Como proteger sua casa durante as férias?

0

Você acha que sua casa fica protegida em sua ausência? (Fotos: Portal Infonet)
Julho é mês de férias e nada melhor do que aproveitar o momento em uma viagem com a família. Mas para quem gosta de viajar fica uma preocupação: como deixar a casa protegida de invasões? Atualmente existem diversos equipamentos e serviços de segurança que podem deixar o proprietário do imóvel mais sossegado durante sua ausência.

A proteção mais utilizada é a cerca eletrificada que é vista como um bom inibidor de invasões. O custo para a proteção da casa pode variar entre R$ 600 a mais de R$ 2000.

O administrador Wesley de Amorim Oliveira, que há 12 anos mora na mesma casa, diz que seus vizinhos já tiveram a casa invadida. “Minha casa nunca invadiram, mas duas casa vizinhas a minha já foram invadidas, inclusive uma das minha vizinhas está colocando a casa à venda porque já tiveram três tentativas de invasão na casa da mulher. Eu não possuo nenhum equipamento de segurança, a não ser o cadeado e as correntes. Conto com a sorte, mas graças a Deus nunca me assaltaram”, ressalta.

Wesley diz que seus vizinhos já tiveram a casa invadida
Mais precavido, o auditor Abílio Castanheira Batista conta que possui um sistema de cerca eletrificada para garantir a segurança de sua casa. “Como eu viajo uma vez por semana a trabalho, essa medida me deixa um pouco mais tranquilo. Mesmo assim durante o ano eu faço algumas viagens mais longas a lazer e como já houve casos de residências invadidas na minha vizinhança fico um pouco preocupado”, confessa.

De acordo com o consultor de segurança Thiago Tavares, os preços podem variar dependendo da sofisticação dos aparelhos instalados. “Existe uma possibilidade que é o circuito fechado de TV, nele são instaladas câmeras e a pessoa pode ver a movimentação da sua casa pela internet. O problema é que apenas a instalação das câmeras não possibilita saber quando a casa é invadida. O custo desse equipamento com três ou quatro câmeras é de R$ 1500″, diz.

Câmeras na casa do delegado Thiago Cahino tem sensor de movimento
Segundo Thiago, existem ainda outras formas de garantir a segurança da residência. “Tem o sistema de alarmes, que são sensores de presença que detectam qualquer movimento, ele é acoplado à central de alarme que emite um chamado para o celular do proprietário. O custo é de cerca R$ 600, é o sistema convencional que quase todo mundo usa”, garante.

Já para quem pode gastar um pouco mais, o consultor diz que a possibilidade é o sistema de alarme monitorado com câmeras. “Esse sistema emite os dados para a central de alarme que avisa empresa de segurança e automaticamente um patrulheiro é deslocado até a residência. Lá ele verifica alguma anormalidade e toma as medidas cabíveis como por exemplo chamar a polícia. Esse serviço é pago com uma mensalidade”, afirma.

O consultor Thiago Tavares explica como funcionam os diversos equipamentos de segurança
Para o delegado de polícia, José Thiago Cahino Pereira, a comodidade de monitorar a residência via internet é um diferencial. “Em minha casa eu uso sensores de barreira eletrônicos que fazem a vigia de todo o perímetro. Ele é utilizado para detectar qualquer tipo de intrusão, isso associado a um sistema de circuito fechado de TV onde você pode buscar os pontos neutros da casa. Essas imagens podem ser disponibilizadas via web, como eu sempre estou viajando fico tranquilo com esses cuidados”, conta.

Por Bruno Antunes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais