Acusado de assassinato cumprirá pena em hospital psiquiátrico

0
Julgamento ocorreu no Fórum Gumersindo Bessa em Aracaju (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Acusado de matar um homem no conjunto Almirante Tamandaré em 2014, Jonatas da Paixão Santos, conhecido como Tarzinho, foi submetido a júri popular nesta quinta-feira, 11, e acabou beneficiado pela defesa com a tese de “absolvição imprópria” devido aos transtornos mentais, comportamentais e de personalidade comprovados nos autos de incidente de insanidade mental. De acordo com a sentença, já disponibilizada para consulta, os transtornos mentais e comportamentais observados no réu são consequência do uso de múltiplas drogas.

Ao final do júri, o juiz Daniel de Lima Vasconcelos, da 8ª Vara Criminal, aplicou medidas de segurança, determinando que o réu permaneça internado por um período mínimo de dois anos em hospital psiquiátrico. Ao ser interrogado durante a sessão de julgamento realizada pela manhã no Fórum Gumersindo Bessa, Jonatas da Paixão assumiu a autoria do crime, que teve como vítima Carlos Magno Santos de Farias, conhecido como Carlinho das Ideias, atingido por tiros no dia 14 de fevereiro de 2014, no conjunto Almirante Tamandaré, em Aracaju.

O júri acatou a tese da defesa e decidiu pela “absolvição imprópria” do réu. Conforme as medidas de segurança impostas pelo juiz Daniel Lima, Jonatas deve permanecer internado em hospital de custódia e submetido a tratamento psiquiátrico por um período mínimo de dois anos. Pela decisão do juiz, a situação de periculosidade de Jonatas da Paixão deve ser avaliada mediante perícia médica.

por Cassia Santana

Comentários