Bandidos mortos em SE poderiam participar de ataques na BA

0

Fotos: Reynaldo Gasparoni/Ascom SSP/SE
Na manhã desta segunda, 14, o delegado Cristiano Barreto, da Polícia Civil, e o coronel Maurício Iunes, da Polícia Militar, detalharam a operação que culminou na morte de três acusados de assaltos a bancos na noite de sexta, 11. De acordo com Barreto, no momento da abordagem policial, eles estariam viajando para a Bahia, onde participariam dos ataques violentos que vêm ocorrendo em Salvador.

“A informação repassada pelo Departamento de Inteligência [Dipol] dava conta de que a próxima ação deles teria conotação com esses ataques na capital baiana, em protesto à transferência de três traficantes para o presídio de segurança máxima em Catanduvas [interior do Paraná]. Foi aí que começou a movimentação policial para prendê-los”, explicou o delegado Cristiano.

A operação

Delegado Cristiano Barreto
Como a polícia tinha conhecimento do percurso e do automóvel dos bandidos, 80 policiais foram espalhados pela BR-101 para não deixá-los escapar. Quando atravessavam uma ponte, nas imediações do município de Itaporanga, foram abordados por dezenas de agentes. Sem saída, os procurados começaram a disparar contra os policiais.

“Eles chegaram a desferir dois tiros, mas não chegaram a atingir nenhum dos nossos homens. Durante a troca de tiros, um deles chegou a pular da ponte, mas foi baleado durante o salto. Todos chegaram a ser encaminhados para o hospital João Alves ainda com vida, mas não resistiram e vieram a falecer”, relata Cristiano.

Perfil dos bandidos

O trio vinha sendo investigado a cerca de três meses. Alexandro Pessoa da Silva e Rosivaldo de Souza eram acusados de roubos e assaltos a bancos e seriam comandados pelo ex-policial militar Jeferson Bittencourt Piedade.

Alexandro participou do roubo às agências do Banco do Brasil em Poço Verde e Frei Paulo no ano de 2004. Rosivaldo é acusado de assaltos a bancos, roubo de carga e de ter participado de uma quadrilha que aterrorizou o sertão baiano recentemente. Já Jeferson é acusado de vários crimes, entre eles um homicídio na Bahia e diversos assaltos em Sergipe, incluindo um à prefeitura de Barra dos Coqueiros.

Na casa que servia de esconderijo para eles, localizada no conjunto Fernando Collor, em Nossa Senhora do Socorro, foram apreendidos computadores, armas e uma quantidade significativa de maconha.

Por Glauco Vinícius

Comentários