcelo Déda colocou que um nome do PT para ser o vice, criaria problemas para a coligação, porque os partidos que a compunham não aceitariam. No mesmo encontro ele anunciou o nome de Edvaldo Nogueira para continuar como vice. Nilson Lima ponderou que se fosse um consenso, se fosse para garantir a coligação, ele poderia até deixar. Mas estava faltando ouvir o restante do partido, razão porque ainda não tinha uma decisão tomada e mantinha a anterior. SUSANA A deputada estadual Susana Azevedo (PPS), pré-candidata à Prefeitura de Aracaju, vai almoçar amanhã com todos os vereadores do PDT, para analisar a possibilidade de uma coligação, já que esse interesse teria sido demonstrado pela legenda anteriormente. Susana acha que terá o apoio do partido. Ontem à tarde estava marcado um encontro entre ele e o senador Almeida Lima (PDT). Não aconteceu porque Almeida teve que viajar a Brasília, mas considerou o nome de Susana bom para disputar a Prefeitura. É fogo O governador João Alves Filho vai marcar, para este final de semana, uma nova reunião com o secretariado. Desta vez o governador será mais rigoroso com aqueles auxiliares que não estão cumprindo sua determinação. João Alves também retorna a Aracaju com o objetivo de discutir candidaturas a prefeitos em todo o Estado. A reunião da tendência Articulação, do PT, pode ter tranqüilizado os membros dos partidos aliados. Mas será apenas por um momento. O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), teria ficado chateado porque disseram que ele havia incentivado a candidatura de Nilson Lima a vice-prefeito. O economista Nilson Lima, sexta-feira passada, confidenciou que nem Déda, nem Dutra tiveram qualquer influência em sua candidatura a vice. Nilson Lima já teria decidido a permanecer como auditor da Receita Federal, caso seu nome não chegue à disputa de vice. O PSDB fez um programa quente na televisão, Atacou duramente o Governo, principalmente na área da Educação. O deputado Ulices Andrade (PSDB) trata o seu colega Adelson Barreto (PTB) como meu prefeito. Acha que ele se elege em Nossa Senhora do Socorro. Tem gente já pensando que o Governo do Estado vai decretar a sexta-feira próxima ponto facultativo. O São João Antecipado que o Governo do Estado está promovendo também tem cantores de bom nível. O Banco Central (BC) enviou comunicado alertando a população para tentativa de golpes pela internet. Estão usando site do BC para solicitar conta e nome de senha do usuário. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários