Clientes e feirantes denunciam acúmulo de lixo na Ceasa

0

Lixo está acumulado há 15 dias por suspensão da coleta (Fotos: Portal Infonet)

Ana Lúcia: mau cheiro afasta clientela

Funcionários contratados auxiliam na coleta de parte do lixo acumulado

Clientes e comerciantes da Central de Abastecimento (Ceasa) denunciam o acúmulo de lixo no local causado pelo atraso na coleta de lixo. Segundo feirantes, há mais de 15 dias o recolhimento do lixo foi suspenso, o que tem provocado mau cheiro e afastado os consumidores. Nas proximidades das bancas, uma grande pilha de restos de alimentos se acumula, causando transtornos aos usuários.

A comerciante Ana Lúcia de Jesus Oliveira trabalha está na Ceasa há 10 anos, e afirma que nunca viu uma situação parecida no local. “Aqui nunca teve esses problemas. De 15 dias para cá, eles não tem retirado o lixo, e aí o ambiente todo fica tomado por bichos. É um mau cheiro muito forte o tempo todo, tem até reduzido o número de pessoas que vem comprar. Os donos das bancas já falaram com o pessoal responsável, mas está demorando para resolver”, diz.

Ainda segundo a comerciante, os caminhões de lixo não circulam mais no entorno. “Antes vinha caminhão aqui todo dia de tarde para tirar o que ficou acumulado. Mas agora a gente não vê mais, e a pilha de lixo já está enorme. A gente precisa que tomem uma providência o mais rápido possível”, apela Ana Lúcia.

Assuceaju

Segundo funcionários da Associação dos Usuários da Ceasa Aracaju (Assuceaju), o problema se deve à mudança de destino do lixo coletado no local, que passou a ser encaminhado para uma unidade de transbordo e então transferido ao aterro sanitário localizado em Rosário do Catete. A Assuceaju considera caro o preço cobrado para que o lixo seja transportado até o transbordo, o que levou à suspensão da coleta nos últimos 15 dias.

De acordo com a Assuceaju, o problema está sendo resolvido, e a associação já entrou em contato com os responsáveis pelo aterro sanitário para negociar o preço do transporte. Há três dias, um caminhão tem feito a coleta de parte do material acumulado na Ceasa, e a perspectiva é de que a situação se normalize nos próximos dias.

Um funcionário da Assuceaju, que preferiu não se identificar, ressalta os riscos causados pelo acúmulo do lixo. “Existe risco de contaminação, já que o lixo fica ao lado dos alimentos. Por causa dos restos de comida em decomposição, insetos ficam rodeando o lixo e o mau cheiro é forte. É de se entender por que os clientes estão deixando de frequentar a Ceasa” , diz.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais