Enterro emociona aracajuanos

0

Há muito tempo, uma cerimônia fúnebre não atraía tanto a atenção da sociedade sergipana. Ontem à tarde, o Cemitério Santa Isabel parecia pequeno para a verdadeira multidão que acompanhou à sua última morada D. Maria do Carmo Barreto, esposa do Dr. José Artêmio Barreto que na última 2a feira tomou posse como Desembargador. Desde a manhã, quando a notícia da morte de d. Maria foi divulgada pelo noticiário matutino das televisões e do rádio, o velatório Osaf , na Rua Itaporanga, passou a receber centenas de amigos do casal. A rua Itaporanga, a partir de então, ficou congestionada. O féretro saiu às 16 horas, com batedores policiais à frente. No cemitério, a cerimônia silenciosa formava o quadro de dor da família do Desembargador. D. Maria do Carmo morreu aos 59 anos de idade e estava há 40 anos casada com o Dr. José Artêmio Barreto.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais