Entidades de homosexuais elaboram documento contra agressores

0

Marcelo Lima é presidente da Adhons
Representantes do Movimento de Lésbicas de Sergipe e da Associação de Defesa Homossexual de Sergipe (Adhons) estão finalizando um documento que será entregue nesta quarta-feira, 3, ao Ministério Público Estadual e ainda esta semana, na Delegacia de Grupos Vulneráveis e na Secretaria de Segurança Pública, repudiando a atitude do policial que teria ameaçado jovens que se beijavam durante o carnaval de Neópolis.

Segundo a presidente do Movimento de Lésbicas de Sergipe, Ednalva Monteiro, na maioria das vezes, casos semelhantes não são tornados públicos. “Queremos com essa iniciativa em parceria com os companheiros da Adhons, defender o direito de todas as mulheres, principalmente das lésbicas. Esse tipo de atitude do policial não pode ter mais repercussão e com isso vamos procurar as autoridades competentes para que providências sejam tomadas”, destaca Ednalva Monteiro.

Ela lembrou que as duas entidades também estarão divulgando o documento junto a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) e a Articulação Brasileira de Lésbicas (ABL). “Nós vamos cobrar às autoridades um posicionamento contra os agressores das jovens e da jornalista, pois se trata de um reflexo da lesbofobia e homofobia”, enfatiza.

Intervenção

No próximo 8 de março quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, o presidente da Adhons, Marcelo Lima, estará participando de uma sessão especial na Câmara Municipal de Aracaju.

“Vou me pronunciar em defesa das mulheres lésbicas pedindo uma maior intervenção nesse caso. E no dia 13 de março quando estaremos realizando o 9º Chá Cultural no Teatro Lourival Batista em comemoração ao 7º aniversário da instituição, vamos elaborar um abaixo-assinado para entregar às autoridades”, informa Marcelo Lima.

Por Aldaci de Souza

Comentários