Após ajustes no Plano de Retomada, Governo reabre parte do comércio

0
Governo autorizou reabertura de 10 atividades comerciais (Foto: ASN)

O governador Belivaldo Chagas anunciou nesta quinta-feira, 30, durante coletiva de imprensa, ajustes no Plano de Retomada Econômica e a autorização para reabertura de 10 atividades comerciais em todo o estado de Sergipe a partir desta sexta-feira, 31.

Com base em uma nova resolução, as seguintes atividades comerciais poderão retomar suas atividades: comércio de cosmético, artigos de perfumaria e higiene pessoal; livraria, comércio de artigos de escritório e papelaria; comércio de calçados; comércio de artigos de cama, mesa e banho; armarinhos; comércio de embalagens; comércio de tecidos; comércio de artigos de joalheria; comércio de artigos esportivos; além de comércio de brinquedos e artigos recreativos. Salões de beleza, barbearias e de higiene pessoal também estão autorizados a funcionar (todos os dias).

Templos e atividades religiosas

A partir do novo plano de retomada, as igrejas e os templos religiosos poderão funcionar em todo o estado nos dias de terça, quinta, sábado e domingo com 30% da capacidade. Esses estabelecimentos deverão seguir todos os protocolos de segurança e saúde já divulgados anteriormente.

Shoppings e demais atividades comerciais

O funcionamento dos shoppings, que foi tema de uma reunião na última segunda-feira, 27, será novamente discutido no próximo dia 4 de agosto. Nesta mesma data, o governador Belivaldo Chagas e os representantes do Comitê Gestor de Retomada Econômica (Cogere) discutem também a reabertura de galerias, centros comerciais e demais atividades comerciais.

Novas atividades essenciais

O Governo já havia anunciado alterações na retomada economia quando publicou na manhã desta quinta-feira, 30,  decreto incluindo sete atividades como serviços essenciais. São elas: fisioterapia, odontologia, terapia ocupacional, nutrição, psicologia, fonoaudiologia e podologia.

Tal decreto também autorizou a definição de novos critérios de progressão do Plano de Retomada Econômica. A média móvel do Índice de Capacidade Utilizada dos Leitos Covid-19 é o principal indicador para o avanço.

Nesse novo modelo, para passar de fase é necessário que a média móvel do Índice de Capacidade Utilizada dos Leitos Covid-19 na data de avaliação esteja estável ou em queda, havendo a margem de tolerância em 15% para mais e para menos. A duração mínima de cada fase é de 14 dias.

O atendimento desses requisitos, no entanto, não vincula a deliberação do Cogere, que poderá considerar em sua análise outros indicadores que representem a situação epidemiológica do estado. Ou seja, o Comitê é soberano para decidir sobre a progressão de fases, após avaliação do quadro geral da situação epidemiológica no estado e utilizando os indicadores que entender necessário.

Por Verlane Estácio com informações da ASN 

Comentários