Caso Ana Paula: marido é indiciado por feminicídio e pode ser solto

0
Vitor Aragão (à esquerda) foi preso como principal suspeito da morte de Ana Paula (à direita)/ (Foto: Facebook/arquivo pessoal)

O inquérito que investiga a morte da consultora de vendas de veículos Ana Paula de Jesus Santos foi concluído pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoas (DHPP). Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o marido da vítima, Victor Aragão, foi indiciado por feminicídio. Ele é o principal suspeito de ter cometido o crime.

Os autos do inquérito foram remetidos ao Ministério Público do Estado (MPE), que a partir de agora poderá ou não aceitar a denúncia. O inquérito, formado por mais de 400 páginas, ouviu 70 pessoas e resultou em mais de seis medidas cautelares.

Prisões

A delegada do caso, Luciana Pereira, pediu que a prisão de Vitor Aragão fosse convertida de temporária para preventiva, mas teve o pedido negado pelo juiz Daniel de Lima Vasconcelos, da 8ª Vara Criminal de Aracaju.

A prisão temporária de Vitor Aragão terminará nesta quinta-feira, 11, mas como o pedido de alteração da prisão foi negado, ele pode ser solto a qualquer momento. A promotora Cláudia Daniela, do MPE, foi favorável ao pedido de conversão da pena em prisão preventiva e deve recorrer da decisão ao Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe (TJ-SE).

Entenda o caso

Ana Paula de Jesus Santos foi morta com golpes de marreta na cabeça no dia 11 de maio, dentro de sua própria casa, durante suposta tentativa de assalto. No dia 14 de maio, a Polícia Civil prendeu Victor Aragão, marido da vítima, como suspeito do crime, alegando que houve contradições no depoimento e que laudos e provas não apontaram a presença de uma terceira pessoa no local do crime. No dia 27 de maio, o advogado que defendia Victor Aragão, foi retirado do caso.

por João Paulo Schneider 

Comentários