Coronavírus: momentos difíceis despertam a solidariedade nas pessoas

0
Mensagem foi anexada nos elevadores do prédio (Foto: Arquivo pessoal)

O momento é de isolamento social e de prevenção, mas é também momento de boas práticas, solidariedade e ajuda ao próximo. Em Aracaju pessoas estão se oferecendo, por exemplo, para realizar atividades, principalmente para idosos, para evitar que esse público se exponha em locais públicos.

Sara Gonçalves é uma dessas pessoas que decidiu, mesmo diante do medo e da incerteza, ajudar. Ela mora em um condomínio da capital e se ofereceu para fazer as compras dos vizinhos idosos e do grupo de risco.

Ela fixou nos elevadores do prédio cartazes oferecendo o serviço voluntário e deixou um espaço para que outras pessoas possam se candidatar também. “Eu vi na internet essa ideia, achei muito interessante, e resolvi aderir. O ser humano acaba sendo muito egoísta, não desenvolve a humanidade e a empatia”, diz.

Sara lembra que muitas pessoas não têm família ou tem, mas seus familiares não podem estar presente o tempo todo. “Então porque não ajudar? Eu já fazia isso com meus amigos e familiares, sempre passava na farmácia, padaria, mercado e comprava coisas para as pessoas próximas, estou apenas ampliando para meus vizinhos”, conta.

Cintia é terapeuta e têm ajudado pessoas nesse momento de crise (Foto: Arquivo Pessoal)

Outra sergipana que também aproveitou o momento para criar uma rede do bem foi a terapeuta holística integrativa, Cintia Barreto. Ela criou uma lista de transmissão em uma rede social e todos os dias envia mensagens positivas para pessoas de várias cidades do país.

“Como as pessoas estão muito ansiosas elas ficam mais estressadas e o estresse baixa o padrão vibratório das pessoas, e com isso elas ficam mais propensas a baixar a imunidade. Eu atraio a energia que eu estou, então se eu penso negativamente, eu atraio coisas negativas como doenças e mal estar. O objetivo é fazer uma corrente do bem. Nós estamos em rede, então, quanto mais energia positiva a gente emanar, mas fácil será disseminar essa luz negra que paira no nosso planeta”, explica.

Além da lista de transmissão, Cintia, que hoje mora em Recife (PE), tem gravado vídeos e divulgado nas suas redes sociais fazendo as pessoas refletirem. “Também estou fazendo o atendimento online das pessoas que precisam mais de ajuda, que estão mais desesperadas e que precisam conversar. Quero despertar a energia de paz e saúde no coração das pessoas, ajudar da maneira de posso” enfatiza.

Quem quiser fazer parte da lista de transmissão, pode entrar em contato com Cintia pelo direct do Instagram @terapeutacintiabarreto e enviar seu número de telefone informando que deseja receber as mensagens.

Por Karla Pinheiro

Comentários