Envolvido em roubo a banco em Aracaju morre durante ação da polícia

0
Júlio César (no topo à direita) após prisão em 2013. (Foto: Arquivo / SSP)

Um homem identificado como Júlio César da Silva Filho foi morto na tarde da última sexta-feira, 5, em Nossa Senhora da Glória, durante uma ocorrência policial conjunta entre agentes da Polícia Civil e policiais da Companhia Independente em Operações Policiais em Área de Caatinga (Ciopac). A vítima era alvo de investigações da delegacia local e chegou a atirar contra os policiais antes de morrer.

Segundo a Polícia Civil de Glória, a ocorrência foi desencadeada após o recebimento de denúncias anônimas de que um assaltante a banco estava planejando um assalto de grandes proporções na cidade. Durante o processo investigativo, o suspeito foi identificado e passou a ser seguido de perto pelos agentes, que o encontraram na sexta-feira conduzindo uma motocicleta sem placa na rodovia que liga Glória a Nossa Senhora Aparecida.

Ao perceber a presença da polícia, Júlio Cesar teria reagido e atirado na viatura. “A Caatinga deu apoio e o suspeito foi alcançado, mas continuou a agressão, sendo, na sequência, alvejado e contido. (Diante dos ferimentos) foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Glória, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito”, informa a Polícia Civil.

Conforme a Delegacia Regional de Glória, o suspeito possui uma ficha criminal que inclui participação em um roubo a banco em Aracaju, durante o ano de 2013, furto qualificado também em Aracaju e em Rosário do Catete, dois processos por tráfico de drogas pela 4ª Vara Criminal, roubo majorado com associação criminosa pela 9ª Vara Criminal de Aracaju e um procedimento administrativo por lesão corporal no âmbito da Lei Maria da Penha, na cidade de Monte Alegre de Sergipe.

Assalto ao Banco Itaú

Roubo ao banco Itaú, em Aracaju, no ano de 2013. (Foto: Arquivo / Portal Infonet)

Segundo o registro da polícia, o roubo em 2013, “impressionou as autoridades da época pelo requinte de planejamento quando foi apreendido um croqui do banco prevendo até mesmo a presença dos clientes e seguranças.”, ressalta.

Na ocasião, foram presos o próprio Júlio César e mais quatro acusados, além da apreensão de um adolescente de 17 anos de idade, que foi recolhido ao Centro de Atendimento ao Menor (Cenam). Com eles, a polícia apreendeu cinco armas de fogo, dois coletes balísticos, celulares e toda renda que foi subtraída do banco.

por Daniel Rezende com informações da Polícia Civil

Comentários