Reforma política no vinagre

0

Mais uma vez o Congresso vai deixar a Reforma Política para depois. Deputados e senadores vão preferir remendar novamente a Lei Eleitoral com mudanças para beneficiar exclusivamente a classe política, a exemplo da redução, de um ano para seis meses, do prazo mínimo de filiação partidária para disputar as eleições. Projeto nesse sentido já foi apresentado na Câmara e, se aprovado até setembro, já valerá para as eleições de 2010. No fundo, a idéia é driblar a Justiça Eleitoral, que não terá como cassar os mandatos dos infiéis em seis meses. Além disso, os políticos indecisos e que gostam de pular de galho em galho, terão mais tempo para trocar de partido. A idéia de “lista fechada” de candidatos também caiu por terra. Portanto, não será dessa vez que o Brasil assistirá uma Reforma Política. Aliás, isso só acontecerá quando o povo reformar o Congresso.

 

Ordem do dia

 

De fato, o deputado federal Jackson Barreto (PMDB/SE) colocou o debate do terceiro mandato presidencial na ordem do dia. Ontem, foi a vez de o governador mineiro, Aécio Neves (PSDB), desqualificar a proposta, chamando-a de “uma violência contra a biografia do presidente”. O próprio Lula disse que não discute essa hipótese, mas deixou uma dúvida no ar ao dizer que “em primeiro lugar, não existe um terceiro mandato. Em segundo, a Dilma está bem”. Ora, e se a saúde da ministra se agravar, a hipótese, hoje tão remota, poderá ser discutida?

 

Letra morta

 

A Câmara Federal aprovou proposta de emenda constitucional que acaba com a figura da separação judicial e facilita o divórcio de casais. Hoje, o divórcio pode ser obtido depois de um ano da data da sentença da separação judicial, ou após dois anos da separação de fato. Com a proposta, o casal pode obtê-la no dia seguinte à separação. Ela ainda tem de passar de novo pela Câmara e ir ao Senado. Certamente, os congressistas vão transformar em letra morta essa tal de separação judicial que, de fato, já não existe.

 

Hotel gay

 

Essa interessa à turma do arco-íris: com investimento de R$ 6 milhões, o empresário Sérgio Luiz Pereira, ex-executivo da Marriott, vai inaugurar seu primeiro empreendimento no setor de turismo, o 155 Hotel. Localizado no centro da capital paulista, o hotel “gay friendly”, nome usado para designar empresas voltadas para o público gay, terá diária de R$ 95. Maravilha!

Outra promessa

 

O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, prometeu ao governador Marcelo Déda (PT) a liberação imediata de recursos para a reconstrução dos locais afetados pelas enchentes em Sergipe, sobretudo as cidades de Maruim e Estância. O petista explicou que os prejuízos com as cheias neste ano chegam a R$ 4 milhões. A promessa de Geddel não merece lá tanta confiança, pois os recursos prometidos para socorrer Maruim e Laranjeiras, castigados pelas chuvas no ano passado, ainda não foram liberados. E, pelo visto, jamais serão.

 

Prestigiados

Foi bastante concorrida a solenidade de posse dos secretários estaduais da Comunicação Social, Carlos Cauê, e da Cultura, Heloísa Galdino. Comunicadores, amigos dos dois e agitadores culturais fizeram questão de prestigiar os dois auxiliares do governo. Tanto Cauê quanto Eloísa prometeram desenvolver ações voltadas para o fortalecimento das comunicações e da cultura. Boa sorte aos dois.

 

Crise afeta a saúde

 

Além de trazer consequências para o bolso, a crise econômica também afeta a saúde de muitos profissionais. Com isso, a incidência de problemas estomacais, enxaquecas, insônia e irritabilidade tendem a aumentar diante deste cenário. Pesquisa mostrou que os diretores das empresas, principalmente, ficam mais inseguros e nervosos, com medo de perder os seus empregos ou terem prejuízos, neste período de instabilidade financeira. Médicos alertam ainda que esta incerteza e a insegurança profissional fazem com que os profissionais passem a ter uma alimentação inadequada e um sono conturbado.

Exposição no Jardins

 

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Jorge Santana, visitou, às 18h30 de ontem, a exposição ‘Made in Sergipe’, que está acontecendo na Praça Central do Shopping Jardins. A mostra, que segue até o próximo dia 30, objetiva dar uma pequena demonstração dos produtos fabricados pelas indústrias que participarão da Feira da Indústria e Inovação Tecnológica. A exposição possui diversas vitrines com produtos dos mais variados seguimentos.  

 

Vendas fracas

 

As consultas ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), na primeira quinzena de maio de 2009, registraram queda de 18,1% na comparação com o mesmo período de 2008, ligeiramente inferior ao fechamento de abril deste ano, que registrou queda de 19,1%. As consultas ao SCPC/Cheque caíram 3,4% no mesmo período, comparado com o recuo 10% no fechamento de abril. Os números mostram que os bens de pequeno valor, como “presentinhos e lembrancinhas”, predominaram no Dia das Mães.

 

“Vou apertar…”

 

Alô, malucos! A maconha vai ser legalizada. Calma, ainda não é no Brasil, mas na Califórnia. Em sua edição desta quinta-feira, a Gazeta Mercantil informa que a “mardita” assumiu tamanha importância na economia californiana, que hoje lucra milhões de dólares com os agricultores que a cultivam legalmente. Agora, à beira da falência, o estado americano estuda legalizar sua venda para estimular a economia e aumentar a renda. A venda legal da cannabis renderia US$ 1,3 bilhão em tributos, estimam as autoridades. Danou-se!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários