Caminhada pede o fim da exploração sexual de crianças

0
Caminhada se concentrou na praça da Igreja (Fotos: Portal Infonet)

Com o objetivo de reduzir o número de casos envolvendo a violação dos direitos das crianças, foi realizada nesta sexta-feira, 16, a Caminhada pela Paz nas ruas do bairro Santos Dumont, zona norte de Aracaju. A atividade é em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, comemorado no dia 18 de maio.

De acordo com a conselheira tutelar do 5º Distrito, Rosemeire Oliveira, a caminhada visa combater as violações contra as crianças e adolescentes. “Só aqui na região, são 600 denúncias de violação aos direitos dos menores. Queremos alertar a população acerca deste problema social que vem afetando as crianças do bairro”, coloca.

“Evidenciamos em vários casos, que os atores da violência sexual contra às crianças são próximos a ela. Muitas vezes são seus familiares, como o pai, irmão e tio”, acrescenta a conselheira.

Rosemeire Oliveira fala do objetivo da caminhada

De acordo com a representante da Fundação Renascer, Avanize dos Santos, o combate a exploração deve ser compartilhada com toda a comunidade. “Juntamos o Conselho Tutelar, o Conselho de Segurança de dois bairros e várias entidades parceiras para que nossa voz seja difundida pela comunidade. Nosso bairro está muito perigoso, visamos diminuir esta realidade”, destaca.

O estudante, Luiz Felipe, conta que a conscientização das pessoas é fundamental para que as delações sejam feitas. “É preciso que as pessoas se conscientizem ao ponto de realizarem as denúncias. Tem gente que sabe o que acontece, mas tem receio de falar”.

Combate ao Abuso Sexual

Equipe envolvida na construção da caminhada

Estudante Luiz Felipe fala da importância da conscientização

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi criado por lei em 1998 para mobilizar a sociedade contra a impunidade nos casos de abuso e exploração. O 18 de maio foi escolhido porque nesta data, em 1973, a menina Araceli Cabrera Crespo, então com 8 anos, foi seqüestrada, drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma família tradicional de Vitória (ES).

Para realizar uma denúncia deve procurar o Conselho Tutelar do bairro; ligar para o Disque 100; Delegacias especializadas ou ligar para o número da Polícia Militar 190.

Por Geilson Gomes e Verlane Estácio

Comentários