Curta-SE divide 1º prêmio com dois títulos

0

O festival Curta-Se 6 encerrou na noite de domingo, mantendo a característica do primeiro dia: sala lotada, público atento, premiação que agradou ao público.

O primeiro prêmio na categoria 35mm foi dividido com o curta gaúcho “O Início do Fim”,de Gustavo Spolidoro e o brasiliense “Rap, o Canto de Ceilandia”, de Ardiley Queiroz de Andrade.

O troféu BNB foi para o paraibano “O Meio do Mundo”, de Marcus Vilar, livremente inspirado num conto do sergipano Antônio Carlos Viana. O melhor documentário foi o curitibano “Viva Volta”, de Heloísa Passos.

O melhor filme de ficção foi “O Amor de Palhaço”, do Ceará, de Armando Praça. O melhor animação foi o goiano “Peixe Frito”, de Ricardo Martin. O júri outorgou a menção honrosa ao mineiro “O Maior Espetáculo da Terra”, de Marcos Pimentel.

E, finalmente, o prêmio especial do júri foi para “Nascente”, mineiro, sobre o Rio São Francisco, dirigido por Helvécio Marins Junior. O júri popular deu o título de melhor filme a “Descobrindo Waltel”, paulista, de Alessandro Gamo.

O júri de 35 mm foi composto por Mario do Rosário Caetano, Tetê Matos e Ivan Valença. A premiação foi assistida por todos os cineastas presentes ao evento, além do ex-governador Albano Franco.

Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais