Em ato, manifestantes vão à sede do Governo de SE para cobrar moradia

0
Os manifestantes também desejam uma audiência com o governador Belivaldo Chagas (PSD) (Foto: enviada por manifestante)

Um grupo de moradores de ocupações ligados ao Movimento Organizado de Trabalhadores e Trabalhadores Urbanos (MOTU) se reuniram nesta terça-feira, 10, em frente ao Palácio dos Despachos, sede do governo estadual, para cobrar do Governo de Sergipe moradia e um maior diálogo no tocante às políticas habitacionais.

Segundo uma das manifestantes, Dalva da Graça, a ocupação em que vive, localizada no Marcos Freire II, espera há mais de 10 anos por serviços básicos, como saneamento e coletada de lixo.

Ainda segunda Dalva, nas proximidades da ocupação há um terreno improdutivo, que poderia servir como um impulso para uma política habitacional, beneficiando as pessoas em situação de vulnerabilidade. “Queremos a construção de casas populares para que as pessoas tenham direito a uma moradia digna e tranquila”, salienta a manifestante.

Dalva conta que desde o início do ano alguns moradores tentam uma audiência com o governador Belivaldo Chagas (PSD), mas que vem encontrando dificuldades. “Tenho um ofício em mãos que enviamos em janeiro para o governador. Mas que até o momento não tivemos resposta”, lamenta. “Só queríamos conversar com ele de maneira cordial e explicar o que está acontecendo e o que pode ser feito para melhorar a situação de todos nós”, acrescenta.

Governo de Sergipe 

Em comunicado, A Superintendência de Comunicação afirmou que o governo do estado recebeu uma comissão de manifestantes para melhor entender as demandas. “Não há nenhuma ação judicial pedindo a retirada dos ocupantes do terreno onde eles se encontram”, salienta.

Ainda segundo a Comunicação do Governo, ainda não se sabe a que órgão pertence o terreno em questão. “O estado vai fazer um levantamento e posteriormente irá informar ao movimento”, destaca.

por João Paulo Schneider 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais