Delegado afirma que mulher sofre depressão

0

O delegado Fábio Pimentel investiga o caso (Fotos: Arquivo Portal Infonet)
O delegado do município de Simão Dias, distante 105 km da capital sergipana, Fábio Alan Pinto Pimentel, responsável pela condução do inquérito da mãe suspeita de ter matado as filhas gêmeas após o parto, afirmou que conversou com o médico que acompanha a dona de casa Josefa Alexandra de Jesus, de 28 anos. O fato foi noticiado pelo Portal Infonet na última segunda-feira, 29.

De acordo com o delegado, o médico esclareceu que Josefa apresenta sintomas de Depressão Pós-Parto (DPP) e que chegou ao hospital muito transtornada. Segundo o delegado a mulher permanece sendo acompanhada por uma equipe no Hospital São Camilo.

Fábio Pimentel menciona que na manhã desta terça-feira, 29, ouviu a irmã de Josefa, que confirmou

Josefa foi internada com sintomas de Depressão pós-parto
a morte de uma criança há 15 anos. O delegado conta que Josefa teve o bebê e depois enterrou no quintal da casa da mãe. O cadáver da criança foi encontrado dias depois. “Para se ter uma idéia da situação, ela mora sozinha, foi abandonada pelo pai dos bebês logo após a gravidez e não fez o pré-natal”, explica.

Josefa ainda é mãe de um menino de 10 anos, que segundo o delegado foi acolhido na casa de parentes. Pimentel salienta que o Conselho Tutelar será acionado para cuidar da criança.

DPP

Em entrevista ao Portal Infonet, a psicóloga clínica Ana Karine Braga explica que a mulher com Depressão pós-parto é cometida por várias mudanças físicas e emocionais durante a gravidez e mesmo depois de ter o bebê. Essas mudanças podem deixar as mães tristes, ansiosas, confusas ou com medo. Para muitas mulheres esses sentimentos vão embora rápido, mas quando permanecem ou pioram a mulher pode vir a ter depressão pós-parto.

“Os sintomas são tristeza, irritabilidade, cansaço, insônia, inibição ou aumento de apetite, ansiedade, desinteresse pelo sexo e angústia”, descreve a psicóloga, que diz ainda que é muito difícil saber se a mãe terá ou não depressão após o parto.

Por Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais