QUESTÃO DE CANINDÉ

0

O e-mail enviado a esta coluna pela leitora Virgínia Lúcia Dantas Oliveira e publicado sob o titulo Carta de Canindé, favoreceu a uma série de especulações sobre a autoria e o conteúdo revelado. Quem conhece todas as etapas da política daquele município, manchada pela violência e empanturrada de corrupções, falcatruas e desrespeito com o dinheiro público, confirma as denuncias e admira-se com detalhes dos acontecimentos. Um grupo acha que por trás está o grupo do ex-prefeito Genivaldo Galindo, hoje detento da Penitenciária de São Cristóvão, outro tem certeza da participação de gente ligada a Floro Calheiros, foragido da Polícia. O e-mail demonstra, entretanto, que os grupos políticos que manobram Canindé do São Francisco e estão fora do poder, devem estar se movimentando para aprontar alguma coisa que justifique uma intervenção. A carta não é uma declaração de guerra, mas uma demonstração de inquietação daqueles que estão distantes de uma das maiores arrecadações de Sergipe.

 

Ontem pela manhã, o prefeito de Canindé do São Francisco, Orlando Andrade, o Orlandinho, esclareceu algumas informações da carta. Disse que se instalaram em Canindé administrações extremamente comprometedoras: “quer seja na área dos recursos públicos ou na questão da segurança”. Para ele, depois da construção da hidrelétrica de Xingo, Canindé passou a ter uma boa arrecadação, que não foi utilizada de forma correta, gerando encargos enormes que foram negociados e só agora estão sendo pagos, “o que compromete uma quantidade substancial dos atuais recursos, reduzidos em mais de 30%, a partir de janeiro de 2005, em razão do descaso de quem estava na administração, que não protegeu os cofres municipais e permitiu que os recursos fossem parar em cidades de outros estados, como Piranhas, em Alagoas, que fica do outro lado do rio São Francisco, por decisão judicial”.

 

Orlando Andrade diz que encontrou na Prefeitura uma estrutura capenga e alguns funcionários viciados com o estilo de administração anterior. “E como existe na Prefeitura uma cultura perversa arraigada”, há dificuldade para modernizar uma nova gestão, dando um tom mais austero, porque precisa fazer essas mudanças aos poucos. Orlando diz que vem encontrando uma série de barreiras e pede paciência: “não se muda a cultura de um povo, de uma hora para outra”. Garante que “as dificuldades são enormes, os problemas maiores ainda”. Na busca de recuperar recursos que emanaram para outros municípios, há um exemplo recente: “a justiça já deu ganho de causa a um desses processos e estamos aguardando apenas que o Tribunal de Contas refaça os cálculos e coloque a decisão em prática, para que possamos dar novos encaminhamentos nas questões estruturais do Município”.

 

Aliado a tudo isso não foi encontrado nenhum projeto na Prefeitura que facilitasse o início imediato de alguma obra. No entanto já foram contratados escritórios especializados para que projetos fossem elaborados e Prefeitura possa, dentro do possível, executa-lo: “não só com recursos próprios, como era prática nas gestões anteriores, mas que se possa ir a Brasília, em busca de recursos, e se possa efetivamente transformar Canindé, não só no que se refere ao turismo, mas, acima de tudo, nas questões qe entendemos ser possíve, como a interiorização da água”. Orlando Andrade garante que tem o comando administrativo do município, mas faz um trabalho voltado principalmente para a moraidade e transparência e, em função disso, busca sempre respeitar e conviver com as instituições: Ministério Público, Magistratura, a igreja e a sociedade civil organizada, “não caracterizando isso uma submissão”. O objetivo do trabalho de Orlando Andrade, segundo suas declarações, é promover as reais mudaças de uma cidade violenta e corrupta, “para que este município atraia o maior número de turistas possíveis, sem qualqer receio cm relação à violência”.

 

Orlando Andrade classifica a carta enviada a esta coluna como interesses contrariados: “alguém que estava incrustado na Prefeitura e perdeu essa mamata ou é de algum fornecedor que vendeu uma certa quantidade e quer receber cinco vezes mais”.

 

DEMISSÃO

A secretária do Planejamento do Município, Lúcia Falcon, teria sido exonerada do cargo na sexta-feira passada, contrariada com mudanças em sua área. Segundo uma fonte da Prefeitura, a demissão aconteceu depois de uma discussão acirrada, que se caracterizou rompimento.

 

TELEFONEMA

Um telefonema para a Secretaria do Planejamento foi atendido por uma funcionária que não falou em demissão, mas disse que Lúcia Falcon não fora trabalhar desde sexta-feira. Perguntada se ela estaria trabalhando hoje, a funcionária, com um sorriso desolado, respondeu: “acho que não”.

 

MIAMI

O governador João Alves Filho não fretou avião para viajar de Brasília a Miami, como ficou entendido pela maioria das pessoas que assistiu ao debate. Na realidade um jatinho foi fretado de Brasília a São Paulo, de onde o governador embarcou rumo aos Estados Unidos.

 

SUPLENTES

O procurador da República, Cláudio Fonteles, de parecer favorável à resolução do TSE, eu reduz o número de vereadores nas Câmara Municipais. Segundo informação de fonte da Procuradoria, Cláudio Fonteles teria recebido orientação da Presidência da República.

 

IMPOPULAR

A assessoria política do presidente considera impopular a defesa do retorno a plenário dos suplentes que não conseguiram entrar por causa da resolução. Segundo o senador Aloísio Mercadante. o PT teria caído oito pontos em popularidade e considerou que o apoio público à causa poderia perder mais pontos.

 

EQUÍVOCO

Na opinião dos suplentes isso é um equívoco de Mercadante, porque a redução dos vereadores não alterou em nada os gastos das Câmaras. Como há aumento de arrecadação e, logicamente, do duodécimo, as câmaras municipais estão abarrotadas de dinheiro, sem poder gastar com a população.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PSDB) disse ontem que não tem nenhuma novidade da Executiva Nacional e admitiu que “isso é uma coisa chata”. Acrescentou que “para quem teve uma vida partidária tranqüila há vários anos, essa situação não é boa”. E concluiu: “se o momento é de tempestade, é preciso aguardar”.

 

BOSCO

O presidente nacional do PL, Waldemar Costa Neto, insistiu ontem no convite ao deputado federal Bosco Costa (PSDB), para ingressar no Partido Liberal. Bosco voltou a pedir mais tempo para ver a situação, embora tenha demonstrado que poderá adotar esse caminho até setembro.

 

BENEDITO

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, disse que não teria dificuldade em ser candidato a governador do Estado em 2006. Benedito lembrou que já foi para o sacrifício em tendo outras opções, não seria agora que iria negar isso ao seu partido.

 

PROGRAMA

O PTB realizou programa regional na segunda-feira, agitada pelo debate Ciro X João. Era de se esperar que não provocasse tanta celeuma. Jackson Barreto participou e foi soft, mostrando em números o esforço que vem fazendo em favor de Sergipe, sem fazer alardes.

JERÔNIMO

As inserções de 30 segundos em que o ex-prefeito Jerônimo Reis (PTB) está criticando a construção da ponte que liga Aracaju a Barra dos Coqueiros, é uma reprise do ano passado. O presidente do partido (PTB), deputado Jackson Barreto, foi quem as colocou, sem fazer qualquer consulta ao ex-prefeito.

 

BRIGA

O deputado Jacson Barreto disse ao repórter George Magalhães que o ex-deputado federal Sergio Reis (PTB) estava brigando com o pai (Jerônimo). Ontem, Sérgio desmentiu e disse que não era verdade: “não liguei para ninguém e em nossa família não existe história de brigas”. E concluiu: “Jackson está equivocado”.

 

VAZÃO

O deputado federal Fernando Ferro (PE) ex-diretor da Chesf, confirmou que a vazão do São Francisco chega a apenas 850 metros cúbicos por segundo, como disse o governador João Alves Filho. Ferro revelou isso ontem aos deputados federais José Carlos Machado e João Fontes. Segundo João, “só não vê a questão a vazão quem não vai lá, como o ministro”.

 

Notas

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) declarou ontem que o governo federal vai fazer a transposição das águas do rio São Francisco, “de baixo de pau e pedra”. Isso foi demonstrado pelo ministro Ciro Gomes, da Integração Nacional, durante debate da OAB, ao considerar a obra prioritária. Valadares acrescenta que como sergipano não pode apoiar uma iniciativa dessa, porque defende a revitalização do rio São Francisco. Concorda que para Sergipe e Alagoas a transposição trará grande prejuízo.

 

AUGUSTO

O deputado estadual Augusto Bezerra (PFL) considera que a OAB é que dará a palavra final em relação à transposição: “se em junho os conselheiros tomarem uma decisão, o governo federal recua”. Disse que a transposição para consumo humano ainda se admite, mas para projetos agrícolas não. Augusto declarou que o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, mentiu, estava desinformado sobre a vazão e “acusou a gente de impedir a reunião do Comitê”. Admitiu que o debate esclareceu muita coisa.

 

FONTES

O deputado João Fontes (PDT) considerou o debate de ontem, sobre a transposição, “bom demais”. Acha que o “povo de Sergipe deve ficar orgulhoso porque o governador João Alves Filho deu um show de bola no ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, que se mostrou um homem destemperado”. O parlamentar também elogiou a interferência do senador Antônio Carlos Magalhães (PFL), ao mostrar que a obra de transposição do rio São Francisco só interessa aos empreiteiros. Ciro se irritou com isso.

 

É fogo

 

O deputado João Fontes disse, ontem, que o ministro Ciro Gomes é um artista da Globo e que deveria integrar o seu quadro de atores.

 

O deputado Jorge Alberto (PMDB) solidarizou-se com procuradores autárquicos de Sergipe, que reivindicam equiparação salarial com colegas do Estado, como determina a lei.

 

O governo alega que não tem condições de fazer a equiparação porque a medida causaria prejuízos ao tesouro do Estado com o aumento de despesas da folha de pagamento.

 

O deputado Ivan Paixão (PPS) acompanha o governador João Alves Filho (PFL) na viagem à Miami. João é palestrante na Feira Mundial de Eventos.

 

O governador João Alves fará uma exposição sobre as potencialidades do Estado de Sergipe para investidores internacionais.

 

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) homenageou ontem o fundador da Rede Globo de Televisão e o classificou como homem de espírito visionário, empreendedor e corajoso.

 

Para Valadares, Roberto Marinho foi “o maestro das comunicações no Brasil” e, por isso, recebeu o título de cidadão honorário de Sergipe.

 

O senador Almeida Lima (PSDB) ressaltou que a Rede Globo de Televisão atinge quase 100% do território brasileiro, Para ele a Rede Globo é a “Hollywood brasileira”.

 

O ex-governador Albano Franco participou ontem, no Sendo, das homenagens feitas à TV Globo, em comemoração aos 45 anos de atividade.

 

“A proposta de Reforma Tributária atenta contra a Federação brasileira”. A opinião é do ex-secretário da Receita Federal, Osires Lopes Filho.

 

Na opinião de Osires Filho, a unificação do ICMS prevista na Reforma, pode condenar à pobreza as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

 

A unificação impediria os estados de legislar sobre impostos e isenções fiscais e de oferecer benefícios para atrair investimentos.

 

brayner@infonet.com.br

Comentários