Central dos Trabalhadores prepara ato do 1º de Maio

0
(Foto: Ascom CUT)

Os sindicatos sergipanos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) definiram a programação para o próximo dia 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador, durante seminário realizado na tarde do último sábado, 20 de abril.
No dia 1º de maio a CUT/SE e seus 88 sindicatos filiados levarão seus banners, com imagens e mensagens de sua luta até os Arcos da Orla de Atalaia, em Aracaju, concentração será a partir das 8h30, e lá será distribuído um panfleto com o texto unificado expondo um pouco da realidade das diferentes categorias de trabalhadores.

Encenação teatral e apresentação musical do grupo ‘Tambores da Esperança’ completam a programação da data marcada pela mobilização de trabalhadoras e trabalhadores em todo o mundo.

União e Conquistas – Ponto central do debate realizado na construção desta programação foi a importância da unidade dos trabalhadores que militam junto a diferentes entidades de classe, algo enfatizado pelo presidente da CUT/SE, Rubens Marques, o professor Dudu. “A libertação do trabalhador só se dará coletivamente. Então precisamos estar unidos e bem articulados. Quem acerta sozinho é herói, mas quem erra sozinho cai em desgraça. Neste sentido a relação do dirigente sindical com a base é muito importante. O sindicato precisa ser uma caixa de ressonância de sua base”, compartilhou.

O presidente Dudu avaliou desafios dos trabalhadores e recentes conquistas obtidas por muitos dos sindicatos ali presentes, a exemplo do Sindicato das Domésticas, que como resultado da tomada de consciência e intensificação da mobilização, obteve recentemente importantes direitos trabalhistas. “Senti muito orgulho de ver as companheiras do Sindicato das Trabalhadoras Domésticas de Sergipe participando em Genebra dos debates da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Dudu ainda citou a luta dos trabalhadores do Sinditextil, que tem enfrentado muitas dificuldades, entre elas a entrada dos produtos da China. O presidente também parabenizou a atuação do Sindicato dos Servidores Municipais de Nossa senhora do Socorro, cuja denuncia de um esquema de corrupção ganhou repercussão nacional a partir da publicação de uma reportagem na revista Isto É.

Segurança no Trabalho – Durante o Seminário para a construção do 1° de Maio, os trabalhadores ainda tiveram acesso a informações sobre Segurança do Trabalho através da palestra da companheira Mônica Maria Bonfim, dirigente do Sinergia e da Central Única dos Trabalhadores.

Além de lembrar que o Brasil é o 4º país do mundo no ranking de acidentes no trabalho, e que 9% da folha salarial é gasta com doenças e acidentes laborais, Mônica Maria alertou que os sindicatos tem um papel importante na defesa dos interesses e da vida dos trabalhadores. A companheira ressaltou a necessidade dos membros do sindicato participarem das reuniões da Comissão Interna de Prevenção a Acidentes (CIPA); de denunciar os caos de abuso ao Ministério Público do Trabalho; e em caso de acidente é importante acompanhar a confecção do relatório que integra a Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT). “A empresa tem cinco dias para emitir a CAT, se a empresa não cumpre o prazo, o sindicato pode emitir este documento”, explicou.

A companheira Mônica também enfatizou que, em caso de acidente ou doença do trabalho, os sindicatos devem alertar os trabalhadores da necessidade de arquivar todos os documentos disponíveis como atestados médicos e nota fiscal da compra de remédios, pois muitas vezes eles não são ressarcidos por falta destes registros.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais