QUESTÃO DO PSDB

0

Os aliados do senador José Almeida Lima (PSDB) acham que ele deve ter uma conversa imediata com a Direção Nacional, para saber como o partido vai ficar em Sergipe. Acha que se continuar dessa forma, com uma indefinição de comando, ficará difícil iniciar contatos para a formação de uma legenda que permaneça forte no Estado e tenha condições de apresentar candidatos majoritários, fazendo composições com outras legendas. Ontem, uma importante figura que pretende ingressar no tucanato disse que se a solução de Brasília vier em setembro, não vai adiantar muita coisa, porque impedirá que aconteça uma movimentação de filiações, caso não haja certeza de que o senador Almeida Lima seja realmente o candidato a governador, indique nome ao Senado e estrutura de disputa proporcional para os candidatos a deputado estadual e federal.

 

Há um comentário forte nos meios políticos de que o ex-governador Albano Franco (PSDB) não encontrará espaço no partido, caso seja consolidada a continuidade da verticalização, porque o tucanato vai para o confronto com o presidente Lula da Silva, o que não é bom para ninguém. Como sempre mexeu as pedras no último momento, a expectativa é que ele troque de legenda exatamente em setembro, com o objetivo de dificultar o trabalho do senador Almeida Lima, dentro do PSDB, já que não daria tempo para conseguir um número suficiente de filiados que desse força e respaldo à sigla. A tática de guerrilha política é fazer com que todo mundo ligado ao ex-governador se desvincule do PSDB na data máxima permitida para as filiações partidárias, o que seria fatal para o senador, que se mantém disposto a candidatar-se ao Governo do Estado. Dentre os aliados de Almeida, há quem aconselhe uma tomada de posição imediata, para que esse golpe mortal não funcione.

 

Almeida Lima já confidenciou a alguns amigos que aceita uma composição com o governador João Alves Filho (PFL), desde que ele permaneça à frente do Governo e o apóie como candidato à sucessão. Fora dessa hipótese, segundo uma fonte vinculada ao senador, não há a menor possibilidade de entendimento. Membros do PFL não levaram em consideração, o que qualificaram de pretensão, porque o governador João Alves Filho vai disputar a reeleição e já começou a trabalhar politicamente para isso, conversando com os deputados de sua base, com prefeitos e lideranças interioranas. O relacionamento de Almeida Lima com João Alves Filho é amistoso, mas o senador também informou aos amigos que, na possibilidade de não chegar ao segundo turno numa disputa pelo Governo do Estado, simplesmente cruzará os braços e não fará entendimento com ninguém. Acha, entretanto, que estará na disputa e se houve segundo turno ele estará presente.

 

Quanto à posição política do senador Albano Franco, a análise que se faz é de dependência da verticalização. Se cair, ele poderia fazer uma aliança no Estado e manter o voto no candidato tucano para presidente. Mas precisa ver se isso interessaria ao presidente Lula, que é candidato à reeleição e não deve aceitar uma chapa em que o voto de um dos majoritários seja para o seu adversário. Entretanto, com a certeza da permanência da verticalização, o senador Albano Franco deixará o partido, porque tem interesse em colocar o seu nome ao lado do prefeito Marcelo Déda (PT) ou, em outra hipótese, formar uma chapa com o senador Valadares na disputa pelo Governo do Estado, caso se chegue a um consenso que o prefeito não conseguirá o apoio suficientemente confiável do interior.

 

Outro fato em relação ao ex-governador Albano Franco entrar numa chapa junto ao PT, é que haveria uma reação contrária da base petista, porque provocaria uma distorção no discurso que o Partido dos Trabalhadores sempre pregou. Isso não teria muita importância porque o PT já não tem esse tipo de prurido, porque a nível federal abriu corretamente um leque de entendimentos para chegar ao poder e conseguir fazer alguma coisa.

 

Almeida Lima ainda está na espera, mas tem recebido cobranças de aliados em Sergipe. Todos querem uma posição da Executiva Nacional, para que o candidato tucano a presidente tenha um palanque em Sergipe.

 

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PSDB) participa de todos os movimentos do PSDB, mas ainda não assumiu o comando do partido em Sergipe, o que impede que ele avance nos contatos com lideranças do interior.

Almeida Lima continua esperando, mas acha que a decisão não pode acontecer no mês de setembro, porque ficaria complicada uma reestruturação partidária.

 

ATUAÇÃO

O início dos contatos políticos por parte do governador João Alves Filho começa a animar os deputados, prefeitos e lideranças aliadas.

O pessoal estava começando a ficar aflito com o distanciamento e indiferença do Governo em relação aos seus problemas e reivindicações. Acha que a partir de agora a coisa muda.

 

AUDIÊNCIA

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) considerou importante o encontro que teve com o presidente do TCU, na semana passada.

Principalmente pela transmissão de dados técnicos que lhe foi transmitido e que não era de seu conhecimento. Machado vai procurar o ministro relator para tratar do assunto.

 

AÉCIO

José Carlos Machado também vai procurar um dos assessores diretos do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, para que ele o a conduzir esse projeto.

Aécio comanda um Estado politicamente mais influente. Machado defende também a formação de uma frente de governadores a favor do rio São Francisco.

 

NOMES

O governador João Alves Filho começa hoje os contatos para mudança de alguns auxiliares, com o objetivo de oferecer uma equipe também voltada para a política.

Considera que chegou a hora de reduzir o modelo técnico dentro do Governo. Ainda esta semana haverá algumas surpresas.

 

MUDANÇAS

É possível que duas importantes secretarias passem a ser administradas por pessoas que tenham uma melhor visão política.

Uma coisa está certa: Gilmar Mendes não deixará a Fazenda, como já houve algumas especulações nesse sentido.

 

CONVERSA

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), não está parado e tem conversado com prefeitos e lideranças do interior, inclusive que são vinculadas ao Governo do Estado.

Déda está fazendo contatos mantendo sigilo, atendendo a pedido do pessoal que vai até ele, para evitar constrangimentos.

 

JERÔNIMO

Já está sacramentado: o ex-prefeito de Lagarto Jerônimo Reis (PTB) será candidato a deputado federal e desistiu de candidatura a vice-governador.

Não será nem de João Alves Filho e nem do prefeito Marcelo Déda. Jerônimo já está começando a trabalhar em torno dessa candidatura, que não tem volta.

 

PROBLEMA

A candidatura de Jerônimo a deputado federal pode criar problemas para o PTB que não ele mais de um parlamentar para Brasília.

O deputado federal Jackson Barreto conta com o apoio de Lagarto para reeleger-se e teria essa baixa que pode lhe ser fatal.

 

FRANCO

O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco (PPS) diz que não será candidato a deputado federal. Poderia se candidatar a uma estrutura majoritária, como senador ou até mesmo governador, “quem sabe?”.

José Franco reconhece que a tendência do seu partir é fazer uma composição com o PDT.

 

FIDELIDADE

O prefeito José Franco defende a fidelidade partidária, “porque só assim a democracia ficará consolidada”.

Acha que da forma que está, alguns partidos se tornam de aluguel, enquanto a fidelidade nivelaria todos eles, além de lhes dá força e respeito.

 

BORGES

O economista Antônio Carlos Borges, que é um dos mais gabaritados técnicos do Estado, já foi convidado e aceitou participar da administração de Nossa Senhora do Socorro.

O prefeito José Franco ainda não definiu a pasta que ocupará, mas está entre Planejamento ou Indústria e Comércio.

 

ENCONTRO

O Diretório Regional do Partido dos Trabalhadores não realizou o encontro que estava marcado para sábado passado.

A maioria dos membros do Diretório não compareceu por discordância de alguns deles. Ainda não foi marcada nova data.

 

NOTAS

 

BRASÍLIA

As deputadas Celinha Franco e Angélica Guimarães viajaram a Brasília com suplentes de vereadores que foram prejudicados com a redução das bancadas nas Câmaras. Ontem à tarde as duas foram em caminhada do Congresso ao STF, para conversar com o ministro relator da ADI que derruba a resolução.

Celinha disse que o grupo estava sentindo certa dificuldade em falar com os senadores e não tiveram encontro com Antônio Carlos Valadares, que viajou ao exterior. O pessoal vai permanecer em Brasília até a votação.

 

MUDANÇAS
O Governo pretende colocar em votação as modificações no sistema político e eleitoral brasileiro ainda este ano. A CCJ anunciou que pretende votar um dos pontos da Reforma – a fidelidade partidária – já nos próximos dias. A CCJ estuda substitutivo apresentado por Rubens Otoni ao projeto original.

O texto de Otoni prevê o financiamento público das campanhas. Se a medida for aprovada, pessoas físicas e empresas ficarão proibidas de fazer doações a campanhas, que devem ser financiadas com recursos públicos.

FECHADA
Outra mudança prevista na Reforma Política, que já está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) é a adoção das listas fechadas durante as eleições. Significa dizer que os eleitores votarão em listas ordenadas previamente pelos partidos, em vez de escolher seus candidatos individualmente.

A lista fechada não deve ser aprovada pelo Congresso Nacional porque beneficia os presidentes dos partidos, que podem colocar para votação primeiramente o seu nome e de outros aliados que trabalham para eles.

 

É fogo

 

O governador João Alves Filho mandou celebrar missa para o Papa, ontem à tarde. Muita gente esteve presente.

 

O governador João Alves Filho atendeu a alguns prefeitos ontem, dando continuidade às conversas com lideranças.

 

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) conversa hoje com o ministro Benjamin Zinilli, do TCU, relator do requerimento sobre a transposição do rio São Francisco.

 

O discurso do PCdoB na televisão pede uma série de providência que o Governo Lula não adotou.

 

A vereadora Tânia Soares (PCdoB) estava nas ruas, hoje, fazendo movimento contra as filas nos caixas dos bancos.

 

O secretário José Alves Neto retornou ontem de férias e teve um trabalho intenso em seu gabinete.

 

Alguns prefeitos deixaram, animados, o gabinete do governador com o bom atendimento que tiveram.

 

O deputado João Fontes (PDT) nos preparativos para a reunião que fará em Aracaju dia 29, com a cúpula do seu partido.

 

Há muita animação no sertão com as chuvas que estão caindo desde a semana passada. O pessoal já está preparando a terra para o plantio.

 

Quem viajar entre os dias 18 e 26 próximos terá um desconto médio de 70% na TAM. A promoção é para o feriadão de Tiradentes.

 

O Brasil está disposto a ajudar o novo governo uruguaio na construção de um plano de desenvolvimento para o país.

 

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) diz que vota na Câmara Federal sempre em favor da sociedade.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários