Caso Ana Paula: juiz acata pedido de prorrogação da prisão de Vitor

0
Vitor Aragão (à esquerda) continua preso temporariamente como principal suspeito da morte de Ana Paula (à direita) (Foto: Facebook/arquivo pessoal)

A delegada Luciana Pereira, responsável pelo caso da consultora de vendas Ana Paula Jesus, 26 anos, morta a marretadas dentro de casa no dia 11 de maio, pediu a prorrogação da prisão temporária de Vitor Aragão, marido da vítima e principal suspeito do crime. O pedido foi acatado pelo poder judiciário na segunda-feira, 10.

De acordo com informações da Polícia Civil, a delegada pediu prorrogação de mais 30 dias para concluir o inquérito e mais 30 dias para a prisão temporária do suspeito, entendendo que ele deve ficar preso até a conclusão do inquérito policial.

No Brasil, a prisão temporária é regulamentada pela Lei 7.960/89, com prazo de duração de cinco dias, prorrogáveis por mais cinco, exceto em casos de crimes hediondos, como é o caso em questão, que a prisão é de 30 dias, prorrogáveis por mais 30. A prisão temporária ocorre durante a fase de investigação do inquérito policial, e é utilizada para que a polícia ou o Ministério Público colete provas.

Por Karla Pinheiro

Comentários