Adema multa Deso por iniciar aterro de lagoa sem licenciamento

0
Lagoa Doce: local aterrado para construção do Sistema de Esgotamento Sanitário (Foto: Arquivo Portal Infonet)

A Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) aplicou multa no valor de R$ 10 mil à Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) por iniciar obras de saneamento no bairro Jabotiana, em Aracaju, sem licença dos órgãos ambientais. E já está em andamento uma segunda multa, em valor ainda a ser definido, porque a Deso fez o alargamento de vias também sem autorização, para viabilizar o acesso dos caminhões ao local onde a obra foi iniciada. De acordo com informações do diretor-presidente da Adema, Gilvan Dias, a equipe técnica está avaliando os impactos que o alargamento de uma das vias provocou ao meio ambiente para que o valor da multa seja calculado.

O diretor-presidente da Adema explica que a multa já aplicada no valor de R$ 10 mil está relacionada à obra que envolve o aterramento de parte da lagoa doce, no bairro Jabotiana, que foi iniciada antes do licenciamento obrigatório do órgão ambiental. O pedido de licenciamento, quando a obra de aterro da lagoa foi inciado, ainda estava em tramitação na Adema, segundo Gilvan Dias. E a Deso não poderia iniciar a obra antes da licença, conforme o diretor-presidente.

A obra foi embargada e passou cerca de 15 dias paralisada, segundo Gilvan Dias. Os trabalhos na região foram reiniciados depois da emissão do licenciamento do órgão ambiental e está prosseguindo sem problemas, com monitoramento da Adema, conforme o diretor-presidente do órgão ambiental. O aterramento da lagoa ganha resistência de ambientalistas, que já realizaram diversas manifestações no local.

Saneamento

A assessoria de imprensa da Companhia de Saneamento de Sergipe informou que a Deso ainda não recebeu notificação sobre a multa e por esta questão não se manifestará a respeito da questão. A assessoria de imprensa garantiu que a obra está sendo realizada regularmente. De acordo com a assessoria de imprensa da Deso, as obras estão avaliadas em R$ 100 milhões para construção de uma estação de tratamento de esgoto e instalação da tubulação para tratar o esgoto doméstico, iniciativa que atenderá a comunidade dos conjuntos JK, Sol Nascente, Santa Lúcia, os anexos da região do Aloque e ainda parte da população que reside às margens da avenida Tancredo Neves.

Conforme a Deso, os serviços estão sendo executados em duas etapas, com prazo de um ano e meio para conclusão.

por Cassia Santana

.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais